Hugo comenta: “Navarro, abri meu negócio próprio há pouco mais de um ano, mas venho sofrendo com a gestão financeira da empresa. Confesso que não gosto e não sei muito sobre isso, e essa ignorância tem custado caro. Quais os pontos que preciso atacar com urgência para mudar este quadro? Obrigado”.

Ter uma gestão financeira de qualidade é fundamental para o sucesso do seu negócio e um dos grandes desafios para qualquer empreendedor. Conseguir controlar com eficiência a saúde financeira da empresa deve ser uma das principais prioridades do empreendedor.

Segundo pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cada 100 empresas que começam suas atividades no país, 48 fecham as portas dentro de 3 anos. Uma taxa de mortalidade de praticamente 50%, um número bastante elevado.

Todos os processos de uma empresa, desde vendas, controle de materiais, recursos humanos, controle de estoque passam pela gestão financeira. As principais decisões de negócios de qualquer empreendimento envolvem dinheiro, seja como recurso ou como resultado.

Fechar o mês com dinheiro em caixa não significa que a empresa está lucrando e que o negócio está prosperando – e é por pensar assim que muitos empreendedores acabam “quebrando a cara”.

As metas da organização passam necessariamente pela gestão financeira, volto a frisar, por isso é tão importante considerar as finanças como subsídio na tomada de decisões. A gestão financeira de qualidade bem dá segurança aos gestores para que estes executem o planejamento da maneira desejada.

Leitura recomendada: 7 Características dos empreendedores de sucesso que você deve praticar

5 práticas que não podem faltar na gestão financeira de sua empresa

Os fatores não podem faltar na gestão financeira da empresa são:

1. Disciplina

A maioria dos empreendedores não tem disciplina como pessoa, o que dificulta este passo. Comece observando seus hábitos pessoais e criando rotinas e hábitos saudáveis e constantes (prática de exercícios, alimentação equilibrada etc.).

Para colocar em prática uma gestão financeira de qualidade, o empreendedor precisa administrar muitas coisas ao mesmo tempo: atividades da organização, escassez de tempo e o controle de finanças são algumas delas, lembrando ainda que a vida pessoal e suas demandas também entram nesta lista.

O empreendedor precisa, portanto, desenvolver a disciplina para manter seus controles e agenda atualizados, bem como para monitorar o estoque, a situação dos funcionários e outros temas relacionados ao andamento de sua empresa.

Trata-se de uma disciplina gerencial necessária, especialmente nos primeiros anos de vida do negócio, época em que o empresário é uma espécie de “faz tudo”, pois atua em praticamente todas as áreas da empresa. Separe um horário para cuidar da gestão financeira, foco de nosso texto. Com o tempo, isso vai se tornar um hábito.

Leitura recomendada: Disciplina, a solução para enriquecer, emagrecer e viver melhor

2. Controle do fluxo de caixa

Quem pensa que ter um controle de fluxo de caixa é apenas acompanhar diariamente o extrato bancário e atualizar planilhas está muito enganado. O fluxo de caixa serve não só para retratar a atual situação econômica da empresa, mas também para planejar o futuro.

A gestão financeira por meio do controle de fluxo de caixa permite que o empreendedor visualize de forma mais completa e inteligente quais contas precisam ser pagas, valores a receber, acréscimo de juros, comparação de lucro projetado e obtido, além de permitir uma análise mais profunda do comportamento do negócio.

O fluxo de caixa bem feito permite ao empresário antecipar ações e preparar-se para momentos mais complicados (sazonalidade) com a antecedência necessária.

3. Conhecimento das pequenas despesas

É importante que o gestor coloque no seu planejamento financeiro pequenos gastos e despesas para não comprometer a saúde econômica da organização. É muito importante que o empreendedor preveja também as despesas com 13º salário, férias e demais encargos, mantendo uma provisão específica para este fim.

Os negócios iniciantes sofrem dois problemas: excesso de gastos pessoais misturados com os da empresa (geralmente pequenos gastos) e falta de recursos para imprevistos. Manter investimentos e formar uma reserva é fundamental para a gestão financeira da empresa.

4. Definição do preço da venda dos produtos

Um dos pontos essenciais da gestão financeira é saber definir o preço de venda dos produtos e serviços que serão comercializados. O empreendedor não deve fazer esse cálculo somente observando valores dos concorrentes; é preciso analisar com cuidado seus custos e discutir muito a proposta de valor para encontrar o valor mais adequado.

Tenha em mente que a percepção do cliente é a realidade que interessa, e neste sentido o posicionamento, o marketing, a força da marca e o relacionamento têm papel fundamental no preço final do produto.

5. Trabalho em equipe

A administração financeira ideal só acontece em ambientes compostos por uma equipe bem organizada e com bom relacionamento entre seus integrantes. A equipe precisa estar alinhada com o objetivo da empresa, é claro, mas precisa ser experiente e diligente com as finanças.

Eu gosto bastante da ideia de aprendizado contínuo e envolvimento, portanto recomendo que tanto funcionários quanto sócios mantenham-se bem próximos e participem sempre de eventos, treinamentos e cursos de especialização. Outro fator fundamental nestes acontecimentos é o networking.

Leitura recomendada: 10 coisas sobre empreendedores que você precisa saber

Conclusão

Cuidar das finanças da empresa não é uma opção; lidar com a gestão financeira do negócio não é um luxo ou algo que você fará “quando a empresa começar a faturar um pouco mais e se estabelecer”. Controle financeiro decente é parte da sobrevivência e fator crucial de destaque para qualquer empresa.

Pequenas empresas frequentemente sofrem para aprender a lidar com suas contas, mas é fundamental perseverar e colocar esta questão como uma prioridade. Não se trata de sobrevalorizar o dinheiro, mas apenas de compreender que ele é um recurso essencial para a existência do negócio.

Foto “Managing business”, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários