Anderson comenta: “Navarro, com toda a sua experiência em finanças, na sua opinião o que mais atrapalha as pessoas a terem uma vida financeira de sucesso? Fico encabulado com a enorme quantidade de pessoas que passam por dificuldades financeiras. Quero aprender às avessas, sabendo melhor o que não devo fazer de jeito nenhum para não estragar minha vida financeira. Obrigado“.

Gostei da expressão “aprender às avessas”, esse também é um bom método de aprendizado. Lembrei daquela afirmação famosa, que diz que existem dois modos de aprender: com os erros dos outros e com os nossos próprios (sendo este último o mais doloroso).

Pensando nisso, decidi listar 7 erros, que vou chamar aqui de armadilhas, que podem atrapalhar e até arruinar a sua vida financeira. É claro que também falarei sobre como enfrenta-las, evitá-las e vencê-las. Acompanhe.

Armadilha 1: Falta de controle

Sem um controle financeiro, fica impossível conhecer nosso fluxo financeiro, ou seja, saber quanto entra e quanto sai de dinheiro. Além disso, é importante saber onde este dinheiro está sendo gasto, pois esta informação tornará possível a realização de ajustes (cortes de despesa) se isso for necessário.

E não se esqueça de registrar também os pequenos gastos, pois eles são vilões quase invisíveis dentro de um orçamento, e costumam causar diferenças expressivas quando analisado o resultado de desposas mensais ou anuais. Não confie na cabeça para controlar seu dinheiro, prefira usar uma planilha de controle financeiro (clique aqui para baixar a versão gratuita que criamos).

Armadilha 2: Gastar além das possibilidades

Esta é uma das mais perigosas armadilhas. Gastar mais do que se ganha é o principal motivo que leva à contração de dívidas; e estas, se não forem bem administradas, poderão sugar todos os seus recursos. Lembre-se que no Brasil as taxas de juros do crédito são elevadíssimas, portanto seja humilde e ajuste sua vida financeira para dentro de suas possibilidades.

Armadilha 3: Dívidas

O cuidado aqui diz respeito à sua possibilidade (ou não) de pagá-las e também à necessidade de se fazer uma dívida. O ideal é que você adie a compra do bem em questão e não caia na tentação de se endividar e optar pelas tais “suaves prestações” (em um país com juros tão altos, isso não existe!).

Há casos especiais e que merecem uma reflexão mais profunda, como o financiamento de um imóvel, mas ainda assim as prestações precisam caber no orçamento sem prejudicar as demais despesas e a poupança para os investimentos. Endividar-se para ter um bem e não ter mais dinheiro para viver com qualidade o dia a dia não faz sentido e costuma prejudicar o ambiente familiar.

Leitura recomendada: Aprenda a diminuir (zerar) suas dívidas e fugir da inadimplência

Armadilha 4: Padrão de vida

Muitas famílias alinham seu padrão de vida ao seu nível de renda, algo aparentemente natural e desejável. Basta um aumento na renda para que o padrão de vida suba também. Somando ao contexto as pressões sociais e de consumo, terminamos num cenário perigoso, em que as pessoas se tornam escravas do seu estilo de vida.

O problema é que quanto mais alto for o padrão de vida, maiores são os custos e menores as possibilidades de sobra de recursos para os investimentos. O segredo aqui é manter um padrão de vida sempre inferior às possibilidades e administrado com base nas prioridades familiares, não nas expectativas dos outros.

Leitura recomendada: Ostentação e consumismo não combinam com felicidade

Armadilha 5: Emergências

Em um mundo complexo e com mudanças constantes, se há uma coisa que podemos ter certeza sobre o futuro é que as coisas serão cada vez mais diferentes, dinâmicas e algumas surpresas (de toda ordem) virão.

Uma demissão, um acidente, uma doença, uma manutenção de emergência em casa, enfim, imprevistos e situações que não controlamos simplesmente acontecem. Por isso, não deixe de fazer uma reserva financeira para estas emergências. Essa reserva deve conter de 6 a 12 meses de sua renda mensal, dependendo de sua avaliação pessoal dos riscos envolvidos nestes imprevistos.

Leitura recomendada: 5 Passos para você criar sua reserva de emergência

Armadilha 6: Aposentadoria

Quanto mais cedo você tratar desse assunto, menos esforço (e preocupação) você terá no futuro. O seu planejamento financeiro deve incluir recursos para a aposentadoria, embora o conceito de aposentado esteja sofrendo algumas mudanças (o que é excelente, afinal trabalhar e fazer o que gostamos é ótimo!).

Enfim, seja no modelo tradicional ou no modo moderno, os recursos financeiros serão necessários para a fase mais avançada da vida. Ainda que você não se prenda a dinheiro, ele será fundamental para garantir tranquilidade, qualidade de vida e acesso à saúde. Logo, não se esqueça de que a disciplina e o tempo são excelentes aliados na construção de sua aposentadoria. Comece agora!

Leitura recomendada: Aposentadoria já era! Agora é Nova Velhice

Armadilha 7: A pressa em realizar seus sonhos

Em uma sociedade imediatista, é um grande desafio esperar para realizar nossos sonhos, principalmente diante de tantos “atalhos” para “acelerar” as coisas. Estou falando dos financiamentos, que trazem para hoje as possibilidades de você comprar sua casa nova ou seu carro sem ter o dinheiro.

No lado financeiro, temos um preço a pagar, que são os juros. Se forem mal administrados, eles vão arruinar sua vida financeira. Procure primeiro poupar, adiando seus sonhos, e quando tiver uma quantia expressiva em mãos, negocie o pagamento à vista ou dê uma entrada igual ou superior à 50% do valor do bem, buscando prestações que realmente caibam em seu orçamento sem asfixiá-lo.

Já diziam nossos avós que “a paciência é uma virtude”. Só chega longe quem entende e respeita o poder do tempo e administra suas prioridades com carinho e cuidado. Experimente trocar o verbo comprar por construir.

Conclusão

Se você identificou sua vida financeira atravessando uma ou mais dessas armadilhas, não demore para resolver cada um dos casos. O quanto antes você fizer isso, mais rápido você entrar na rota da prosperidade e tranquilidade. E se você nunca foi pego por nenhuma dessas armadilhas, fica aqui o “aprendizado às avessas” para que você não passe nem perto delas. Combinado? Obrigado e até a próxima!

Foto “financial trap”, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários