A Psicologia Econômica a serviço da sociedadeApesar de ter sido introduzida no Brasil há pouco tempo, a Psicologia Econômica está presente em dois grandes programas que visam à educação financeira em larga escala: a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) e o Programa de Apoio ao Superendividado (PAS) do PROCON-SP.

A ENEF na Rede Pública de Ensino
Já falei aqui sobre esta grande iniciativa, que reúne Governo, Ministério da Educação e Cultura (MEC), Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Banco Central (BC) entre outras instituições privadas e não governamentais, e que ainda se encontra em fase de projeto-piloto em 400 escolas de seis estados do país do ensino fundamental e médio.

Sabendo que desequilíbrios financeiros individuais, quando em massa, podem comprometer o sistema econômico do país como um todo, a ENEF nas escolas busca muito mais do que apenas informar alunos sobre questões financeiras e econômicas. O grande objetivo é estabelecer um conjunto de estratégias capazes de modificar comportamentos e hábitos de consumo, poupança e modo de vida.

Em Psicologia Econômica, sabe-se que existe uma série de situações que potencializam as chances de tomarmos decisões não muito favoráveis ao nosso bolso, especialmente no longo prazo. É aí que a Psicologia Econômica entra sob a forma de “pisca-alertas”, que são frases curtas em destaque distribuídas ao longo dos livros utilizados no programa.

O objetivo desses “pisca-alertas” é chamar a atenção dos alunos para essas situações e proporcionar uma discussão que englobe os aspectos psicológicos da tomada de decisão de uma forma leve, mas absolutamente concreta e relevante para eles.

Um exemplo desses “pisca-alertas” é sobre o efeito que a tomada de empréstimo tem sobre a nossa cabecinha: não ficamos mais ricos, pelo contrário teremos que devolver não só aquele montante, mas também uma parcela extra referente aos juros! O efeito desse tipo de informação pode ser muito diferente do que expor os alunos a cálculos de juros compostos ou simplesmente dizer que a tomada de crédito deve ser consciente.

Ajudar esses jovens a entender que as armadilhas estão dentro da nossa cabeça e que existe uma série de situações que funcionam como gatilho para essas ciladas é o que faz da nossa ENEF pioneira no uso da Psicologia Econômica em programas de educação financeira.

PAS do PROCON de São Paulo
O Programa de Apoio ao Superendividado (PAS) do PROCON-SP já saiu da fase piloto e foi inaugurado no dia 5 de outubro. O objetivo é atender pessoas com um alto grau de endividamento e ajudá-las a recuperar suas finanças.

Aqui a Psicologia Econômica está sendo utilizada em duas frentes: na capacitação das pessoas que trabalham diretamente com o público alvo do programa, tanto na fase de triagem quanto na fase de conciliação; e também na orientação financeira das pessoas que procuram o PAS.

Para quem quiser mais informações sobre o serviço basta acessar as informações do lançamento (clique aqui).

Feirão Limpa Nome
Acontece, de 17 a 20/10, a Segunda Rodada do Feirão Limpa Nome, das 9 às 17 horas no Expo Center Norte – Vila Guilherme, São Paulo. Lá, a Coordenadora do Núcleo de Tratamento do Superendividamento do PROCON-SP, Neide Ayoub (que também integra o Grupo de Estudos sobre Psicologia Econômica), estará oferecendo a palestra “Do vermelho ao azul – dicas para equilibrar o orçamento” às 11:20h, 13:20h e 15:20h. Clique aqui para mais detalhes sobre o evento.

Ambos os programas (ENEF e PAS) foram apresentados pela Dra. Vera R. de Mello Ferreira e sua equipe na Conferência de 2012 da International Association for Research in Economic Psychology (IAREP) sob o título: “Can we be debiased? How Economic Psychology can inform financial education programs” (Podemos nos prevenir contra os vieses? Como a Psicologia Econômica pode contribuir para os programas de educação financeira).

É a Psicologia Econômica a serviço da sociedade. Até breve e um abraço.

Adriana Spacca Olivares Rodopoulos
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários