Ações - Lucre na baixa com a venda de índice futuroContinuo hoje a abordagem mais específica sobre cenários de baixa na bolsa de valores e estratégias para aproveitar momentos assim. Caso queira conhecer os três primeiros artigos da série, acesse-os clicando em seus títulos: “Ações – Lucre na baixa com o aluguel de ações”, “Ações – Ganhe na baixa usando travas com opções de compra” e “Ações – Ganhe na baixa com a compra de opções de venda”. Hoje abordarei a negociação de contratos e mini-contratos.

O que representa o Índice Bovespa?
O Ibovespa é o índice mais conhecido do mercado financeiro[bb] brasileiro. É calculado e divulgado pela Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F Bovespa), sem interrupção, desde 1968, não tendo sua metodologia jamais sofrido nenhuma descontinuidade. O processo de seleção das ações obedece ao critério estabelecido pelo índice de negociabilidade.

Assim, para compor a carteira são consideradas as ações mais transacionadas em termos de volume financeiro nos 12 meses imediatamente anteriores à data de atualização da carteira. Esse processo é realizado a cada quatro meses, com a divulgação da nova carteira teórica ocorrendo sempre no primeiro dia útil dos meses de janeiro, maio e setembro.

O Índice Bovespa, também chamado de Ibovespa, procura medir o comportamento geral de investimento no mercado de ações. A Bovespa calcula e divulga, em tempo real, os valores instantâneos do índice de abertura, máximo, mínimo, médio, de fechamento e de liquidação.

Entenda o contrato futuro de índice de ações
Ao contrário de uma operação realizada no mercado à vista, em que as partes efetivamente compram e vendem um ativo, nas operações com futuros os investidores assumem o compromisso de comprar ou vender um ativo, ou commodity, por preço predeterminado, para liquidação em data predeterminada. No caso de um futuro de índice de ações, o ativo é uma cesta de ações.

Para facilitar, a entrega física é substituída pela liquidação financeira. Portanto, o futuro de Ibovespa permite ao investidor[bb] comprar ou vender uma carteira diversificada de ações, oferecendo-lhe a oportunidade de tomar decisões de investimento com base em sua opinião sobre a tendência global do mercado acionário.

Se o investidor comprar o contrato futuro de índice, esperará ganhar com a elevação dos preços futuros, em face de sua expectativa de valorização dos preços das ações integrantes do índice. Se sua posição for de venda, esperará ganhar com a queda dos preços futuros.

Evidentemente, se suas previsões a respeito do comportamento do índice estiverem erradas, sofrerá perdas. Trata-se também de instrumento poderoso e versátil, quer o investidor queira por em risco o próprio capital em troca de retorno atrativo, quer queira neutralizar o risco do investimento em ações.

Especulação na baixa
Naturalmente, as expectativas para o comportamento do mercado acionário podem ser tanto de alta quanto de baixa. A limitação dos mercados a vista é que estes não permitem que o investidor obtenha lucro quando sua expectativa é de baixa e esta se confirma. Por intermédio do mercado futuro de índice de ações, contudo, essa estratégia não só é possível como também extremamente simples.

Suponha que um investidor conclua que os preços das ações estão muito apreciados e que existe a possibilidade de que recuem. Acreditando firmemente nessa expectativa, vende certa quantidade de contratos futuros. Alguns dias depois, o mercado de ações começa a cair e a queda do índice à vista se reflete nas cotações a futuro. Nesse momento, o investidor encerra sua posição, comprando a mesma quantidade de contratos e auferindo ganho.

Há duas situações em que a venda especulativa pode ser utilizada:

  1. Quando se espera queda para as cotações das ações negociadas no mercado à vista;
  2. Quando não se acredita que, até o vencimento do contrato, as cotações subirão a ponto de fazer com que o índice à vista atinja a cotação verificada no mercado futuro no momento da operação.

Como a posição do investidor era vendedora e suas expectativas quanto ao declínio do mercado[bb] a vista se sustentaram, ele obteve resultado positivo em sua estratégia de venda especulativa. Entenda alguns componentes e aspectos de uma operação deste tipo:

Objeto de negociação: o índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo, denominado Índice Bovespa ou Ibovespa;

Cotação: pontos do Ibovespa, sendo cada ponto equivalente ao valor em reais estabelecido pela BM&F Bovespa (R$1,00);

Data de vencimento: toda quarta-feira mais próxima do dia 15 dos meses pares (fevereiro, abril, junho, outubro e dezembro);

Tamanho do contrato: como o contrato é negociado em pontos de Ibovespa, sua expressão monetária – ou seja, seu valor referencial – resulta da multiplicação da cotação em pontos por R$1,00;

Liquidação: a liquidação do futuro de Ibovespa é exclusivamente financeira, por meio de operação inversa à posição original, na data de vencimento do contrato pelo valor do Ibovespa de liquidação, divulgado pela Bovespa de acordo com a seguinte fórmula:

VL = P × M

onde:

  • VL = valor de liquidação por contrato;
  • P = Ibovespa de liquidação divulgado pela Bovespa;
  • M = valor em reais de cada ponto do índice.

Os resultados financeiros da liquidação são movimentados no dia útil subseqüente à data de vencimento.

Ajuste diário da posição: para efeito de apuração do valor relativo ao ajuste diário, as posições em aberto ao final de cada pregão são ajustadas com base no preço de ajuste do dia, estabelecido conforme regras da BM&F Bovespa, com movimentação financeira no dia útil subseqüente (D+1).

WebTrading BM&F (WTr)
Trata-se da plataforma de negociação de mini-contratos derivativos via internet especialmente voltado aos pequenos investidores. Os mini-contratos são contratos futuros de formato reduzido com negociação exclusiva no WTr. Os mini-contratos possuem características operacionais bastante semelhantes às dos contratos futuros negociados no mercado-padrão, diferenciando-se, de forma geral, somente em tamanho (10% do valor do contrato tradicional).

As ordens são colocadas diretamente pelo cliente, por meio de interface simplificada, no site da corretora BM&F por ele escolhida. Ao aprofundar os artigos sobre ações e derivativos, espero colaborar com sua formação de investidor e despertá-lo para o potencial de estratégias mais avançadas de investimento[bb]. O uso das informações é de sua responsabilidade. Bons negócios!

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Leandro Martins
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários