Ações - Lucre na baixa com o aluguel de açõesCaro leitor, é com satisfação que novamente trago a vocês pequenos textos sobre Análise Técnica e estratégia de operações no mercado de ações[bb]. Farei uma pequena série de quatro artigos sobre as possibilidades de se ganhar dinheiro também com a baixa do mercado. Nestes artigos vou tratar do aluguel de ações (artigo de hoje), travas com opções de compra, opções de venda e venda de índice futuro. Espero que goste e aproveite para tirar dúvidas mais específicas e avançadas.

Antes de mais nada, é importante destacar que vender a descoberto apresenta risco ilimitado (infinito), pois caso você esteja errado e o ativo vendido tenha elevada valorização, seu prejuízo acompanhará tal elevação. Logo, o uso do stop é imprescindível.

O que é e como funciona o aluguel de ações?
Trata-se de uma operação na qual o acionista disponibiliza suas ações para empréstimos com o intuito de receber uma remuneração que varia em torno de 2% a 15% (ao ano) do valor da ação e os interessados as tomam mediante aporte de garantias junto à CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia).

Os agentes envolvidos envolvidos neste tipo de operação são:

  • Doador: cliente que tem investimento[bb] em ações com perfil de médio e longo prazo (fica com o papel por 60 dias ou mais) e procura alugar suas ações para receber uma remuneração extra. Ele continua com direito a receber dividendos (pagos pelo tomador) e direitos de subscrição, porém não pode vender as ações pois estas se encontram alugadas;
  • Tomador: cliente que quer vender as ações (ficar short) e não tem a posição. Ele aluga no mercado as ações e as vende. Quando recomprar as ações ele as devolve para o doador e liquida a operação.

Custos envolvidos
Para o doador não há custos. Para o tomador, o custo da operação é a taxa pré-fixada com o doador mais 0,25% de emolumentos para a bolsa – valor pago no dia da liquidação e levando em conta o financeiro do dia em que foi fechada a operação.

Prazo médio das operações
Normalmente 30 dias e as taxas variam entre 2 % a 15 % ao ano, dependendo do papel. Em média, a taxa é de 5 % a.a. As taxa médias praticadas podem ser consultadas no site da CBLC – www.cblc.com.br -, na seção Banco de Títulos BTC/Consultas/Empréstimos Registrados.

O aluguel de ações é indicado ao tomador quando acredita num mercado com tendência baixista, pois pegará emprestado, venderá esse ativo por X e o mesmo irá se desvalorizar até chegar a seu valor de fundo, Y, próximo ao vencimento do contrato, onde o tomador irá realizar seu lucro. O blog Quero Ficar Rico também abordou o assunto de forma bastante didática, vale a pena dar uma olhada.

Vale ressaltar que o risco é extremamente elevado, pois além de maiores custos, a possibilidade de perda é muito maior que na compra simples. Isso porque se uma ação, por algum motivo, dobrar de preço, o investidor[bb] que está vendido perde 100% de seu capital, enquanto que na compra (posse pura do papel) isso só aconteceria se a empresa falisse.

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Leandro Martins
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários