Ações - GráficosAnderson comenta: “Acompanho seu site desde o início e até então tem sido excelente e que continue assim. Tenho uma dúvidas em relação a corretoras, mais precisamente sobre custos de custódia. O que seria este custo de custódia? É quanto a corretora ira me cobrar mensalmente a partir do dia em que comprei os papéis até o dia que vendi? Se não, como é cobrado este valor? Se puder esclarecer ou indicar algum site ou livro que explique mais detalhadamente como funcionam estes custos das corretoras, ficarei grato”.

Anderson, obrigado por ser um dos fiéis leitores do Dinheirama e por acreditar neste meu trabalho. Quero parabenizá-lo pela decisão de encarar o investimento direto em ações. Sua dúvida é bastante comum e tenho certeza que muitos outros leitores também serão beneficiados por este artigo. Antes de passarmos aos detalhes, tenha em mente que algumas taxas são definidas pelas corretoras e outras são definidas por órgãos como a Bovespa. Isso significa que alguns custos podem ser menores em certas corretoras, mas que outros serão sempre iguais. Vamos entender melhor isso?

O que é a taxa de custódia?
É uma taxa mensal criada pelas corretoras para manter seu cadastro e suas operações registradas em seus sistemas de homebroker ou mesa de operações. Ela cobre custos operacionais das corretoras junto à CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia), mas não é de cobrança obrigatória. Algumas corretoras associam sua cobrança à quantidade de operações realizadas no mês.

Alguns exemplos:

  • Corretora Ágora: “A taxa mensal de custódia para contas com movimentação ou posição é de R$ 6,90, independente de se tratar de posição em Conta Depósito, Conta Investimento ou ambas. Se o investidor fizer pelo menos uma operação de compra ou venda no mês estará isento da taxa do mês em questão”.
  • Corretora WIN: “A taxa de custódia é de apenas R$10,00 ao mês e será cobrada apenas se houver posição de ações ou opções registrada no período”.
  • Corretora Easyinvest: “No Easynvest não há cobrança de taxa de custódia”.

O que é a taxa de corretagem?
É uma taxa cobrada pelas corretoras para realizar sua ordem junto à Bolsa de Valores. Quando você opta por comprar (ou vender) um lote de ações através do sistema homebroker a corretora debita a corretagem, de acordo com suas regras de cobrança, que vão desde valores fixos até porcentagens sobre o valor da operação. Essas tarifas variam bastante e alguns exemplos podem ilustrar melhor seu funcionamento:

  • Corretora Ágora: “A taxa de corretagem do Home Broker é de R$ 20,00 por ordem executada no mesmo dia, independentemente do montante envolvido. Ordens com validade de 30 dias terão a taxa de R$ 20,00 cobrada para cada dia em que houver execução parcial”.
  • Corretora Easyinvest: ” No Easynvest a taxa de corretagem é de apenas R$ 10,00 por ordem executada, independente do valor. Ao enviar uma ordem, seja qual for seu valor, será cobrado uma corretagem de apenas R$10,00 quando ela for executada. A corretagem mensal mínima cobrada pelo Easynvest é de R$ 30,00, equivalente a três ordens executadas. Com isso, se não executar ordens no mês, ou executar apenas uma ou duas, será cobrado a diferença de maneira a completar a corretagem mínima de R$ 30,00″.

E os tais emolumentos?
Esses são valores pagos pelos agentes (corretoras) diretamente à Bovespa e são cobrados quando você decide operar. Para a negociação normal é aplicada uma taxa de 0,027% sobre o valor da operação. Se for day-trade, 0,019% por ordem. No caso de liquidação, ou seja, pagamento ou recebimento do montante financeiro envolvido no negócio, a taxa normal é de 0,008% e a taxa para day-trade é de 0,006%.

Repare que para operações normais, nosso objetivo neste artigo, os emolumentos serão de 0,035% (taxa de 0,027% + 0,008%). Para facilitar o entendimento de todas essas taxas, deixo transcrito um exemplo do próprio site do Banco do Brasil. Note que a corretagem será baseada na tabela usada pela corretora do BB, disponível aqui.

Suponha que um cliente possui as seguinte operações em um dado pregão:
Compras – Conta Corrente Investimento => R$ 15.000,00
Compras – Conta Corrente Depósitos => R$ 8.000,00
Vendas – Conta Corrente Investimento => R$ 7.000,00
Vendas – Conta Corrente Depósitos => R$ 6.000,00

Valor total negociado no dia – R$ 36.000,00

A corretagem cobrada será:
Parte fixa: R$ 25,21 – conta corrente de depósitos
Parte variável: R$ 70,00 – conta corrente de depósitos ((R$8.000+R$6.000) X 0,5% = R$70,00)
Parte variável: R$ 110,00 – conta corrente investimento ((R$15.000+R$7.000) X 0,5% = R$110,00)
Emolumentos: R$ 7,70 – conta corrente investimento ((R$15.000+R$7.000) X 0,035% = R$7,70)
Emolumentos: R$ 4,90 – conta corrente de depósitos ((R$8.000+R$6.000) X 0,035% = R$4,90)

Custos totais cobrados: R$ 217,81, sendo:
Custos debitados na conta corrente depósitos: R$ 100,11
Custos debitados na conta corrente investimento: R$ 117,70

Dinheirama Shop
Aprenda mais sobre planejamento financeiro e controle de gastos através de nossos livros, DVDs e E-books. Promoções e preços a partir de R$ 5,90. Acesse www.dinheirama.com/loja e confira!

Este pequeno resumo deve ajudá-lo a entender um pouco melhor quais as taxas envolvidas nas ordens de compra e venda de ações. Aproveito para indicar alguns importantes sites sobre o mercado de ações:

  • CHRInvestor – Excelente blog com análises, dicas e opiniões sobre a negociação de ativos
  • Stock Buster – Muito material técnico e de grande importância tanto para novatos quando para os mais experientes
  • Um Iniciante na Bolsa – Opiniões e materiais para quem quer começar a se aventurar no mundo das ações
  • Sucesso Financeiro – Dicas para os iniciantes e informações sobre o mercado

Espero que o artigo tenha sido interessante e possa agregar valor ao seu dia-a-dia e ao seu dinheiro. Até a próxima.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários