Em um ano traumático para a maior parte das empresas brasileiras, o lucro dos cinco maiores bancos de varejo do país cresceu 8,9%, somando pouco mais de R$ 66 bilhões em 2015.

Esse ritmo, porém, foi sustentado pelo desempenho dos privados – o resultado de Itaú, Bradesco e Santander avançou a uma taxa média de 13,6% no ano passado, enquanto o lucro de Caixa e Banco do Brasil subiu, em média, apenas 2,0%.

Em nosso âmago sempre soubemos que bancos no Brasil são um ótimo negócio. Mas nem mesmo eles sairão imunes da crise econômica, já tendo inclusive fornecido uma série de indícios de que terão resultados mais fracos em 2016.

São basicamente dois problemas que eles precisarão lidar (problemas estes que já deram as caras em 2015):

  • A desaceleração do crédito;
  • A escalada da inadimplência entre os consumidores.

Além disso, em meio a um cenário de estabilidade (ou até de queda) dos juros brasileiros pela frente, também diminui o espaço para que os bancos expandam sua margem financeira, um dos principais itens responsáveis pelos fortes resultados do ano passado.

Sendo assim, ficam algumas perguntas:

Nossos analistas CNPI avaliaram os possíveis cenários e montaram um relatório gratuito, para que você tenha algumas respostas para estas perguntas.

Para ler o relatório, basta clicar aqui e você será redirecionado para uma página com as instruções de acesso. Boa leitura e ótimos investimentos!

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.