Dinheirama - Estrada para o futuro!Olá a todos os leitores do Dinheirama! Tivemos uma semana com ótimas notícias sendo a melhor delas a de que o Dinheirama é o melhor blog sobre mercado e finanças do Brasil! Bem, mas essa notícia vocês já devem ter visto por aqui, certo? Quanto ao nosso resumo semanal, vimos principalmente que o Morgan Stanley rebaixou a recomendação para o mercado brasileiro.

Além disso, enquanto Cyrela e CSN mostram desejo de lançar nova oferta de ações no ano de 2008, a ArcelorMittal deve fechar o capital da Acesita. Outro fato importante no mercado de ações[bb] é a proposta de subscrição dos papéis do Bradesco. Destaques também para o leilão de licenças de terceira geração para as operadoras de celular e para a nova descoberta de petróleo da Petrobras na bacia de Santos. Um Feliz Natal e boa leitura a todos.

Banco reduz recomendação para investimentos no Brasil
O banco Morgan Stanley reduziu a classificação do Brasil para underweight – abaixo da referência do mercado. De acordo com os analistas Johathan Garner, Michael Wang e Vinicius Silva o cenário externo desfavorável podem interromper o “ciclo virtuoso” de câmbio valorizado, preços elevados das commodities, redução do prêmio de risco soberano e valorização das ações brasileiras. Além disso, o banco afirma que:

“A expectativa de fraqueza no ritmo de queda na taxa básica de juro do país implica um cenário mais difícil para os setores ligados à demanda doméstica em 2008 na bolsa”

Os analistas afirmam que é tempo de ser mais seletivo. “Nós optamos por manter a exposição em petróleo e mineração na forma de Petrobras e Vale”, explicam. Falando em cenário externo desfavorável, o Merrill Lynch prevê que em 2008 a economia dos EUA certamente entrará em recessão.

Leia mais:


Ações que vêm, ações que vão…

Apesar do cenário desfavorável e da possibilidade (ou certeza) de recessão nos EUA, novas ações deverão estar disponíveis aos investidores[bb] em 2008. A empresa de construção civil Cyrela Brazil Realty protocolou na CVM – Comissão de Valores Mobiliários – novo pedido de registro de oferta pública de ações. Há cerca de um mês a parceira da Cyrela, Abyara Planejamento Imobiliário, também registrou novo pedido de registro de oferta de ações na CVM.

Diversas outras empresas do setor de construção preparam ofertas de ações para 2008. Outra possível oferta é da Mina Casa da Pedra. De acordo com o presidente da CSN, Benjamin Steinbruch, a companhia está analisando essa possibilidade e a IPO (Oferta Pública Inicial de Ações, em inglês) deve sair logo.

Já o Bradesco pretende elevar seu capital social em R$ 1,2 bilhões. O banco emitirá 27,906 milhões de novas ações para subscrição particular pelos seus acionistas. Os possuidores de ações do Bradesco poderão subscrever os papéis no período de 22/01/2008 a 22/02/2008. A ex-Acesita – atual ArcelorMittal Inox Brasil – deverá fechar o capital. A adesão da BNDESPar à recompra de ações anunciada em 04/12 dá à ArcelorMittal o direito de encerrar as operações de compra e venda de papéis na Bovespa.

Leia mais:


As teles e o leilão de licenças 3G

As quatro maiores operadoras de telefonia celular do Brasil – Claro, Oi, TIM e Vivo – pagaram caro pelas licenças de exploração dos serviços de terceira geração de celulares[bb]. O maior ágio do primeiro dia de leilão foi pago pela Claro: 273,92% em relação ao preço mínimo. A empresa pagou R$ 612 milhões pelo lote da área 1 (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Sergipe). Os outros três lotes da área ficaram com TIM (ágio de 222,6%), Oi (ágio de 90,59%) e Vivo (ágio de 89,62%).

A área 3 – que compreende a capital paulista, 63 municípios da grande São Paulo, Amazonas, Amapá, Pará, Roraima e o Maranhão – também ficou com as quatro empresas. Na terça-feira (18/12), o mercado reagiu bem ao resultado do leilão. As ações da Vivo (VIVO4) fecharam em alta de 6,5% e os papéis da TIM (TCSL4) registraram forte alta de 8,27%, aparecendo como maior destaque de alta do Ibovespa. Após três dias de leilão, a arrecadação total foi de R$ 5,3 bilhões; ágio de 86,67% acima das expectativas dos analistas.

Leia mais:


Nova descoberta da Petrobras em Santos é verdade. No Peru não é, mas pode ser…

A Petrobras já comunicou à ANP e enviou nota ao mercado revelando a descoberta de óleo leve no pré-sal da Bacia de Santos a 208 km da costa do Estado de São Paulo, a 5 mil metros de profundidade. A descoberta foi comprovada por intermédio de indícios de petróleo e interpretação de perfis. O poço ainda não foi testado devido a questões operacionais e logísticas.

Entretanto, a notícia de que houve uma grande descoberta de gás no Peru – link para o Portal Exame abaixo – foi desmentida hoje de manhã pela petroleira. De acordo com a Petrobras, até o momento não foi confirmada a existência de qualquer descobrimento comercial de petróleo ou gás na região. A empresa declarou que sua controlada Petrobras Energia Peru possui participação de 46,16% no lote 57 no país. Neste lote, a Repsol YPF está finalizando a exploração do primeiro poço exploratório. Ou seja, não foi descoberto nada… ainda!

Leia mais:

—–
Arthur Gouveia é Consultor de Empresas especializado em Gestão e Estatística. Conheceu o Dinheirama e, desde então, aplica as dicas dos editores e comentaristas em seu cotidiano, buscando aumentar seu patrimônio líquido. Atualmente edita a seção de Notícias e é editor responsável pelas dicas e opiniões de nossos leitores.

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários