O adeus de Dirce Camargo, a mulher mais rica do BrasilExiste uma enorme curiosidade por parte das pessoas quando o assunto é dinheiro e riqueza. No Brasil a mulher mais rica era Dirce Camargo, viúva do fundador do grupo Camargo Corrêa, Sebastião Camargo e sua fortuna estava estimada em US$ 11,5 bilhões (R$ 22,6 bilhões).

Dirce Navarro de Camargo morreu em casa, aos 100 anos, na tarde do último sábado (20). A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do grupo.

Segundo o ranking da revista Forbes, Dirce era dona da quarta maior fortuna do Brasil, ficando atrás apenas de Jorge Paulo Lemann (US$ 17,8 bilhões) da 3G Capital, Joseph Safra (US$ 15,9 bilhões) do Banco Safra e Antônio Ermínio de Moraes (US$ 12,7 bilhões) do grupo Votorantim.

A empresária voltou a circular na lista dos bilionários brasileiros em agosto do ano passado, quando a agência de informações financeiras Bloomberg revelou que ela era beneficiária da maior parte das ações do Morro Vermelho, holding controladora do grupo.

De acordo o ranking da Bloomberg, no entanto, Dirce era a segunda pessoa mais rica do país, com uma fortuna avaliada em US$ 13,8 bilhões – ficando atrás apenas de Jorge Lemann. O montante lhe garantia a 62ª posição mundial.

Conglomerado

Dirce assumiu a Camargo Corrêa em 1994, após a morte de seu marido e fundador do grupo, Sebastião Camargo. Depois de um curto período à frente do conselho de administração, ela deixou o comando nas mãos de uma equipe de gestores da qual fazem parte, hoje, seus dois genros.

A Camargo Corrêa é uma holding familiar de capital fechado e tem mais de 73 anos de atuação. Hoje, o conglomerado detém a terceira maior construtora do Brasil, 17% da CCR (rodovias), 24,4% da CPFL (eletricidade), quase 95% da Cimpor (cimentos) e o controle da Alpargatas – fabricante das sandálias Havaianas.

Segundo dados levantados pela Bloomberg, o grupo faturou US$ 8,6 bilhões em 2011, sendo que 30% foram garantidos pela construtora Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI), cujo capital foi fechado em 2012.

Com a morte de Dirce, as ações do Morro Vermelho passam definitivamente para o controle das filhas do casal Camargo – Regina, Renata e Rosana. Os títulos já estavam distribuídos igualitariamente entre as três, mas a empresária mantinha algumas ações com direito de usufruto até sua morte.

Renata e Regina são representadas na empresa por seus maridos, Luiz Roberto Ortiz Nascimento e Carlos Pires Oliveira Dias, que fazem parte do conselho de administração. Fernando Arruda Botelho, marido de Rosana, morreu em um acidente aéreo em 2012.

Fundada em 1939, a Camargo Corrêa participou de inúmeras obras de grande porte no Brasil, como a Ponte Rio Niterói, a Rodovia Transamazônica e a construção de Brasília. Em 2011, contava com 58,4 mil funcionários e, atualmente, participa da construção das usinas de Belo Monte e Jirau.

Fontes: iG | R7 | Folha. Foto: divulgação / Folhapress

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários