Home Empresas AGU pede bloqueio de R$ 79,6 bi e proibição de dividendos da Samarco, Vale e BHP

AGU pede bloqueio de R$ 79,6 bi e proibição de dividendos da Samarco, Vale e BHP

O rompimento de barragem da Samarco, joint venture da Vale com o grupo BHP, ocorreu em novembro de 2015, liberando uma onda gigante de lama que deixou 19 mortos

por Reuters
0 comentário

 A Advocacia-Geral da União (AGU) informou em comunicado à imprensa que pediu à Justiça Federal de Belo Horizonte nesta terça-feira o cumprimento provisório de sentença para obrigar Samarco, Vale (VALE3) e BHP a pagarem 79,6 bilhões de reais em um prazo de 15 dias referente a uma ação movida pelo rompimento de barragem em 2015.

No pedido, a União quer que, caso o valor não seja depositado em juízo no prazo, a Justiça determine o bloqueio de ativos financeiros das empresas.

Além disso, caso ainda não seja suficiente, pede outras restrições como penhora de ações com cotação em bolsa de valores, bloqueio de bens imóveis, bloqueio da distribuição de lucros e dividendos a acionistas, penhora de 5% do faturamento.

A AGU explicou que a petição foi apresentada no âmbito de ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal, na qual as companhias já foram condenadas ao pagamento de 47,6 bilhões de reais em danos morais coletivos — valor que, atualizado, alcança a cifra agora pleiteada pela AGU, segundo o órgão.

O rompimento de barragem da Samarco, joint venture da Vale com o grupo BHP, ocorreu em novembro de 2015, liberando uma onda gigante de lama que deixou 19 mortos, centenas de desabrigados, atingiu o rio Doce em toda a sua extensão até o mar do Espírito Santo, além de inúmeros outros impactos.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.