A Renda Fixa, de longe, é a preferida pela maioria dos investidores. E não é por menos. O motivo está fortemente associado aos riscos, que são baixos (embora eles existam).

Mas afinal o que é a Renda Fixa? Ela compreende um conjunto de tipos de investimentos que possuem algumas características similares entre si.

Vamos explorar as principais características, e fazer um breve paralelo com a Renda Variável, para melhor compreensão.

1. É um empréstimo

Quem investe em Renda Fixa, empresta o seu dinheiro e espera recebê-lo de volta com juros. São estes juros que geram a rentabilidade do investimento.

Este empréstimo é feito na grande maioria dos casos para pessoas jurídicas, como o governo ou os bancos, mas também podem ser feitos para pessoas físicas.

Já na Renda Variável, não há empréstimos envolvidos, mas sim a compra ou posse de um ativo (ações de empresas, imóveis, etc), onde esperamos que haja valorização.

Ebook gratuito recomendadoGuia Fácil sobre Tesouro Direto

2. É “fixa” porque são conhecidas as condições de retorno

Muita gente pensa que os investimentos em renda fixa recebem este nome porque os lucros envolvidos são sempre fixos. Isso não é verdade.

O que é fixo são as condições estabelecidas na negociação. Por exemplo, o Tesouro SELIC remunera ao ano, em valores brutos, a própria taxa SELIC. O que é fixo é esta condição, mas se a taxa SELIC diminuir ao longo do tempo, o valor financeiro a receber também diminui (não é fixo).

Na Renda Variável não há garantias ou condições conhecidas de retorno. Aliás, pode até acontecer o contrário, e haver prejuízos (ou em casos extremos, a perda total do ativo).

3. Possuem data de vencimento

Em geral os investimentos em Renda Fixa possuem um tempo determinado, ou seja, há um contrato que termina em algum momento.

Nesta data, aquilo que foi combinado é cumprido em sua totalidade, e caso você queira investir novamente, irá fazer um novo contrato, com um novo prazo de vencimento, mais adiante.

Podemos perceber isso, por exemplo, no próprio nome dos títulos públicos, como o Tesouro IPCA+ 2019. Este ano que aparece no final aponta para o ano de vencimento do título, e no momento da contratação, é sabida a data específica (com mês e dia).

Na Renda Variável, na grande maioria dos casos, não há datas de vencimento envolvidas, uma vez que você é o “dono” do ativo. Algumas poucas exceções existem, como por exemplo, a negociação de contratos futuros na bolsa de valores.

Webnário gratuito recomendado: Como identificar e se aproveitar das melhores oportunidades do universo da Renda Fixa

4. O retorno do investimento é limitado

Na Renda Fixa, as próprias condições contratuais estabelecem um teto de lucro, de remuneração. Com isso, ao investirmos na Renda Fixa, não devemos ter grandes expectativas de lucro.

Por outro lado, há uma compensação para essa limitação: os riscos envolvidos (basicamente de calote) são muito baixos. Por isso a renda fixa é indicada para investidores com perfil conservador (a grande maioria).

Na Renda Variável não há limites de ganhos (e nem de perdas). Uma ação de uma empresa pode quadruplicar de valor num curto espaço de tempo. Aliás, isso aconteceu com algumas ações na bolsa de valores no primeiro semestre de 2016.

Aprendendo mais

Voltando ao título deste texto, o que falta você saber sobre a Renda Fixa? Aprendeu coisas novas com estes pontos acima? Conhece todos os produtos financeiros?

Poupança, Tesouro Direto, CDB, RDB, LCI, LCA, LC, Debêntures, Operações Compromissadas, Fundos de Investimento, DPGE, CRA, LF e CRI.

E os outros temas relacionados? Dê uma olhada nestes aqui e avalie o quanto você já sabe e o que ainda precisa aprender:

Juros, tributação na Renda Fixa, produtos bancários, Debêntures, Fundos de Investimento, riscos na Renda Fixa (default, mercado, liquidez, inflação), comparação entre títulos e Fundos, alavancagem, operações especulativas, análise de curva de juros, etc.

Vídeo recomendado: Tesouro Direto: dúvidas práticas e respostas objetivas sobre como investir

Um convite final

Se você quiser saber mais sobre Renda Fixa, ou mesmo sanar algumas dúvidas específicas, você terá uma oportunidade para fazer isso.

Nesta quarta-feira, dia 28 de Setembro, eu e o André Massaro faremos um bate-papo online, ao vivo, onde poderá participar. Vamos explorar as melhores oportunidades de investimento dentro do universo da Renda Fixa.

Um evento legal, que ficará ainda melhor com a sua presença. Apenas uma observação: a quantidade de vagas é limitada devido à quantidade de acessos simultâneos na sala online.

Então, se você quiser participar, clique aqui para se inscrever e garantir a sua participação.

Com a iminente queda nos juros do nosso país, alguns produtos de renda fixa se tornarão muito interessantes. Aproveite para aprender sobre isso e muito mais! Um grande abraço e nos vemos lá!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários