Home Agronegócio Anec vê queda na exportação de soja do Brasil em fevereiro ante mesmo mês de 2023

Anec vê queda na exportação de soja do Brasil em fevereiro ante mesmo mês de 2023

Já a exportação de milho brasileiro foi estimada em 773.940 toneladas em fevereiro, versus 1,94 milhão de toneladas no mesmo mês em 2023

por Reuters
0 comentário

A exportação de soja do Brasil em fevereiro foi estimada nesta quarta-feira 7,3 milhões de toneladas, redução de 3,3% na comparação com o volume visto no mesmo mês do ano passado, de acordo com dados a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec).

A estimativa, se confirmada, indica que o Brasil pode triplicar o volume exportado na comparação com janeiro, quando a oferta da nova safra ainda era pequena.

A colheita de soja está adiantada no país, após a seca e o calor que quebraram parte da safra terem também encurtado o ciclo das lavouras.

A Anec admitiu a hipótese de os embarques de soja serem maiores do que os previstos, citando que a programação de navios indica mais de 10 milhões de toneladas para o mês.

Já a exportação de milho brasileiro foi estimada em 773.940 toneladas em fevereiro, versus 1,94 milhão de toneladas no mesmo mês em 2023.

Em janeiro, antes de os terminais mudarem para soja para aproveitarem a oferta da safra nova, a exportação do cereal somou 3,4 milhões de toneladas.

A exportação de farelo de soja do país deve alcançar 1,75 milhão de toneladas neste mês, ante 1,28 milhão no mesmo mês em 2023, indicando praticamente uma estabilidade versus janeiro, apontou a Anec.

A exportação de trigo brasileiro deve alcançar quase 500 mil toneladas, levemente abaixo do total do mesmo mês em 2023 e das 685 mil toneladas de janeiro, quando atingiram o maior volume em mais de um ano, segundo dados da Anec.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.