Devido aos desequilíbrios ambientais, espera-se para o ano seguinte outra elevação na temperatura e, muito provavelmente, novos períodos de estiagem com falta de água. Embora alguns não consigam ver a conexão entre energia elétrica e água, ambos estão diretamente relacionados.

No Brasil, a dependência da geração de energia elétrica por meio de hidrelétricas é muito alta. Atualmente, mais de 70% da energia gerada é fornecida por meio deste recurso e o restante ou é importado ou gerado por meio de termelétricas.

Você já deve conseguir visualizar que o Brasil gera energia limpa por meio das hidrelétricas. Mas a grande questão hoje é a sustentabilidade deste processo.

Desconsiderando os aspectos associados aos fatores ambientais, como por exemplo o que polui mais (se é a energia solar, energia eólica ou a hidrelétrica), a questão é que hoje dependemos da água para produzir energia.

Então, o que fazer em períodos de estiagem, como é muito comum no verão? Novos apagões? No verão passado recorremos ao uso das termelétricas para suportar a demanda de energia pela população, mas você deve saber que a geração de energia pelas termelétricas torna a energia mais cara e mais danosa ao meio ambiente.

Nunca se falou tanto no uso de outras energias limpas, como a energia solar e a energia eólica. A Alemanha lidera em termos de capacidade de energia solar instalada e é um país com baixíssimo nível de insolação se comparado com o Brasil.

Se escolher alternativas mais sustentáveis de energia é importante como projeto para o país, o que dizer das escolhas individuais no que diz respeito ao consumo? Vamos aprender e praticar a economia de energia elétrica e água?

Leitura recomendada: Você já poupou hoje? Economizar e investir não são luxos, comece agora!

Como economizar energia elétrica?

Recentemente, o governo anunciou mais um aumento na tarifa de energia elétrica. Assim, economizar é fundamental não só para o meio ambiente e sistema, mas também para o seu bolso.

Há diversas dicas para economizar energia e selecionei as principais:

  1. Substitua as lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou LED. Muitas pessoas já fazem isso, mas é sempre muito importante lembrar do gasto de uma simples lâmpada incandescente que é 8 vezes maior que a fluorescente;
  2. Chuveiro elétrico. Lembre-se que o chuveiro elétrico gasta muita energia, por isso a regra é desligar o chuveiro enquanto estiver se ensaboando e restringir o tempo total no banho;
  3. Opte por ambientes mais claros. Muitas pessoas hoje optam por construir residências com janelas mais amplas e estrategicamente localizadas para aproveitar ao máximo a luz do dia;
  4. Apague as luzes. Principalmente no caso de crianças pequenas, a preocupação é sempre a mesma: apagar a luz a cada vez que sair do quarto. Então, a regra é evite desperdícios com luz acesa sem ninguém no cômodo;
  5. Máquinas de lavar louça, lavar roupas e ferro de passar. Se você for lavar roupas, lembre-se de deixar acumular o limite da máquina para aproveitar a energia elétrica que será dispendida no uso. O mesmo princípio se aplica para o caso do ferro de passar roupas e da máquina de lavar louças;
  6. Aparelhos em standby. Se você for viajar, procure desligar os aparelhos que normalmente ficam em standby, pois a economia poderá ser muito boa dependendo dos dias que estiver fora.

Como economizar na água?

As dicas para economizar água são igualmente muito importantes e visam preparar você e sua família para criarem hábitos de consumo mais inteligentes diante da possibilidade de estiagem. Confira:

  1. Escovar os dentes. Você sabia que em somente 5 minutos com torneira aberta, gasta-se em média 15 litros de água? Então a regra é escovar os dentes na maior parte do tempo com a torneira desligada;
  2. Você sabia que o brasileiro gasta em um banho de 15 minutos uma média de 137 litros de água? Só para você entender ainda mais sobre o assunto, a ONU estabelece um consumo ideal diário de 110 litros (incluindo banho, escovação de dentes e etc.) por pessoa. Acredite, você consegue;
  3. Lavar a calçada e jardim. Hoje em dia não se pode mais lavar calçada com água e, por isso, use a vassoura. Quando isso não for possível, procure usar balde em que é possível controlar mais o uso da água. No caso do jardim, procure usar o regador no lugar da mangueira para regar as plantas;
  4. Lavar carros. Opte sempre pelo uso do balde no lugar da mangueira. Lembre-se que hoje em dia também há opções de lavagens ecológicas (com pouquíssimo uso de água) de carros e procure alguma disponível em sua região;
  5. Torneiras e descargas. Verifique sempre se há torneiras com vazamento ou mal fechadas e até mesmo se há vazamento de água nas descargas, pois isso poderá gerar um gasto muito elevado no final do mês;
  6. Você sabia que uma piscina descoberta pode ocasionar uma perda com evaporação em torno de 35% de água? Por isso, tente sempre cobrir a piscina quando não estiver utilizando para minimizar essa perda.

Leitura recomendada: 5 Maneiras de economizar e respeitar seu dinheiro

Existe mais alguma dica para economizar energia elétrica e água? Deixe seus comentários e se gostou, compartilhe com os amigos! Obrigado e até breve!

Foto “Save water”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários