O que é uma vida rica, plena e equilibrada para você? Falamos sempre que estes conceitos variam muito de pessoa para pessoa, não é mesmo?

Há alguns pontos, porém, que inegavelmente são fundamentais para que a vida de qualquer um de nós esteja bem equilibrada. No mundo ideal eles precisam ter pesos de certa forma semelhantes para que a balança da vida não penda demais para um lado ou outro, para que o nosso círculo diário, tal como uma pizza, fique preenchido perfeitamente e não com buracos que farão falta!

Vejamos estes pontos: saúde física, saúde mental e espiritual, saúde financeira e relacionamentos.

Pense que sempre que um deles não vai bem, os outros acabam de certa forma sendo afetados também. E sempre que nos dedicamos demais a um só deles, acabamos negligenciando um pouco todos os outros. Complicado, né?

Mas calma que dá para equilibrar um pouco melhor!  Te convido a usar estes próximos minutos para pensar em como você tem cuidado destas partes tão importantes, ok?

1ª Fatia: Saúde física

A saúde física é a base para todo o resto na vida. Podemos ter dinheiro, amigos, diversas possibilidades a escolher, mas se estivermos com a saúde debilitada nada disso será suficiente para preencher o restante.

É importante, portanto, que façamos um exame de consciência agora para saber o quanto temos cuidado de nossa saúde física. Isso significa especialmente adotar uma alimentação mais saudável, realizar exames de rotina e praticar exercícios físicos.

Você já conseguiu inserir algo simples como uma caminhada em seu dia a dia? Conseguiu se organizar para dormir uma quantidade mínima de horas por noite? Começou a tentar parar de fumar?

Caso ainda não tenha alcançado estas metas, que tal começar já? Não há pessoas bem sucedidas que estejam prontas para gozar do sucesso adquirido sem que exista um tempo mínimo para cuidar da saúde, caso contrário o que vemos são aqueles exemplos de executivos e empresários sempre prestes a ter uma síncope, um surto emocional e físico. Para que você possa aproveitar ao máximo as tantas riquezas que a vida lhe possibilita, comece já  a fazer escolhas melhores nesta área, combinado?

2ª Fatia: Saúde mental e espiritual

A saúde mental e a saúde física são quase “irmãs siamesas que dividem órgãos importantes”. Uma depende da outra para continuar bem!

A forma como cuidamos de nossos pensamentos acaba gerando reflexos comprovados cientificamente para nossos corpos, portanto, é fundamental cuidar bem do que pensamos, cultivar boas ideias, nos afastar ao máximo de notícias negativas e de pessoas tóxicas. Muitas das pessoas  bem sucedidos adotam práticas como a meditação, fazem exercícios de auto-conhecimento constantes, e acreditam que há muito mais do que um mundo físico que precisa ser cuidado. Independente do que você acredite, é fundamental entender que não somos apenas aquilo que conseguimos ver.

Tudo aquilo que temos internamente, como pensamentos, energias e crenças, responde por uma fatia imensamente importante em nosso círculo da vida.

3ª Fatia: Saúde financeira

OK, como você está aqui no Dinheirama, muito provavelmente se preocupa em entender um pouco mais de educação financeira, o que já é um passo incrível para conquistar uma boa saúde financeira. E por que esta parte é tão importante quanto a saúde física ou mental? Simplesmente porque é impossível ficar equilibrado e tranquilo quando há problemas financeiros nos preocupando.

Mais do que conquistar riqueza ou multiplicar investimentos, este ponto se relaciona a questões básicas que muita gente ainda não consegue resolver, como gastar menos do que ganha, não ter um padrão de vida superior ao que pode manter, não fazer dívidas sem sentido, poupar para uma reserva de emergência.

Veja que são pontos básicos, mas infelizmente na maior parte das escolas eles ainda não são ensinados. E nem em casa, quando os pais ou tutores não os aprenderam durante a vida. E como podem fazer diferença no equilíbrio de uma família! Portanto, se com relação a esta parte, você já conquistou certo conhecimento, que tal aproveitar e repassá-lo a quem ainda não conseguiu?

4ª Fatia: Relacionamentos

Finalmente, vamos falar da última parte do círculo da vida: relacionamentos. As pessoas com quem nos relacionamos são responsáveis por muito do que vivemos.

Desde que éramos crianças, aprendemos uma série de coisas com nossos pais que carregamos até hoje no inconsciente. E dependendo das pessoas com quem convivemos, tendemos a ver a vida de formas tão diferentes que chega a ser inacreditável! Já falamos de contágio social financeiro, já falamos de relações tóxicas, já falamos de formas diferentes de lidar com as mesmas questões, de fazer planos, de usar o tempo.

Todos estes pontos têm a ver com relacionamentos, pois dependendo de quem tivermos ao lado de forma constante, tenderemos a pender mais para um lado ou para outro.

Procure, portanto, escolher melhor com quem conviver, ter mais discernimento de quem deve ouvir ou apenas ignorar, procurar quem venceu batalhas que você enfrenta hoje ou chegou onde você gostaria de estar.

Foque em exemplos positivos! Você vai ver que daqui um tempo isso fará toda a diferença. Vamos juntos neste aprendizado?

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários