Home Economia e Política Atividade empresarial dos EUA acelera em junho, mostra PMI

Atividade empresarial dos EUA acelera em junho, mostra PMI

A perda de ímpeto, juntamente com a diminuição das pressões inflacionárias, está mantendo em discussão um corte nos juros este ano.

por Reuters
3 min leitura

A atividade empresarial dos Estados Unidos atingiu a máxima em 26 meses em junho em meio a uma recuperação no nível de emprego, mas as pressões dos preços diminuíram consideravelmente, oferecendo esperança de que a recente desaceleração da inflação possa ser sustentada.

A S&P Global disse nesta sexta-feira que seu Índice de Gerentes de Compras (PMI) Composto dos EUA, que acompanha os setores de manufatura e serviços, subiu para 54,6 neste mês.

Esse foi o nível mais alto desde abril de 2022 e seguiu-se a uma leitura final de 54,5 em maio. Resultado acima de 50 indica expansão no setor privado. Tanto o setor de serviços quanto o de manufatura contribuíram para o ganho de atividade.

A leitura elevada do PMI Composto sugere que a economia encerrou o segundo trimestre de forma sólida. No entanto, outros dados mostram um quadro diferente. As vendas no varejo quase não aumentaram em maio, depois de terem caído em abril, enquanto a construção de moradias ampliou o declínio, atingindo o nível mais baixo em quase quatro anos em maio.

A economia está desacelerando após aumentos totais de 525 pontos-base na taxa de juros pelo Federal Reserve desde 2022 para controlar a inflação.

A perda de ímpeto, juntamente com a diminuição das pressões inflacionárias, está mantendo em discussão um corte nos juros este ano.

O banco central dos EUA tem mantido sua taxa de juros de referência na faixa atual de 5,25% a 5,50% desde julho passado.

A medida da pesquisa da S&P Global sobre novos pedidos recebidos por empresas privadas aumentou para 53,4 neste mês, em comparação com 51,7 em maio.

A medida de emprego aumentou pela primeira vez em três meses, em meio ao que a S&P Global disse ser uma “melhora na confiança das empresas para o próximo ano”, bem como uma “pressão renovada sobre a capacidade operacional devido ao aumento da demanda”.

O ritmo de aumento nos preços de insumos diminuiu, assim como a taxa na qual as empresas estão aumentando os preços de bens e serviços.

A medida dos preços pagos pelos insumos caiu para 56,6, de 57,2 em maio. O indicador de preços de produtos caiu para o menor nível de cinco meses de 53,5, de 54,3 em maio.

A moderação ocorreu tanto no setor manufatureiro quanto no de serviços, onde o aumento foi um dos mais lentos dos últimos quatro anos.

“As comparações históricas indicam que o declínio mais recente coloca o indicador de preços da pesquisa em linha com a meta de inflação de 2% do Fed”, disse Chris Williamson, economista-chefe de negócios da S&P Global Market Intelligence.

O PMI preliminar de manufatura subiu de 51,3 em maio para 51,7 neste mês. Economistas consultados pela Reuters previram que o índice do setor, que responde por 10,4% da economia, cairia para 51.

Já o PMI preliminar de serviços aumentou para 55,1, um recorde de 26 meses, de 54,8 em maio e expectativa de 53,7.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.