dinheirama-post-aumenta-numero-milionarios-poupancaApesar de ser um investimento considerado seguro, fácil e oferecer isenção de Imposto de Renda, a poupança não é recomendável como aplicação de longo prazo, pois ela não rende tanto quando comparada com outras alternativas de investimento.

Ainda assim, há quem tenha muito dinheiro guardado na caderneta. Em 2012, foram registrados 8.556 milionários na poupança, enquanto em 2008 eram “apenas” 3.822. Os números são do FGC (Fundo Garantidor de Créditos).

Mas, vale a pena deixar tanto dinheiro na poupança?

De acordo com Mauro Calil, educador financeiro da Academia do Dinheiro, deixar muito dinheiro na poupança só faz sentido se esse capital tiver objetivo no curtíssimo prazo. “Alguém que vendeu um imóvel e recebeu uma quantia alta, de R$ 1 milhão, e pretende utilizar esse valor em breve para comprar um novo imóvel, pode deixá-lo na poupança”, ele diz.

Veja o infográfico da Folha abaixo comparando os números:

infografico folha

Em termos de rentabilidade, a poupança é interessante?

Pelas regras atuais, depósitos feitos na caderneta a partir de 4 de maio de 2012 rendem 70% do juro básico (taxa Selic) mais TR (Taxa Referencial) sempre que a Selic for menor ou igual a 8,5% ao ano. Já as aplicações anteriores a essa data rendem 0,5% ao mês mais TR.

Na avaliação de Marcia Dessen, planejadora financeira e colunista da Folha, para quantias acima de R$ 1 milhão é relativamente fácil encontrar opções melhores que a poupança.

“Quem tem R$ 1 milhão certamente vai conseguir uma rentabilidade maior em outros investimentos. Poderia, por exemplo, aplicar em LFTs (Letras Financeiras do Tesouro). Iria pagar IR e taxa de corretagem, mas, mesmo assim, colocaria mais dinheiro no bolso”, afirma Marcia.

Para ela, o que pesa na hora de o investidor escolher a caderneta de poupança – mesmo sabendo que seu rendimento poderia ser um pouco maior em outras aplicações – é a comodidade.

“Ele se sente mais seguro na poupança, pela simplicidade operacional”, diz. “Além disso, a caderneta é um investimento de elevada liquidez – ou seja, o investidor consegue resgatar o dinheiro a qualquer momento, sem custo e sem cobrança de Imposto de Renda“, acrescenta a especialista.

Se quiser saber mais, leia o texto completo clicando aqui e acessando a Folha. Se você tivesse R$ 1 milhão ou mais, deixaria essa grana na caderneta de poupança ou buscaria alternativas de investimento mais interessantes? Por quê? Vamos enriquecer o debate com nossas opiniões no espaço de comentários abaixo.

Foto micro piggy bank, Shutterstock.

Igor Oliveira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários