Você já sabe o que é volatilidade? Ela permite a todos nós conhecer a força dos movimentos ou das variações da cotação de um ativo em um determinado período. Aqui, no nosso caso, entenda ativo como uma ação de uma empresa listada na bolsa de valores, mas a volatilidade pode agir sobre outros ativos também, como títulos públicos com componentes pré-fixados, por exemplo.

Com maior frequência, a volatilidade é calculada diariamente, mas esse período de análise pode variar em função do tipo de mercado que está sendo estudado.

A volatilidade permite obter informações sobre a estabilidade ou, do contrário, a instabilidade de um mercado. Sabemos, por outro lado, que quanto maior a volatilidade, maior amplitude terão as movimentações dos ativos. Portanto, é mais interessante negociar durante os períodos mais voláteis, e nesses períodos as análises gráficas do comportamento das ações na bolsa de valores ficam mais complexas.

Em resumo: volatilidade = variação no preço das ações

A volatilidade atual é a maior dos últimos tempos?

A volatilidade atual é considerada alta, e atinge patamares de topos anteriores, mas ainda longe de ser parecida com a volatilidade que tivemos no auge da crise subprime (no final de 2008 e início de 2009) conforme vemos no gráfico abaixo.

Como a imagem fica pequena aqui no site, no eixo horizontal temos o período analisado, que começa em Mar/05 e termina em Mar/16. O círculo em destaque ocorre entre Set/08 e Abr/09.

Aumento da volatilidade favorece investidores

A causa dessa maior volatilidade foi a melhora de humor dos investidores com a expectativa de mudança política após a depreciação dos ativos brasileiros apresentada nos últimos anos, decorrente da crise política e financeira, enquanto nos EUA seus índices apresentaram alta no mesmo período (2010 – 2015).

Assim, com os ativos sobrevendidos (preços abaixo de seu valor) e um humor mais otimista, presenciamos um apetite dos investidores em relação aos ativos brasileiros, o que resultou no aumento da volatilidade.

Quem se beneficia disso?

O investidor de longo prazo é beneficiado, pois vemos nos estudos feitos pelas análises técnicas (ou gráficas) que há sinais de reversão de tendência nos ativos que vinham em forte queda, resultando em oportunidades.

Já para o especulador também há benefícios, com ótimas oportunidades em fortes movimentos bem técnicos para operações intra-diárias (chamadas de Day Trade) e também para posições de curto prazo (chamadas de Swing Trade).

Os gráficos mostraram sinais de compra?

Sim, tivemos um forte sinal de reversão, que foi um “retângulo”, também chamado de range ou box, que rompeu para cima na análise gráfica do índice Bovespa e também nas análises de várias ações de empresas importantes.

Gráfico diário do Ibovespa (destaque para o retângulo que rompeu para cima):

Aumento da volatilidade favorece investidores

Gráfico diário da Petrobras PN (destaque para o retângulo que rompeu para cima):

Aumento da volatilidade favorece investidores

Gráfico diário do Bradesco PN (destaque para o retângulo que rompeu para cima):

Aumento da volatilidade favorece investidores

No momento que tivemos o “retângulo” rompendo para cima, eu informei ao vivo os participantes do programa Ponto a Ponto para acionarem suas compras. Ponto a Ponto é um programa ao vivo que reúne investidores em ações e traders. Acompanhe você também e tenha aulas diárias e gratuitas em tempo real, acompanhando o mercado. Basta se cadastrar no site da corretora Rico clicando aqui.

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “trading”, Shutterstock.

Leandro Martins
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários