Home Economia e Política Autoridades de EUA e França estão no Oriente Médio e buscam conter guerra em Gaza

Autoridades de EUA e França estão no Oriente Médio e buscam conter guerra em Gaza

Blinken chegou à Arábia Saudita na segunda-feira, a primeira parada de uma viagem mais ampla ao Oriente Médio

por Reuters
0 comentário

O ministro das Relações Exteriores da França, Stéphane Séjourné, disse nesta segunda-feira que as conversações sobre um cessar-fogo em Gaza estavam progredindo, enquanto ele se juntava ao secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, na Arábia Saudita, em um esforço diplomático para aliviar a guerra entre Israel e o Hamas.

Séjourné deve manter conversações em Riad com ministros de países árabes e de outros países ocidentais, bem como com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

“As coisas estão avançando, mas sempre é preciso ter cuidado nessas discussões e negociações. A situação em Gaza é catastrófica e precisamos de um cessar-fogo”, disse Séjourné à Reuters, à margem de uma reunião do Fórum Econômico Mundial.

“Discutiremos os reféns, a situação humanitária e o cessar-fogo. As coisas estão progredindo, mas precisamos sempre manter a prudência nessas discussões e negociações.”

APRENDA COMO MULTIPLICAR E PROTEGER SEU CAPITAL INVESTIDO POR MEIO DAS CRIPTOMOEDAS E ACELERE A SUA JORNADA RUMO À LIBERDADE FINANCEIRA

Blinken chegou à Arábia Saudita na segunda-feira, a primeira parada de uma viagem mais ampla ao Oriente Médio.

Os combatentes do Hamas atacaram Israel em 7 de outubro, matando 1.200 pessoas e fazendo 253 reféns, de acordo com os registros israelenses.

Israel retaliou impondo um cerco total a Gaza e, em seguida, montando um ataque aéreo e terrestre que matou mais de 34.000 palestinos, segundo as autoridades de saúde em Gaza, governada pelo Hamas.

Os palestinos têm sofrido com a grave escassez de alimentos, combustível e medicamentos em uma crise humanitária que acompanhou a ofensiva militar israelense que demoliu grande parte da faixa empobrecida.

Destruição em Gaza durante ofensiva de Israel (Imagem: REUTERS/Dawoud Abu Alkas)
Destruição em Gaza durante ofensiva de Israel (Imagem: REUTERS/Dawoud Abu Alkas)

Blinken, falando na abertura de uma reunião com os Estados árabes do Golfo, disse que a maneira mais eficaz de lidar com a crise humanitária e criar espaço para uma solução mais duradoura é obter um cessar-fogo que permita a libertação dos reféns mantidos pelo Hamas.

“Ainda precisamos conseguir mais ajuda para Gaza e seus arredores…Temos que encontrar mais eficiência”, disse ele.

Em Riad, Blinken deve discutir com os ministros das Relações Exteriores árabes como será a governança da Faixa de Gaza após o fim da guerra entre Israel e Hamas, de acordo com um autoridade de alto escalão do Departamento de Estado.

Blinken também deve reunir países árabes e europeus e discutir como a Europa pode ajudar nos esforços de reconstrução da Faixa de Gaza, que foi reduzida a ruínas em um bombardeio israelense que já dura seis meses.

O primeiro-ministro da Jordânia, Bisher al Khasawneh, disse que todas as partes precisam encontrar um caminho para uma solução de dois Estados para o conflito ou o Oriente Médio corre o risco de outra catástrofe.

“O que temos que ver é um caminho irreversível para a realização de uma solução de dois Estados… para que não estejamos nessa situação novamente em alguns anos e arrastemos a região e talvez o mundo inteiro para uma tensão ainda maior e coloquemos em risco a paz e a segurança globais”, disse ele em Riad.

Ataques aéreos israelenses em três casas na cidade de Rafah, no sul de Gaza, mataram pelo menos 20 palestinos e feriram muitos outros, disseram médicos nesta segunda-feira, quando mediadores de Egito e Catar eram esperados para realizar uma nova rodada de negociações de cessar-fogo com líderes do Hamas no Cairo.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.