Home Empresas Barclays trabalha em plano de custos de US$ 1,25 bi e pode cortar até 2.000 empregos, diz fonte

Barclays trabalha em plano de custos de US$ 1,25 bi e pode cortar até 2.000 empregos, diz fonte

O Barclays tem se esforçado para reduzir as despesas nos últimos anos

por Reuters
3 min leitura

O Barclays está trabalhando em planos para economizar até 1 bilhão de libras (1,25 bilhão de dólares), o que pode envolver o corte de até 2.000 empregos, principalmente na área administrativa do banco britânico, disse à Reuters uma fonte com conhecimento direto das propostas.

Os gerentes do Barclays, liderados pelo presidente-executivo C.S. Venkatakrishnan, conhecido no banco como Venkat, estão analisando propostas para aumentar sua lucratividade.

Como parte dessas propostas, de 1.500 a 2.000 empregos poderiam ser cortados se implementados em sua totalidade, disse a fonte.

Um porta-voz do Barclays não quis comentar nesta quinta-feira.

Os cortes potenciais seriam principalmente no Barclays Execution Services, conhecido internamente como “BX”, e fariam parte de uma meta geral de redução de despesas de até 1 bilhão de libras em todo o grupo ao longo de vários anos, acrescentou a fonte.

O Barclays tem se esforçado para reduzir as despesas nos últimos anos, cortando bônus, bem como empregos em suas unidades de varejo e de banco de investimento, mas os movimentos para reduzir o BX e as economias potenciais não foram relatados anteriormente.

A meta de economia de custos de 1 bilhão de libras do Barclays representaria cerca de 7% das despesas operacionais anuais subjacentes do banco, de 15 bilhões de libras em 2022.

As discussões sobre o número de funcionários do BX estão em andamento e o Barclays poderia decidir priorizar demissões em outras áreas, disse a fonte.

Barclays
(Imagem: REUTERS/Stefan Wermuth)

Venkat está sob pressão para encontrar maneiras de aumentar o valor contábil em queda do Barclays antes de uma apresentação aos investidores em fevereiro, quando ele revelará uma nova estratégia.

O veterano executivo tem enfrentado uma batalha prolongada para manter o moral do banco de investimentos do Barclays, onde o êxodo de talentos está prejudicando as tentativas de competir com rivais europeus como o Deutsche Bank, o BNP Paribas e o UBS.

O preço das ações do Barclays caíram 26% desde que Venkat assumiu o comando em 1º de novembro de 2021, enquanto os papéis do Deutsche tinha poucas mudanças e os do HSBC ganhavam 37%.

Venkat sinalizou em 23 de outubro que o Barclays embarcaria em uma nova reestruturação em preparação para sua apresentação em 20 de fevereiro, que é vista como uma oportunidade fundamental para o banco convencer acionistas de que tem um plano para elevar sua avaliação.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.