Home Empresas Bezos contrata veterano da Amazon para acelerar empresa espacial Blue Origin

Bezos contrata veterano da Amazon para acelerar empresa espacial Blue Origin

Bezos trocou os líderes mais importantes da Blue Origin e reorganizou suas unidades de negócios para tirá-la de um impasse de desenvolvimento

por Reuters
0 comentário

Um veterano da Amazon (AMZN; AMZO34) escolhido por Jeff Bezos para liderar a Blue Origin pretende usar o manual da gigante do comércio eletrônico para dar à empresa de lançamento de foguetes um impulso extremamente necessário contra a SpaceX, de Elon Musk.

As principais prioridades de Dave Limp, que liderou a lucrativa unidade de dispositivos da Amazon, incluem a aceleração do desenvolvimento do foguete New Glenn, da Blue Origin, que já passou por diversos adiamentos, e a produção do potente motor BE-4, de acordo com dois funcionários que participaram da reunião do novo presidente-executivo com toda a empresa neste mês.

Fazendo comparações com o foco centrado no cliente da Amazon, Limp enfatizou a importância de cumprir os prazos do cronograma, disseram os funcionários. Limp também sugeriu um foco maior na integração de software e inteligência artificial na fabricação.

A Blue Origin se recusou a disponibilizar Limp para uma entrevista e não respondeu pedido de comentários. Em seu primeiro dia de trabalho, em 4 de dezembro, Limp disse em uma publicação no LinkedIn que estava “animado para começar”.

Limp é visto como um assistente de confiança de Bezos, capaz de ajudar a impulsionar a Blue Origin nos estágios finais e complexos do desenvolvimento do foguete de carga pesada New Glenn e o principal desafio para o Falcon 9, dominante, da SpaceX.

O tempo está passando enquanto os clientes, como a unidade de internet via satélite da Amazon, a Kuiper, esperam para voar no New Glenn, o que é fundamental para que a Blue Origin gere uma receita significativa.

“A Blue Origin precisa ser muito mais rápida, e esse é um dos motivos pelos quais deixei meu cargo de presidente-executivo da Amazon há alguns anos”, disse Bezos na semana passada ao podcaster Lex Fridman.

Bezos trocou os líderes mais importantes da Blue Origin e reorganizou suas unidades de negócios para tirá-la de um impasse de desenvolvimento que existe desde que ele instalou um novo presidente-executivo na empresa em 2017.

Pegada

Embora ainda não tenha alcançado a órbita, a pegada da Blue Origin no setor é vasta. Limp também supervisionará os planos de construção de um módulo de pouso lunar para a Nasa, uma estação espacial orbital e um negócio centrado em satélites manobráveis de manutenção e reabastecimento.

O executivo também liderará o reinício do negócio de pesquisa e turismo espacial suborbital da Blue Origin, à medida que seu único foguete ativo, o pequeno e reutilizável New Shepard, voltar a voar após 15 meses de paralisação.

(Imagem: Reprodução/X´s/@blueorigin)
(Imagem: Reprodução/X´s/@blueorigin)

Limp, que também trabalhou na Apple por quase uma década, traz uma cara nova onde a popularidade do antigo presidente-executivo da Blue Origin diminuiu entre a equipe, segundo vários funcionários atuais e antigos.

O antecessor de Limp, Bob Smith, supervisionou o início da campanha de lançamento da New Shepard, que enviou o próprio Bezos ao espaço em 2021. Smith também liderou a Blue Origin em uma batalha legal para ganhar seu contrato multibilionário de pouso na Lua com a Nasa.

Mas os atrasos crescentes do New Glenn e seu motor BE-4 estimularam em grande parte a mudança de líderes, disseram vários funcionários. Smith não foi encontrado para comentar o assunto.

Na órbita da Terra, a pressão da concorrência está aumentando. A SpaceX lançou vários astronautas e quase 100 missões em órbita este ano com o Falcon 9. Musk está prometendo dominar o mercado global de lançamentos com viagens mais baratas ao espaço na nave Starship, que é totalmente reutilizável.

E a Nasa está pressionando por velocidade em seu programa lunar Artemis, no qual o conceito de módulo de pouso lunar da Blue Origin será usado em uma segunda viagem de astronautas dos Estados Unidos à superfície da Lua.

“Eles precisam se organizar, precisam entregar”, disse George Sowers, consultor do setor espacial que trabalhou com a Blue Origin como executivo da United Launch Alliance (ULA), uma joint venture da Boeing e da Lockheed Martin.

“Eles têm se dado ao luxo de não precisar lucrar para sobreviver, porque Bezos os tem financiado”, disse Sowers. “Mas esse não é um modelo sustentável.”

A Blue Origin está vendendo motores BE-4 para a ULA, uma rival que há muito tempo domina o mercado de lançamento de satélites do Pentágono para o espaço. A ULA depende de entregas pontuais do BE-4 para seu foguete Vulcan, de próxima geração.

A Blue Origin pode estar interessada em comprar a ULA. A empresa já manifestou interesse em um acordo desse tipo no passado, de acordo com duas fontes familiarizadas com o assunto. O Wall Street Journal publicou nesta quinta-feira que a Blue Origin, a empresa de capital privado Cerberus e a Textron demonstraram interesse na aquisição.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.