No dia 25 de novembro de 2016, acontecerá mais uma Black Friday no Brasil.

Com um começo bastante tímido em 2010, esta se tornou uma das principais datas do comércio brasileiro. Neste ano a estimativa é que as vendas atinjam R$ 2,1 bilhões (30% de crescimento), de acordo com o estudo da E-Bit.

Preços atraentes

O grande atrativo da Black Friday são os descontos. É possível encontrar corte de todos os níveis nos preços: -10%, -20%, -40%…

E quem não quer comprar produtos e serviços por valores mais baixos? Além disso, o período do ano não poderia ser mais propício: é época de receber o 13º salario, é próximo do Natal…

Mas nem tudo são flores. Muitos problemas e fraudes ocorrem nas vendas dessa data:

  • Lojas virtuais falsas: fraudadores criam lojas falsas e atraem as vítimas anunciando grandes descontos. Realizar compras nesses sites é pagar por algo que nunca será entregue.
  • Maquiagem de desconto: a loja aumenta o preço dos produtos semanas antes e, no dia da promoção, oferece um desconto que pouco ou nada reduz o preço verdadeiro da mercadoria.
  • Aumento de preços na finalização da compra: ocorre nos casos em que o preço apresentado na etapa de pagamento do pedido é maior que aquele apresentado no momento em que os produtos / serviços foram selecionados.
  • Atrasos na entrega: por falta de organização, existem muitas lojas que se perdem em relação ao estoque e vendem mais do que têm, gerando atrasos em relação à data de entrega.

Para ajudar você a evitar dores de cabeça, listamos a seguir uma série de cuidados a serem tomados para não levar gato por lebre.

Palestras gratuitas recomendadas: Finanças pessoais e empreendedorismo, com Conrado Navarro, Gustavo Cerbasi, João Kepler, Leandro Martins e outros convidados

1. Compre apenas em lojas confiáveis

Antes de realizar compras em uma loja virtual, é essencial avaliar sua reputação. Ao comprar em lojas sem credibilidade você terá grandes chances de terminar em prejuízo.

Se você já conhece a loja e confia nela, ok. Caso não conheça, você pode buscar referências de pessoas que você conhece e de outras fontes importantes:

  • PROCON;
  • Reclame aqui;
  • Sites de busca de produtos, que geralmente possuem alguma classificação das lojas;
  • Receita Federal, onde é possível verificar a situação cadastral da empresa junto a Receita. Confira se a loja está ativa.

Para facilitar a análise dos e-commerces, o PROCON-SP disponibiliza uma página na internet com uma lista de sites que devem ser evitados.

Ao entrar em um e-commerce, é possível verificar rapidamente alguns sinais que podem indicar problemas:

  • Veja se os dados da loja estão disponíveis no site: contato (telefones e e-mails), CNPJ, razão social, endereço. Desconfie das lojas em que não deixam essas informações visíveis ou que os números de telefone sejam apenas de celular ou endereços de e-mail de provedores gratuitos.
  • Analise as formas de pagamento: se estiverem disponíveis apenas transferência em conta ou boleto, desconfie. Esses meios de pagamento não permitem qualquer tipo de estorno e, por esse motivo, são os preferidos dos fraudadores.

2. Cuidado com os grandes descontos

Se você recebeu uma mega oferta por e-mail ou por outros meios, redobre a atenção. Avalie a reputação da loja. Verifique se o endereço URL da loja é verdadeiro.

Em muitos casos, o fraudador replica de forma bastante real o formato de e-mail de uma loja idônea e coloca endereços falsos nos links do e-mail. Ao clicar nesses links, você é redirecionado para um site falso cujo objetivo é realizar vendas falsas e obter seus dados.

3. Pesquise os preços

Para não cair em golpes de maquiagem de desconto, analise o histórico de preços do produto em questão. Você pode avaliar esse histórico em sites de busca de produtos, que exibem a trajetória de preços de forma gráfica.

4. Confira as condições de pagamento

Na pressa de conseguir fechar um bom negócio, muitas vezes deixamos de conferir dados básicos como as condições da venda e/ou o preço final. Devido à falha no site, ou até mesmo má fé, algumas lojas aumentam o preço no momento de efetivar o pagamento.

Por esse motivo, sempre verifique se o preço que está sendo exibido na etapa de pagamento do pedido é o mesmo do momento em que você selecionou o produto.

Leitura recomendadaBlack Friday: cuidados e dicas para aproveitar os descontos

5. Avalie o histórico de pontualidade da loja

No momento em que estiver avaliando a reputação da loja, veja também se existem reclamações em relação à pontualidade da entrega.

6. Guarde os comprovantes da compra

Salve / imprima todos os comprovantes da compra e guarde-os. Em caso de problemas, esses documentos serão requisitados.

Em caso de problemas

Caso tenha algum problema com as compras:

  • Faça um boletim de ocorrência (BO) na delegacia;
  • Procure o PROCON de sua cidade para buscar orientações e a resolução de seu caso.

Se quiser mais algumas dicas, confira esta entrevista (clique aqui) que concedi ao Dinheirama. Um grande abraço e até a próxima!

William Hiroshi Sato
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários