Poupança - Importante para o futuro!Élcio comenta: “Navarro, faço uso de diversas planilhas Excel™ e simuladores disponíveis no Dinheirama, mas confesso que ainda não me habituei com as complexas ferramentas de orçamento. A verdade é que me encontro em uma fase de começar a digerir minhas finanças e ter uma visão mais macro de tudo que recebo, gasto e tenho que pagar. Alguma forma de começar que seja mais simples que as planilhas de orçamento? Posso começar com papel e caneta e ir migrando aos poucos para o computador? Obrigado.”

Élcio, obrigado pela visita. Sua opinião e suas dúvidas me fazem lembrar os muitos casos de pessoas que, dada a aparente complexidade de conhecimento necessária para gerir seu dinheiro[bb], simplesmente desistem e culpam os “complicados materiais” encontrados nos livros e sites da internet. Sua mensagem é diferente e, por isso, especial. Encontrar uma justificativa para não se mexer não é a saída e sua abordagem me convenceu a exercitar um pouco melhor a forma de abordar as receitas e despesas. Criei alguns exercícios que simplificam o começo de qualquer orçamento doméstico e facilitam a análise da situação real de seu padrão de vida.

Mantendo a simplicidade
Para criar sua ferramenta de orçamento doméstico basta usar uma folha de caderno para relacionar o que você ganha com seu trabalho (salário, bicos, renda extra etc) e suas despesas (dívidas, despesas fixas mensais, gastos do dia-a-dia etc) e então verificar, através dos resultados finais, qual é o seu padrão de vida e as consequencias das suas decisões financeiras. Mais simples? Impossível.

O segredo está mais concentrado no hábito de se proceder a este levantamento mês a mês e na constante análise do orçamento[bb] do que na ferramenta propriamente dita. Você vai ver como é fácil e logo vai querer criar seu próprio modelo. Para começarmos é essencial saber se o seu padrão de vida atual é compatível com sua renda e se a vida de sua família cabe no orçamento familiar. Para isso, proponho que você faça um exercício muito simples:

Exercício 1 – Diagnosticando seu padrão de vida

  1. Anote do lado direito de uma folha de papel tudo o que você e sua família recebem. Lembre-se de anotar tudo o que todos os que participam das despesas familiares recebem e suas respectivas datas de recebimento;
  2. Do lado esquerdo, anote todas as despesas com as respectivas datas de pagamentos e vencimentos no mês;
  3. Faça algumas contas muito simples, somando todas as entradas e subtraindo tudo o que deve ser pago e veja se o que entra é suficiente.

Que tal? Não é simples? Se sua renda for suficiente para quitar suas despesas e dívidas e ainda sobrar alguma coisa, ótimo. Isso é sinal que você pode transformar seu universo financeiro muito antes do que imagina. Caso não seja, não desanime e passe para o exercício seguinte. Acreditar que sempre há um saída também é parte do exercício diário de melhorar suas finanças[bb], certo?

Exercício 2 – Dando vida ao orçamento

  1. Preste bastante atenção no que você anotou e sublinhe em vermelho o que você mesmo considera supérfluo e que, assim, pode ser definitivamente eliminado de suas despesas fixas. Dedique o tempo que for necessário para que esta tarefa seja bem feita e reflita a realidade. Seja sincero;
  2. Sublinhe em preto o que você gostaria de manter, mas que poderia eliminar pelo menos temporariamente.

Com este segundo exercício você localizou os pontos de melhoria de seu orçamento. Agora, usando as anotações resultantes deste segundo exercício, é hora de repetir o primeiro exercício. Desta vez, anote todas as receitas e as despesas que não foram sublinhadas. Faça novamente as contas e veja se agora o dinheiro que entra dá para pagar as contas realmente necessárias. É provável que sim. Isso significa que, com um pouco de dedicação e esforço, você pode dar vida ao corte daquelas despesas supérfluas e dos possíveis gastos desnecessários encontrados em suas anotações.

Simples o suficiente?
Se mesmo depois destes rápidos exercícios, ainda continuarem sobrando contas no fim do mês, seu padrão de vida é muito, mas muito mais alto do que você pode realmente aguentar. Isso significa que você tem, urgentemente, que praticar o desafio proposto por estes exercícios, reduzir seus gastos e(ou) aumentar seus ganhos. Tudo isso parece impossível? Então está na hora de aprender a viver dentro da realidade, o que não é nada ruim se você tiver força de vontade e realmente quiser construir patrimônio para sua família.

Leia mais sobre finanças da aqui no próprio Dinheirama, acessando a categoria Orçamento. Aproveite e confira também estas outras ferramentas interessantes:

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Excel™ é uma marca registrada da empresa Microsoft®.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários