Exigências da FIFA para a Copa 2014 sob a ótica do cidadãoA FIFA quer a suspensão do CDC (Código de Defesa do Consumidor) e do Estatuto do Idoso durante a Copa de 2014. Até aqui nenhuma grande novidade, já que a chamada do título pôde ser vista em vários meios de comunicação durante a semana passada. O que realmente interessa é o que vamos ler e ver nos jornais daqui pra frente. E aí, caro leitor, para que as notícias sejam favoráveis ao povo brasileiro, todos nós precisaremos nos envolver.

Esta é uma guerra de braço que não pode ficar apenas entre Governo e FIFA. Nós, cidadãos brasileiros, eleitores, torcedores, filhos da pátria amada Brasil, a terra do samba e do futebol, temos o dever de mostrar a essas pessoas que neste país tropical, “abençoado por Deus e bonito por natureza”, quem manda somos nós!

Sou absolutamente leiga no que se refere à legislação e relações internacionais, mas do meu ponto de vista, o pedido da FIFA deveria ser tratado como um incidente diplomático. Afinal, a entidade pede a revogação de dois instrumentos de proteção ao consumidor que nunca, em circunstância alguma, foram revogados ou suspensos, nem temporariamente.

E tem mais: mesmo que o governo ganhe essa batalha e não ceda ao pedido, a guerra pode estar perdida, já que a FIFA diz que não arcará com o custo gerado pela meia-entrada. É muito provável que nós, contribuintes, banquemos os parcos R$ 180 milhões correspondentes a esse custo.

O que isso significa na prática para o povo brasileiro? É simples e você entendeu direitinho: nós vamos pagar a conta. De muita coisa, aliás, uma realidade muito diferente daquela prometida quando nos candidatamos e fomos anunciados vencedores. Quem não se lembra do discurso onde foi dito que esta seria “a Copa da iniciativa privada”?

Se o CDC e o Estatuto do Idoso forem mesmo suspensos durante a Copa, a sua carteirinha de estudante ou a sua carteira de identidade não servirão para nada, já que você perderá temporariamente o direito sobre a meia-entrada.

Aliás, cabe aqui um parênteses (e que me socorram os advogados): se isso acontecer de fato, o direito à meia-entrada fica suspenso para qualquer compra de ingresso ou só para os ingressos dos jogos? E mais, nesse caso abriremos precedente para outras entidades poderosas ou essa aberração se tornará apenas mais uma “piada de Copa do Mundo”?

Bem, voltando à conta, suponhamos que o Governo se mantenha firme e forte, mas decida “bancar” a meia-entrada. Eu pergunto: de onde vem o dinheiro que abastece os cofres públicos? Isso mesmo, o dinheiro vem de uma parte da sua renda. Portanto, quem vai pagar a conta sou eu, você e todos os brasileiros.

Bem, o que fazer, então?
Fazer o possível! Se você ficou indignado com o fato, assim como eu, pode começar assinando uma petição on-line em repúdio às exigências da FIFA, elaborada pela Associação PROTESTE (clique para saber mais). Assine, divulgue e espalhe o texto, bem como seu protesto contra tudo isso. Deixar claras nossas opiniões já é um excelente começo.

E, retomando os bordões e letras de música, eu diria que “chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor” e “que a gente já sabemos escolher presidente e que é bom gringo pará de pensá que nóis é indigente”! Você, cidadão, tem direito de se manifestar. Vamos lá?

Adriana Spacca Olivares Rodopoulos
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários