Contrate um empreendedor para dar pitaco nos seus negóciosÉ comum no mercado pessoas mais velhas aconselharem os mais novos, profissionais mais experientes serem contratados para compor os conselhos de administração, executivos de carreira assumirem posições de comando em empresas de grupos familiares ou companhias de sociedades abertas e consultores de gestão serem contratados para encontrar soluções para diversos problemas.

Não somente nas empresas, os empreendedores também tem buscado esse caminho de aconselhamento e da mentoria em busca de uma experiência adicional que possa ensinar métodos, técnicas, gestão e encurtar o tempo das coisas. Muitos empreendedores investem na possibilidade de serem acelerados e fazerem parte de uma ambiente de capacitação e conhecimento, inclusive muitos tentam vender parte dos seus negócios a grupo de investidores que possam agregar também know-how e conhecimentos diferentes do dele.

Pois bem, isso tudo vale a pena e realmente é o caminho para conseguir cooperação, inteligência colaborativa, experiência e encontrar o equilíbrio que muitas empresas precisam na condução de negócios e processos. Eu chamo isso de uma troca saudável.

O que trago de novidade é o que poucos percebem e uma grande oportunidade. Como todo empreendedor tem uma forma diferente de enxergar a vida, de trabalhar, de perceber o óbvio, de ver à frente do seu tempo, de enfrentar o imprevisível, de ser arrojado, de “abastecer o avião em pleno ar”, de viver descontraidamente, de não ter o dinheiro mensal garantido, de encarar fracassos de forma positiva, de ser livre e de ultrapassar barreiras de entrada, o conhecimento dele passa a ser generalista.

Isso tudo, apesar de mal interpretado por desconhecimento de muitos na sociedade, tem um valor inestimável e é um estilo de viver e de trabalhar que só conseguimos encontrar nos empreendedores.

Uma forma de “empresariar” arrojada, muitas vezes sem estudo e de forma intuitiva e empírica faz com que esses empreendedores conquistem naturalmente três atributos desconhecidos e não encontrados na maioria dos Executivos, Conselheiros e Diretores de médias e grandes empresas: enxergar fora da caixa, criatividade e desapego.

Até porque quando se está envolvido diretamente no dia a dia da gestão ou de um problema, não se consegue olhar ou perceber algumas coisas ou oportunidades. “Ah, mas um Consultor ou uma consultoria pode resolver isso na minha empresa“, dizem por ai. Sim, claro, mas não estou falando de saídas técnicas, jurídicas, de RH ou administrativas, estou falando de sensibilidade e visão.

É óbvio também que não quero comparar a capacidade de um consultor ou de um gestor experiente, de carreira e formado, pós-graduado ou com 5 MBA´s na universidades XPTO com um simples empreendedor que pode nem ter o terceiro grau escolar completo (até porque são questionadores da maneira “em série” e “antiga” de Educação no Brasil de ensinar a trabalhar para os outros e não para você mesmo… mas isso é papo para outro artigo).

Estou falando de vivência, de ter o pé muitas vezes descolado do chão, de ter passado por todos os perrengues e ter enfrentado tudo e a todos para conquistar seu espaço, muitas vezes sem nenhum centavo no bolso e sem tempo para estudar formalmente.

Esses empreendedores com criatividade e pensamento muito diferente do ensinamento técnico e tradicional podem fazer uma grande diferença e ser um contraponto em qualquer organização e empresas, principalmente aquelas que passam por momentos de crise, por problemas de imagem, que atravessam dificuldades financeiras e que precisam tomar decisões urgentes.

Sim, ouça o aconselhamento de um empreendedor para te ajudar a encontrar um novo caminho. Você pode estar se perguntando: “Mas João, a maioria desses garotos não tem formação, não entende de nada de gestão, da minha empresa e do meu negócio!”. É verdade em parte, mas isso não importa neste momento. Eles têm o que você precisa: atitude, ousadia e a prática como referência.

Faça uma experiência, contrate provisoriamente, pelo menos para uma sessão de brainstorming, assine um termo de confidencialidade e bote o empreendedor na roda para pensar e te ajudar a resolver qualquer problema, de qualquer área de sua empresa.

O conhecimento generalista e de vivência com a relação do dia a dia no cenário de instabilidade em que o empreendedor está inserido e acostumado pode trazer grandes ideias e caminhos ainda nem percebidos e pensados, mesmo que sejam ou pareçam absurdos do ponto de vista técnico ou empresarial.

Fico imaginando, por exemplo, como seria a participação de um empreendedor sendo convidado como “palpiteiro” para uma reunião de discussão estratégica de um grupo empresarial que passa por uma fase de baixa de vendas, fluxo de caixa negativo, alavancagem financeira e de importantes decisões para reestruturação das operações a serem tomadas.

Imagine comigo. Como ficaria o ego dos gerentes? Seria um susto geral! Uma pessoa completamente desconhecida e desconhecedora dos detalhes das operações, colaborando e dando sugestões de como deveria ser feito, na visão dele, como se fosse ele o dono da caneta! Um show!

Já tenho visto no mercado empreendedores sendo contratados para a área comercial das empresas pela sua veia comercial e por terem apreendido sozinhos a vender seu peixe, alavancando vendas e resultados, mas o que quero passar neste artigo é muito mais do que isso. Trata-se de usar todos os atributos que a vida ensinou ao empreendedor a favor da gestão e da alta gerência de qualquer empresa.

Mas, atenção, se você quiser contratar um empreendedor via CLT para sentar em uma mesa fixa, ele pode aceitar apenas pela necessidade. Ou seja, cuidado, pois assim como existem benefícios em contratar um empreendedor, tem também o outro lado, que é o risco da inquietude, de ser cigano e de não ter muito foco. Não pense que será para sempre, mesmo que ele jure na cruz. Além disso, ele pode se acomodar e perder o “olho de tigre”.

Ouça ou contrate um empreendedor (de preferência sênior) como seu conselheiro, mesmo que provisoriamente, e participe de uma maneira diferente de ver as coisas e o mundo, coloque inovação em suas decisões estratégicas e na maneira de gerenciar seu negócio.

Ou então, se preferir, invista seu tempo, dinheiro e conhecimento no negócio do empreendedor e, em troca, traga ele para perto, para dar palpites no seu negócio. Esse “pitaco” de ambas as partes pode salvar e alavancar qualquer negócio. Pense nisso!

Foto de freedigitalphotos.net.

João Kepler
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários