No atual cenário econômico do país, um dos investimentos que mais têm chamado a atenção das pessoas é o Tesouro Direto. A pedido dos leitores do Dinheirama, decidi escrever um especial sobre o tema. Nesse especial já falamos de dois assuntos, clique abaixo para lê-los:

Depois dos dois artigos apresentados acima, espero já ter demonstrado que o Tesouro Direto não é algo complicado. Agora estamos preparados para ir além, e hoje falaremos da comparação entre o Tesouro Direto e a Caderneta de Poupança (principal escolha dos brasileiros na hora de investir).

Caderneta de Poupança: a melhor escolha?

Hoje a poupança é considerada o investimento mais tradicional e realmente é muito fácil de aplicar, você pode fazer depósitos na “boca do caixa” ou transferências direto de sua conta corrente pelo Internet banking. A pergunta que fica é: será que você está fazendo um bom investimento ao escolher a poupança? A resposta é não!

Qualquer título do Tesouro Direto, prefixado ou o indexado a algum índice, sempre vai render mais que a poupança se você aguardar até o vencimento. Dependendo do título e prazo, você pode conseguir um rendimento muito maior.

Pense no longo prazo. Os investidores que optarem pela NTN-B Principal com vencimento em 2035, descontando todos os custos obterão praticamente o dobro que na poupança – muita coisa, não acha? E com um diferencial: proteção contra a inflação, já que a NTN-B paga juros mais a variação do IPCA.

Para facilitar seu entendimento demonstrarei essa diferença através de um exemplo simples, levando em consideração a atual regra da caderneta de poupança e a legislação de Imposto de Renda para renda fixa.

O investidor que decidir investir hoje R$ 5.000,00 na poupança, daqui 20 anos acumulará aproximadamente R$ 17.000,00. Já o investidor que optar por investir no Tesouro Direto, comprando o título NTN-B Principal, terá no mesmo período aproximadamente R$ 36.500,00. Que tal?

Agora se você prefere a poupança porque gosta de ter uma segurança para eventuais imprevistos, o Tesouro Direto também pode ser uma alternativa interessante para você. Basta optar pela LFT, título do Tesouro Direto indexado a Selic, que vai render aproximadamente 30% a mais que a poupança (no mínimo). Interessante, não é mesmo?

A LFT é o título mais conservador e o único que se resgatado antes do vencimento não trará problemas de perda de patrimônio. O investidor pode vender o papel todas as quartas-feiras e no dia seguinte o dinheiro já estará disponível na conta corrente do investidor somado da rentabilidade proporcional ao tempo que ficou com o título.

Na LFT, a correção dos juros é diária, diferente da poupança, onde a remuneração é realizada na data de aniversário da aplicação. Pense em outro exemplo: quem investe na poupança por 82 dias receberá o rendimento de apenas 60 dias (o dinheiro não fez o terceiro aniversário).

Tesouro Direto: mais seguro que a Caderneta de Poupança

Quem ainda prefere a poupança porque acredita que é o investimento mais seguro precisa saber que o Tesouro Direto é considerado o investimento mais seguro que temos no país (mais que a Caderneta de Poupança). Por quê? Porque trata-se de títulos emitidos e garantidos pelo Governo Federal.

Quando o país passa por alguma dificuldade financeira, existem diversas meios de arrecadar recursos e honrar as dívidas, como por exemplo aumentar os impostos, instrumento este que não está à disposição dos bancos. O raciocínio é simples: se um dia o país “quebrar”, o governo será o último a “falir”.

Gosto muito de conversar com as pessoas que pensam em criar um futuro mais rico e feliz e encontram nas escolhas corretas a forma para realizar seus objetivos. Muita gente ainda investe na Caderneta de Poupança por costume, uma espécie de “piloto automático”.

Ao longo desse material que venho escrevendo, procurei deixar claro que o Tesouro Direto é um investimento muito seguro e com rentabilidade interessante, além de simples e acessível para o pequeno poupador. Você pode saber mais assistindo o web curso gratuito sobre Tesouro Direto (clique aqui) que gravei com a participação especial do Conrado Navarro, fundador do Dinheirama.

Se você ainda tem alguma dúvida, ficarei feliz em conversar e explicar detalhes do Tesouro Direto através de meu e-mail direto – [email protected] – e também nos comentários deste texto. Prometo responder o mais rapidamente possível. Um abraço e até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Growth”, Shutterstock.

Caroline Guedes
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários