Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque é o acordo entre dois gigantes: Google e Tencent.

Google faz acordo com a gigante Tencent para tentar crescer na China

O Google, da holding Alphabet, fechou um acordo de licenciamento de patentes com a Tencent Holdings, em sua busca por maneiras de se expandir na China, onde muitos de seus produtos, como a loja de aplicativos, a ferramenta de buscas e o serviço de email, são bloqueados pelos reguladores.

A empresa de tecnologia dos EUA já havia assinado acordos similares antes com a Samsung Electronics, a LG Electronics e a Cisco Systems, mas a parceria com a Tencent é a primeira com uma grande empresa de tecnologia chinesa.

O Google informou anteriormente que acordos como esses reduzem o potencial de litígio em relação à violação de patente.

O pacto com a empresa chinesa de mídia social e de jogos Tencent cobre uma ampla gama de produtos e abre caminho para a colaboração tecnológica no futuro, esclareceu o Google nesta sexta-feira (19), sem divulgar termos financeiros do negócio.

O Google não revelou o escopo do novo acordo de patentes e a Tencent não respondeu imediatamente a perguntas sobre quais produtos o contrato de patente cobriria.

iPhone dará opção de melhor desempenho ou maior duração

Tim Cook, presidente-executivo da Apple, anunciou na última quarta-feira (17) que os usuários em breve poderão decidir entre um desempenho melhor ou maior duração de bateria em seus iPhones, depois de controvérsias sobre a decisão da empresa de fazer essa escolha em nome deles.

Cook anunciou, à rede de TV ABC, que uma nova versão do sistema operacional iOS, que aciona os aparelhos móveis da companhia, permitirá que os donos de iPhones desativem a parte do software que desacelera o aparelho a fim de estender a duração da bateria. Mas ele disse que não recomendaria que os usuários fizessem essa escolha, pois a empresa desacelera os aparelhos para evitar outros problemas.

A Apple havia declarado anteriormente que desbloquear o aparelho para restaurar seu pleno desempenho sacrificaria a bateria e poderia causar desligamento inesperado do celular.

A atualização deve ser lançada nos próximos meses e distribuída inicialmente aos desenvolvedores de apps.

Dona do Snapchat demite funcionários em Nova York e Londres

A Snap, empresa que é dona do aplicativo de mensagens efêmeras Snapchat, demitiu nesta semana 24 funcionários em seus escritórios de Nova York e Londres – as informações são do site norte-americano especializado em tecnologia Cheddar.

Segundo a publicação, parte dos demitidos trabalhava na área de produção de conteúdo da empresa, ao lado de parceiros como o BuzzFeed, para criar histórias para a aba Discover do aplicativo. Além disso, o restante da equipe dos dois escritórios foi convidada a se realocar em Los Angeles, onde a empresa tem sua sede principal.

A notícia chega semanas depois da grande reforma feita no Snapchat no final do ano passado, que deveria separar as interações dos amigos das publicações feitas por grandes empresas de mídia e influenciadores, presentes na aba Discover. Disponível inicialmente apenas nos Estados Unidos, a reforma está aos poucos sendo implementada em outros países, embora a empresa não dê estimativas de quando ela estará em todo o mundo. Relatórios iniciais, porém, mostram que a atualização não está surtindo efeito.

Em um estudo interno feito com dados confidenciais e vazado na imprensa norte-americana dá conta de que pouca gente usa a aba Discover, com apenas 20% da atenção dos usuários diários da empresa. Outra notícia que afetou a área de conteúdo da empresa recentemente foi o fim do programa da emissora CNN no anplicativo.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários