Se existe uma certeza sobre a história da economia mundial é que sempre teremos que atravessar períodos de crise. Quando olhamos com cuidado o atual cenário econômico do Brasil, nos deparamos com alguns números que sinalizam que o momento é propicio para repensar algumas questões.

A primeira questão que merece ser discutida com cuidado é justamente a necessidade de nos prepararmos para atravessar um período (maior do que o esperado) de crise. Considerando a situação atual de suas finanças, você conseguiria ultrapassar esse período com tranquilidade?

E se acontecesse um imprevisto e você perdesse o emprego, por quanto tempo conseguiria manter o mesmo padrão de vida atual? O que aconteceria caso não encontrasse rapidamente uma nova recolocação?

Calma, não estou afirmando que a crise será tão grave, mas é importante olharmos com cuidado para o futuro. Pensando nisso, vale a pena seguir algumas dicas que poderão ser um guia para o futuro.

Leia também:

Como a falta de autocontrole pode afetar o seu bolso

A verdade sobre viajar com milhas do cartão de crédito

Liberdade: Domine seu Cartão de Crédito e Cheque Especial

1º Passo: Cuidado com o cartão de crédito

O cartão de crédito é uma ferramenta muito eficaz para pagamentos, além de seguro e aceito em praticamente todos os estabelecimentos comerciais. Atualmente, até na feira ele é aceito e isso certamente facilita muito a vida das pessoas.

É importante lembrar que, para quem utiliza o crédito rotativo, esta modalidade oferece uma das maiores taxas de juros do crédito em geral – as taxas muitas vezes ultrapassam 320% ao ano. Se você já possuiu uma dívida com o cartão, deve buscar eliminar essa dívida buscando outras opções de crédito com juros menores.

2º Passo: Valorize sua reserva de emergência

A reserva de emergências é fundamental para os momentos de crise. Através da reserva de emergência é possível ter tranquilidade para escolher novas oportunidades de recolocação profissional e, ao mesmo tempo, manter o padrão de vida durante os momentos mais críticos.

O valor ideal para a reserva de emergências é de pelo menos 10 meses da renda familiar e sempre que o valor for utilizado ele deve ser reposto o mais rapidamente possível. Lembre ainda que a reserva de emergência deve ficar separada dos investimentos para metas futuras. Tratam-se de coisas distintas e que não podem ser confundidas.

Para alocar a reserva de emergência, uma boa alternativa é a caderneta de poupança, que tem liquidez imediata, não têm incidência de taxas e impostos e também é protegida pelo FGC Fundo Garantidor de Crédito.

3º Passo: Corte gastos e reorganização do padrão de vida

Momentos de crise são períodos onde se deve privilegiar o que é realmente importante, então o fundamental nesse momento é priorizar o que precisa ser feito de forma urgente ou que não possa ser postergado.

Comece a economizar nas despesas de casa, procure produtos e serviços mais baratos e que representem economia nas despesas da família.

Um dos pontos fundamentais para ultrapassar períodos de crise é reorganizar o padrão de vida da família.

4º Passo: Turbine seus controles e não confie na contabilidade mental

Muitas pessoas já fazem o controle financeiro com certa regularidade, o que é muito bom. O Dinheirama oferece gratuitamente uma planilha de financeiro (clique e conheça) extremamente eficaz que pode ser muito útil no controle de despesas e também para aumentar as informações na hora de tomar as decisões.

Não existe uma regra, você pode usar a nossa planilha ou baixar algum aplicativo que desenvolve o mesmo serviço. Você escolhe, o fundamental é fazer o controle.

5º Passo: É importante estar atento sempre!

A economia é muito dinâmica e juntos vamos acompanhar de perto os desdobramentos que teremos no segundo semestre. A expectativa de crescimento do PIB é revista semanalmente pelo mercado, mas a inflação parece que continuará sob controle.

Até o final do ano, espera-se muita volatilidade por conta das eleições, e as expectativas sobre um novo governo. Vamos ver.

O papel do Banco Central nesse contexto é justamente mensurar, dentro da política econômica, de um lado o crescimento do país (que é muito importante) e do outro o controle da inflação. Os próximos meses serão muito importantes para o nosso futuro, por isso é fundamental nos prepararmos.

Deixe sua opinião sobre tudo isso no espaço de comentários abaixo. Participe e vamos valorizar a educação financeira. Obrigado e até a próxima.

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários