Agora você confere as principais notícias de 16/05/2018, quarta-feira.

PF pede mais 60 dias para investigar Temer no inquérito dos R$ 10 mi da Odebrecht

A Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal mais 60 dias para investigar o presidente Michel Temer no inquérito baseado na delação de executivos da Odebrecht. A delação menciona um suposto repasse de R$ 10 milhões para candidatos do grupo de apoio ao então candidato a vice-presidente, em 2014, acertado em jantar no Palácio do Jaburu.

Em pedido no âmbito do inquérito, a PF justifica que ainda restam diligências e depoimentos a serem tomados.

O executivo Marcelo Odebrecht confessou, em sua delação premiada à Lava Jato, que acertou com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, um repasse de R$ 10 milhões para candidatos do grupo de apoio ao então candidato a vice-presidente Michel Temer, em 2014.

O ex-presidente da maior empreiteira do país ainda revelou ter feito ‘um acordo’ com Padilha para que R$ 6 milhões do total doado fossem repassados à campanha de Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), ao governo do Estado.

Ainda durante a campanha, em um jantar marcado entre o executivo da Odebrecht Cláudio Mello Filho, Marcelo, Eliseu Padilha e Michel Temer no Palácio do Jaburu, o acordo teria sido confirmado.

A construtora doaria R$ 10 milhões a Michel Temer, dos quais R$ 6 milhões seriam destinados pelo peemedebista à campanha de Paulo Skaf.

Gilmar Mendes solta Milton Lyra, apontado como operador do MDB

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), concedeu habeas corpus ao empresário Milton Lyra, apontado pelo MPF (Ministério Público Federal) de atuar como operador do MDB.

Ele foi preso preventivamente na operação Rizoma, que apura suposto esquema criminoso envolvendo os fundos de pensão Postalis (de funcionários dos Correios) e Serpros.

Na decisão, o magistrado afirma que a prisão configura constrangimento ilegal.

“A defesa destaca, por outro lado, que o paciente, assim que tomou ciência da ordem de prisão, apresentou-se de imediato e diretamente à autoridade no Rio de Janeiro, não havendo qualquer obstrução ou risco ao regular processamento da ação penal”, escreveu o ministro, acrescentando que ele é réu primário, “tem bons antecedentes, possui residência fixa e exerce atividade lícita”.

O ministro ressaltou que os supostos crimes teriam acontecido entre 2011 e 2016.

“Os supostos crimes são graves, não apenas em abstrato, mas em concreto, tendo em vista as circunstâncias de sua execução. Muito embora graves, esses fatos são consideravelmente distantes no tempo da decretação da prisão.”

Ele proibiu Lyra de sair do país e de manter contato com outros investigados, além de determinar que ele entregue o passaporte.

Mais cedo, o MPF no Rio denunciou o empresário.

Escalada do dólar estressa emergentes

A contínua apreciação do dólar e o temor de desaceleração na China provocaram turbulência em mercados emergentes, que se manifestaram em quedas nas Bolsas de Valores e depreciação do câmbio. A cotação da moeda americana foi impulsionada pela alta dos rendimentos dos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA, que alcançaram o maior patamar desde 2011.

O dólar registrou nesta terça-feira, 15, uma alta de 1,96% em relação ao rand sul-africano. Em relação à lira turca, o aumento foi de 1,81%. O dólar também avançou 1,29% no Chile e 0,99% no Brasil, onde fechou em R$ 3,66. A Argentina foi o único emergente a registrar ganho no câmbio.

Depois de se desvalorizar ao longo de 2017 e início de 2018, o dólar ganhou força a partir de março, o que aumentou o valor, em moeda local, das dívidas contraídas pelos setores público e privado dos mercados emergentes. A rápida valorização pode ter um efeito desestabilizador, dada a relevância do câmbio para grande parte desses países.

Retornos mais elevados dos títulos do Tesouro dos EUA também aumentam o estresse sobre os emergentes, já que funcionam como um fator de atração de capital, ao elevar o retorno sobre o que é considerado o investimento mais seguro do planeta. Nesta terça-feira (15), o rendimento desses papéis chegou a 3,09%, superando a barreira psicológica de 3% que dispara alarmes nos mercados.

Coreia do Norte suspende conversas com o Sul e coloca em dúvida cúpula com Trump

A Coreia do Norte anunciou a suspensão das conversas de alto nível que teria nesta terça-feira (15) com a Coreia do Sul, citando como motivo a realização de exercícios militares conjuntos entre sul-coreanos e americanos, e colocou em dúvida a realização da cúpula entre Kim Jong-un e o presidente dos EUA, Donald Trump.

O encontro Norte-Sul tinha como objetivo discutir planos para implementar uma declaração entre os Kim, ditador da Coreia do Norte, e Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul, após cúpula histórica em 27 de abril. A declaração prometia o fim formal da Guerra da Coreia e a busca da completa desnuclearização da Coreia do Norte.

A agência estatal norte-coreana de notícias afirmou que os exercícios militares conjuntos eram um  treinamento para uma invasão da Coreia do Norte e uma provocação e que Pyongyang não tinha outro opção senão suspender as conversas.

Autoridades dos dois países se encontrariam em Panmunjom, vilarejo na Zona Desmilitarizada das Coreias. Segundo Seul, as conversas foram suspensas por tempo indeterminado.

Kim tem previsto se encontrar com Trump em 12 de junho, na Singapura.

O Departamento de Estado dos EUA afirmou não ter sido informado de nenhum cancelamento e que planeja o encontro dos dois líderes normalmente.

Mais tarde, a Casa Branca afirmou que estava consciente dos relatos sobre o cancelamento do encontro entre as Coreias, mas que iria tentar obter os fatos de maneira independente e continuar “trabalhando com nossos aliados”, segundo a porta-voz Sarah Sanders.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários