Olá amigo leitor, tudo bem? Chegou mais um Top 5 Dinheirama. Como você já sabe, todo início de semana, publicamos uma seleção com o resumo dos cinco artigos mais lidos, comentados e compartilhados da semana anterior.

A ideia é lhe oferecer um panorama das preferências de outros leitores do Dinheirama e reunir os artigos de forma a oferecer um começo de semana mais proveitoso.

Os artigos mais lidos na semana passada foram:

3 passos fundamentais para gastar menos e enriquecer

Na última semana tive a oportunidade de rever alguns amigos de infância, infelizmente com alguns deles já não tinha mais contato e foi muito agradável reencontrá-los e compartilhar um pouco do que havia acontecido durante tanto tempo.

Fiquei muito feliz no decorrer do bate papo porque alguns conheciam o meu trabalho aqui no Dinheirama, diziam o quanto é importante, mas mesmo com a leitura de muitos artigos se diziam angustiados porque não conseguiam “ficar de bem” com o dinheiro, no final do mês a conta não fechava.

Durante os 11 anos que estamos aqui, escrevendo e compartilhando experiências no Dinheirama um dos pontos que mais me chamou a atenção é justamente a forma como muitos ainda encaram as finanças sem nenhum tipo de controle e na base do improviso. Nesses casos a consequência é muito simples: gastam mais do que ganham.

Clique aqui para ler o post completo

Turbulências: o que elas podem ensinar sobre a vida?

Muitos anos atrás, quando comecei a pegar alguns voos, eu tinha medo de turbulências. Em minha primeira viagem mais longa, quando fiquei cerca de 10 horas no ar, saí do avião quase que me perguntando se eu teria coragem de passar por aquele nervoso todo de novo. Me assustava especialmente a ideia de não ter controle. Mas aí foram surgindo novas oportunidades de viagens, novas necessidades de voar, e eu não deixaria de conhecer outros lugares ou ter novas experiências só porque tinha medo das turbulências.

Com o passar do tempo, a vida foi me mostrando que, assim como acontece nos voos, são muitos os momentos em que não podemos ter o controle nas mãos. Em que estaremos chacoalhando para lá e para cá à mercê dos dias.. E sim, temos que aprender a lidar com isso da melhor forma. Como fazer, querido leitor?

Clique aqui para ler o post completo

Empreender em Portugal: isso já passou pela sua cabeça?

Nos últimos tempos, você já deve ter lido e ouvido muita coisa sobre brasileiros que decidem sair do país e ir para Portugal. Talvez até conheça algumas famílias que também tenham partido rumo à terrinha recentemente. E vamos dizer que não é à toa que os brasileiros lideram o ranking das nacionalidades mais representativas em Portugal, somando 81.251 pessoas segundo o relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo do SEF 2016. E por que será que isso acontece? Para entender e descobrir o que é preciso fazer para empreender em Portugal, o Dinheirama conversou com o Dr. Ivo Tinô do Amaral Junior, advogado e sócio do escritório Urbano Vitalino.

Clique aqui para ler o post completo

Investidor iniciante: 5 erros que você precisa (e deve) evitar

Sempre que o assunto é dinheiro e investimentos, seja com clientes ou em uma simples conversa de amigos, faço questão de deixar uma coisa bem clara: o sucesso (ou o fracasso) ao investir não depende apenas da matemática, mas de compreender, respeitar e lidar com a natureza humana.

O Dinheirama vem tratando da relação “homem-ciência-dinheiro-sentimento” na seção “Psicologia Econômica”, onde fica claro que lidar com a natureza humana é, sem dúvida, nosso maior desafio. A palavra-chave relacionada a este desafio é emoção.

Segundo uma definição clássica e muito utilizada pela Professora Vera Rita de Mello Ferreira, “emoção é impulso, é parente próxima de instinto, é o que nos impele a buscar satisfação e agir nesse sentido”.

Clique aqui para ler o post completo

Petrobras: alguém vai sair perdendo para a conta fechar

A notícia do momento é que a Petrobras aceita rever o sistema de preços de derivados, depois de tudo que aconteceu com o movimento dos caminhoneiros na semana passada. O governo investe em descobrir uma fórmula de reajuste e maior previsibilidade dos preços, sem que isso interfira nos resultados econômicos da Petrobras. Isso se parece com o ditado “fazer omelete sem quebrar ovos”.

O sistema de ajustes que a Petrobras vinha seguindo era certamente o melhor, já que a empresa não tem que bancar elevações de custos sem repassar aos distribuidores. O oposto disso já conhecemos e o resultado que redundou na situação difícil da empresa nos anos anteriores. Nesse ponto, precisamos sempre lembrar que a Petrobras é uma empresa mista, onde o governo é majoritário, mas também é aberta e com investidores em todo o mundo. Dessa forma, deriva que sua administração deve gerir avaliando os interesses de todos os acionistas e não só do majoritário.

Clique aqui para ler o post completo

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários