Nesta semana o tema sobre o qual pretendia escrever era outro. Mas como (hoje) comemora-se o Dia dos Namorados, resolvi convidá-los a fazermos juntos uma reflexão sobre as nossas relações. Como andam os nossos investimentos no amor? O que esperamos do outro e o que temos dado ao outro? Será que, assim como um investidor dedica horas de seu dia para estudar e ampliar seus rendimentos, também estamos nos dedicando às nossas relações como deveríamos?

Saber o que queremos e o que esperamos do outro pode ser tão importante quanto saber o que queremos e o que esperamos de nós mesmos. Uma amiga terapeuta costumava dizer que, dependendo de quem tivermos ao lado, podemos subir degraus ou cair escada abaixo, isso porque há pessoas que nos levantam, e há pessoas que nos derrubam. Assim como podemos fazer o mesmo com os outros, mesmo sem querer. Não nos esqueçamos disso.

A escolha de nossos companheiros, mais do que somente a parte romântica da coisa, deveria – ao menos na teoria – considerar impactos em diversos outros setores importantes de nossas vidas: trabalho, amizades, família, finanças, sonhos, e até saúde. Uma relação saudável, construtiva, pode acrescentar vida aos nossos anos, enquanto uma relação doentia pode nos matar aos poucos.

Também penso que, conforme o tempo passa, temos a obrigação de amadurecer e dar o devido valor e peso às coisas. Alguns anos atrás, por exemplo, eu achava o fim do mundo ter um companheiro bagunceiro demais. Hoje em dia vejo que isso não é um dos pontos mais importantes em uma relação. O que adianta, por exemplo, ter alguém super organizado que não está ao lado nos momentos difíceis, não é mesmo? Saibamos lidar melhor com esta balança de qualidades e defeitos que todos nós temos.

É importante também não ter medo de crescer ao lado de alguém. Se não dá para sonhar grande porque a pessoa que se tem ao lado prefere te ver pequeno, vamos combinar que tem algo errado. E esse tipo de coisa vai impactar a sua vida inteira, esteja certo!

O que você deseja para si mesmo?

Antes de escolher alguém para compartilhar, portanto, defina o que deseja para si mesmo. Quais os seus sonhos e vontades? O que é importante para você? Se você quer liberdade, não dá para ter ao lado alguém que não quer que você saia de casa. Se você tem objetivos maiores financeiramente e quer guardar dinheiro para realizá-los, cuidado para não entrar na onda de um companheiro que só quer consumir e se endividar. Volta e meia falamos sobre este assunto por aqui!

É claro que ninguém é perfeito, querido leitor. Somos humanos, somos falhos, por isso é preciso equilibrar na balança do coração tudo aquilo que faz sentido e tudo aquilo que não faz. E a parte que faz, naturalmente, precisa ser maior para a escolha ter mais chances de dar certo. Eu admito que já falhei diversas vezes. Também já falharam comigo outras tantas. Se houvesse receita seria muito mais fácil, não é mesmo? Mas não há! E por isso investimos alguns minutos agora para pensar no assunto!

Certa vez, há muitos anos, um namorado me falou quando terminamos: “Espero não ter estragado o que há de mais bonito em você, que é a capacidade de amar”. Não estragou felizmente. Até porque só de ter dito isso já percebi que ninguém falha porque quer. Nem ele, nem eu, nem você. Entramos em uma relação para fazer o melhor. Se não conseguimos, paciência. Usamos como aprendizado como tantas outras coisas que acontecem!

Seja o seu melhor amor

Lembremos também que a vida nem sempre será um mar de rosas. Vai haver dias de sol, mas também aqueles em que pode faltar dinheiro, em que pode faltar saúde, e aí será necessário haver paciência, persistência, aquela força extra que o outro precisa nos dar quando as nossas estão esgotadas. Por isso é tão importante ter alguém que nos ajude emocionalmente nos dias nublados e não somente nos ensolarados.

É importante ter alguém que saiba esperar a passagem do tempo para as coisas melhorarem e se resolverem, assim como esperamos por aquele investimento de longo prazo dar lucro, sabe? Pois se não há paciência para a espera, as perdas podem ser enormes, assim como ocorre com um investidor que tira o investimento da conta antes do tempo. Cuidemos das nossas relações como um bom investidor cuida de sua carteira!

E para finalizarmos esta longa – mas acredito que apropriada – reflexão, desejo que neste Dia dos Namorados, esteja você namorando ou não, você seja o melhor amor para si mesmo. Depois disso, terá capacidade de escolher e valorizar quem possa estar ao seu lado acompanhando-o em sua jornada.

Desejo também que todo amor que chegue deixe sementes. E que aquelas que não germinarem, ao menos preparem terreno para tornar o seu solo mais fértil. Será mais fácil desta forma, você vai ver! Um Feliz Dia dos Namorados! Aproveite para valorizar quem está ao seu lado hoje e, caso não tenha alguém para fazer isso desta vez, dê um forte abraço em si mesmo e presenteie-se com algo de que gosta, combinado? Mesmo que seja uma bela caminhada em um lugar inspirador. E sigamos aprendendo!

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários