Olá amigo leitor, tudo bem? Chegou mais um Top 5 Dinheirama. Como você já sabe, todo início de semana, publicamos uma seleção com o resumo dos cinco artigos mais lidos, comentados e compartilhados da semana anterior.

A ideia é lhe oferecer um panorama das preferências de outros leitores do Dinheirama e reunir os artigos de forma a oferecer um começo de semana mais proveitoso.

Os artigos mais lidos na semana passada foram:

10 coisas para fazer por você no ano de 2019

Outro dia estava pensando no quanto postergamos atitudes fundamentais para ter mais satisfação na vida, você já refletiu sobre isso? Tenho amigos que vivem reclemando de algumas coisas, mas nunca param para procurar uma solução.

Eu mesma, um tempo atrás, fazia o mesmo. Hoje sinto que consigo priorizar no dia a dia o que realmente faz sentido para mim. Mas é claro, muitas vezes ainda é preciso que algo aconteça e eu volte a colocar na balança o que vale a pena e o que não vale a pena para continuar seguindo.

Diante dessas questões, vamos aproveitar que o começo de um ano novo está chegando para fazermos algumas coisas por nós mesmos?

Proponho que a cada mês de 2019 você faça algo especial, seja para o momento, somente para dar-se um respiro, seja visando a um futuro mais tranquilo.

Para ajudar, separei 10 sugestões. Veja quais delas se adequam mais ao seu caso e coloque-as na agenda mensal como um compromisso.

Clique aqui para ler o post completo

Presentear: um ato de amor ou uma armadilha de consumo?

Vamos imaginar grandes lojas de varejo e comerciantes que vendem brinquedos durante o ano todo. A época de final de ano é especial e reconhecida por ter suas vendas aquecidas pelos desejos das crianças e pela maior insistência das fabricantes através de campanhas publicitárias em decorrência das compras de Natal.

Pense como um empresário do ramo. Vamos vender o máximo possível agora e simplesmente fechar a loja em janeiro e fevereiro, ainda mais no Brasil, em que “as coisas só voltam a funcionar depois do Carnaval?” ou, se falamos do fabricante, vamos fechar a fábrica depois do período das compras de Natal? Claro que não, afinal de contas é preciso vender, faturar e “girar” o estoque (e a produção) todos os meses.

Clique aqui para ler o post completo

Parcelamento: a armadilha que pode te empurrar para a ruína

Em quantas vezes dá para fazer esse tênis?”. Brasileiro adora parcelar suas compras, isso é fato. Já cansei de ouvir da boca de muitas pessoas próximas as famosas “verdades absolutas” (nem tanto, na prática) de que “o parcelamento é a única forma de uma pessoa normal – que não é rica ou ganha bem – comprar algo, construir patrimônio e conseguir ter um pouco de conforto”. Será mesmo?

Grandes empresas, de varejistas a comerciantes, e grupos financeiros lucram (muito) justamente com a venda de dinheiro (crediário) disfarçada de produtos. Ao entrar na loja para comprar à vista e buscar desconto, somos rapidamente desencorajados pelos seus vendedores e gerentes. Além disso, estão presentes muitas artimanhas que levam o consumidor a optar pelos “pequenos pagamentos a perder de vista”.

Em finanças pessoais, o legal é que a matemática básica sempre resolve e explica. Não existe mágica. A soma de vários pequenos valores e despesas contraídas no mês levam muitos a uma situação de descontrole. Os pequenos valores se transformam em uma grande dívida – neste momento, se a torneira não está totalmente fechada, cada gota que cai representa uma perda considerável.

Clique aqui para ler o post completo

Voluntariado: como anda a iniciativa das empresas brasileiras?

No último dia 5 de dezembro foi Dia Internacional do Voluntariado. Você sabia que um a cada cinco brasileiros fez algum trabalho do tipo no último ano? E que muitas empresas estimulam os funcionários a realizarem trabalhos voluntários? Ainda assim, o último relatório do World Giving Index mostrou que somente 13% dos brasileiros declarou ser voluntário, o que percentualmente ainda está bem abaixo dos 40% ou 50% registrado pelos países que estão no topo do índice. O que fazer para aumentar este índice? Como as empresas podem ajudar?

Para entender melhor como anda a questão do voluntariado no País, o Dinheirama conversou com Marcelo Nonohay, referência na área de voluntariado empresarial e diretor da MGN, empresa especializada em gestão de projetos para transformação social. Ele conta, entre outras coisas, que o voluntariado empresarial já é uma realidade. “As empresas que querem ser relevantes em seus mercados têm que desenvolver esse tipo de iniciativa. Ter um programa de voluntariado empresarial ajuda inclusive a atrair talentos, especialmente dessa nova geração, que buscam trabalhos com propósito e querem trabalhar para organizações com as quais compartilham valores”.

Clique aqui para ler o post completo

Planilha gratuita para mudar sua vida financeira em 2019

Controlar as finanças é algo indispensável, principalmente agora que a crise econômica começa a esboçar sinais de melhora.

A percepção de que o poder de compra está melhorando pode ser um convite para aumentar os gastos e acabar gastando mais do que o padrão de vida permite, principalmente no final do ano onde não faltam despesas extras.

Com esse cenário, é fundamental planejar muito bem os gastos, priorizando, acima de tudo, o que é realmente indispensável e tentando eliminar/diminuir despesas variáveis e supérfluas. Ah, também é importante turbinar a reserva de emergência e dar atenção especial aos investimentos.

Clique aqui para ler o post completo

 

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários