A internet mudou a forma como as pessoas pesquisam os preços, produtos e serviços antes da aquisição. Cada um de nós provavelmente pesquisa ao menos um pouco antes de tomar uma decisão de compra, não é verdade?

E por que é tão importante que esta pesquisa seja feita? Porque somente assim conseguimos nos valorizar como consumidores, optando por serviços e produtos que sejam bem considerados no mercado, podendo pagar menos por um mesmo produto, esconomizando tempo e dinheiro portanto.

Uma empresa que atua desenvolvendo soluções para ajudar os consumidores a compararem seguros e produtos financeiros é a Compara Online. Para entender melhor como funciona, o Dinheirama conversou com Paulo Marchetti, CEO da ComparaOnline no Brasil.

Paulo, que está desde 2014 na empresa atuando como Diretor Financeiro na América Latina e também investidor na companhia. Ele trabalhou na Rocket Internet (fundo de investimento em Start Up) tendo participado no lançamento e gestão de mais de 15 start ups no período de 3 anos. É formado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP), com especialização em IFRS e certificação em análise de empresas. Iniciou sua carreira em 2007 como Trainee da América Latina Logística (atual Rumo Logística) e atuou como research para o site americano “The Motley Fool”.

Paulo, você pode nos contar um pouquinho de sua trajetória profissional até se tornar CEO do ComparaOnline?

Paulo Marchetti: Sempre quis ser empreendedor, e depois de experiências em banco e empresas de logística, decidi empreender com uma inovação na área de construção civil. No entanto, não deu certo, embora a inovação fosse muito boa. Após essa experiência em empreender, fui trabalhar na Rocket Internet (fundo alemão que replica diversos modelos de negócios ao redor do mundo). Nessa época ajudei a lançar e também a fechar diversos negócios, desde fintechs a aplicativos de mobilidade. Uma das iniciativas na área de Fintechs me chamou a atenção do potencial do setor e, quando conheci a ComparaOnline, tive bastante afinidade com o Valin, fundador da startup, e decidi entrar de cabeça. Já vão quase 5 anos nessa caminhada.

Desde quando o ComparaOnline existe e como surgiu a ideia de unir em um só local ofertas de seguros e créditos?

P.M.: A ComparaOnline nasceu em Santiago do Chile, em 2009, como um pequeno empreendimento universitário, em uma salinha alugada de um hotel.

A ideia surgiu a partir de uma experiência ruim do nosso fundador, Sebastián Valin, quando precisou contratar um seguro auto para o primeiro carro do seu irmão. Na época, tinha que entrar em contato por telefone com cada uma das empresas para solicitar uma proposta, as informações eram confusas, cheias de letras pequenas. Ficou claro para o Valín que as companhias de seguro não pensavam no consumidor. Foi assim que ele viu uma oportunidade para criar uma ferramenta que permitisse comparar e contrastar as informações de uma maneira fácil e rápida.

Com isso na cabeça e sabendo que esse modelo já era bastante desenvolvido na Europa, a ComparaOnline trouxe este conceito para América Latina (Chile, Brasil, Colômbia), que ainda não havia avançado no setor de e-commerce para produtos financeiros. Até hoje ainda é um setor pouco desenvolvido por aqui.

Uma curiosidade legal foi que em meados de 2008 fizemos um benchmark com o britânico MoneySupermarket, grande comparador de serviços financeiros, com capital aberto no Reino Unido. Por uma coincidência da vida, após alguns anos, o fundador do MoneySupermarket veio a ser um dos investidores da ComparaOnline.

Pode nos contar um pouco sobre as categorias que existem no buscador e como funciona a busca em cada uma?

P.M.: Atualmente no site brasileiro é possível comparar 9 tipos de produtos e serviços, entre eles: seguro auto, seguro viagem, cartão de crédito, empréstimo pessoal e conta corrente.

O Seguro Auto e o Seguro Viagem funcionam por meio de um formulário, onde o usuário responde algumas perguntas, de acordo com seu perfil, e recebe uma tela de resultados com as melhores ofertas.

O Cartão de crédito, o empréstimo pessoal e a conta corrente funcionam com um modelo de marketplace, onde disponibilizamos as informações mais relevantes publicadas online pelas companhias destes produtos financeiros, visando a transparência e fácil compreensão para o cliente. Buscamos resumir o que as notas de rodapé não trazem em evidência.

Como vocês escolhem os bancos e instituições parceiros?

P.M.: Escolhemos conforme identificamos maior interesse e conexão do nosso público com essas instituições.

Como oferecem as melhores opções para cada pessoa? O sistema mostra todas as opções disponíveis ou recomendas as que mais se adequam?

P.M.: Nós trabalhamos com objetivo de oferecer o conteúdo mais completo possível, mas numa configuração fácil para o público geral, deixando que ele mesmo possa descobrir a oferta com que mais se identifica.

Após determinado período, caso ainda não tenha tido êxito, recomendamos novas ofertas.

Existe um atendimento caso as pessoas queiram tirar dúvidas sobre os produtos? Como funciona?

P.M.: Existe uma Central de Ajuda em nosso site com perguntas e respostas, temos atendimento via chat e telefone também. No entanto, vale ressaltar que, por questões de segurança de dados e sigilo, as dúvidas sobre recebimento, aprovação, liberação de produtos financeiros como cartões de crédito e empréstimos, precisam ser tratados diretamente entre o cliente e a instituição provedora do produto.

Com relação a crédito, o que você recomenda que seja levado em conta na hora em que alguém precisa optar por um?

P.M.: Que a pessoa tenha ciência se está negativado ou não, e se possui algum bem como forma de garantia, como carro ou imóvel.

Importante mencionar que há também outras categorias que não dependem de garantias para solicitar um crédito, que aceitam renda fixa e restituição de imposto de renda ou até mesmo aposentadoria.

Com relação  a seguros, como você enxerga a aquisição no mercado nacional? Brasileiros costumam comprar mais quais tipos de seguro? Como escolher adequadamente?

P.M.: Embora o mercado de seguros tenha expandido, o automóvel e saúde são predominantes. O consumidor ainda desconfia da compra online destes produtos, mas já começou a entender que pode encontrar melhores preços de renovações na internet.

A melhor forma de escolher é pensar na sua real necessidade e acreditar que é capaz de ler e entender o produto. Por exemplo, contratar um guincho ilimitado só faz sentido para quem viaja para distâncias muito grandes. Para quem mora em regiões metropolitanas, em geral, 200km é suficiente.

Quantos usuários já passaram pelo ComparaOnline, você conseguiria nos dizer? Quais as expectativas para 2019?

P.M.: Em média mais de 2 Milhões de visitantes únicos passam pela Compara, a meta é dobrar esse volume em 2019.

Finalmente, por que é tão importante comparar antes de adquirir um produto financeiro ou afins?

P.M.: O mais importante é o consumidor poder olhar todas as opções. Da mesma forma que as corretoras independentes deram acesso à população aos melhores produtos de investimentos, acreditamos que nós podemos oferecer a mesma oportunidade na internet e quem ganha no final é o consumidor.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários