Home Agronegócio Boa Safra: Itaú BBA eleva aposta em ação de produtora de sementes

Boa Safra: Itaú BBA eleva aposta em ação de produtora de sementes

"Avaliamos que a dinâmica positiva dos lucros será um catalisador importante no curto prazo". aponta o time de agronegócio do banco

por Gustavo Kahil
0 comentário

O Itaú BBA elevou a recomendação para as ações da Boa Safra Sementes (SOJA3) para compra e o preço-alvo de R$ 17 para R$ 18, mostra um relatório enviado a clientes nesta quarta-feira (7).

“Avaliamos que a dinâmica positiva dos lucros será um catalisador importante no curto prazo”. aponta o time de agronegócio liderado por Daniel Sasson.

“Além disso, o interesse dos investidores na tese vem aumentando uma vez que, enquanto outros fabricantes de insumos agrícolas têm apresentado resultados inferiores em relação ao ano anterior, a Boa Safra tem conseguido crescer em patamares impressionantes, demonstrando a resiliência do seu modelo de negócio”, explica.

O banco esteve reunido com Marino Colpo, CEO da Boa Safra Sementes, que compartilhou sua visão estratégica sobre a empresa para os próximos anos.

Desempenho das ações da Boa Safra em 12 meses

Segundo o BBA, o plano contempla três avenidas principais de crescimento: aumentar a participação das sementes tratadas industrialmente (TSI) nas vendas.

1 – “Aumentar a participação de sementes de outras culturas além da soja, incluindo milho e forrageiras”;

2 – “Crescimento orgânico do volume, atingindo uma capacidade nominal de 360 mil big bags até 2027 (um big bag equivale a cerca de uma tonelada de sementes de soja)”;

3 – “Expansão inorgânica do volume através de fusões e aquisições de pequeno e médio porte, como as recentes compras da Bestway e DaSoja”.

Resultados do 4º trimestre

O BBA projeta uma receita líquida de R$ 753 milhões, aumento de 9% em um ano, o que está de acordo com a carteira de pedidos da empresa de R$ 506 milhões nos últimos nove meses de 2023 (vs. R$ 464 milhões no terceiro trimestre de 2022, que se transformaram em R$ 690 milhões em receita no quarto trimestre de 2022).

“Além disso, estimamos uma rentabilidade operacional (margem Ebitda) de 14% para o trimestre, queda de 0,91 pp, principalmente relacionada a maiores despesas com vendas. Ao todo, para 2023, projetamos R$ 219 milhões de lucro líquido ou R$ 1.258 por big bag, aumento de 22% em base anual no lucro unitário. Olhando para 2024, estimamos agora um resultado operacional (Ebitda) 33% superior versus 2023, após estimativa de aumento de 7 pp na participação do TSI”, conclui o banco.

O resultado será conhecido no próximo dia 21 de março.

Dinheirama

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.