Você sabe o que é uma PEC? Esta sigla é a abreviação de Proposta de Emenda Constitucional. O objetivo de uma PEC é modificar algumas partes do texto da nossa constituição, sem a necessidade de convocar uma nova assembleia constituinte.

E por que estamos falando disso por aqui? Porque temos um assunto de muita relevância para você e toda a nação, que é a iminente votação da PEC 241 por parte dos deputados.

E o que há de especial nesta PEC 241? Ela tem como objetivo limitar os gastos do governo, ou em outras palavras, os gastos públicos.

Há uma íntima relação entre toda a crise que estamos enfrentando e a incompetência que reina na gestão dos recursos financeiros de nosso país, seja por irresponsabilidades ou pela criminalidade (desvio de recursos).

Estabelecer uma regra que crie mecanismos para conter essa gastança, é fundamental, e tem consequências diretas para a população brasileira.

O Brasil é como uma família sem educação financeira

Você recebe seu salário no começo do mês e planeja como gastá-lo. Não existe almoço grátis. Toda despesa é pensada.

No fundo, isso é saudável. Decisões pensadas são melhores que as tomadas por impulso, ou à custa dos outros. Precisamos saber escolher dentro de nossas próprias restrições.

Se você gasta mais do que ganha, vai se endividar e terá de arcar pessoalmente com essa dívida. Justo, não? Pois é… Mas com o governo brasileiro, não funciona assim. Se ele (ou ela) gasta mais do que ganha, eu e você pagamos a conta, sob a forma de inflação, juros e desemprego. Nada justo.

O Teto de Gastos, previsto na PEC 241, muda o jogo. Obriga o governo a enfrentar as consequências de seus próprios atos, evitando o repasse covarde à sociedade.

O projeto fixa para o exercício de 2017, por exemplo, um limite equivalente à despesa de 2016, corrigido pelo IPCA do período. A partir de então, o limite será incorporado ao processo de elaboração das leis orçamentárias.

Projeto recomendado: Participe da gestão financeira da nação

Como estará gravada na Constituição, a medida obrigará os mandatários dos cinco próximos ciclos presidenciais a manter a contenção de despesas. É uma medida de Estado, não de governo.

Preparando o terreno para o crescimento da nação

O objetivo é corrigir uma das grandes irresponsabilidades de governos anteriores: a gestão irresponsável das contas públicas, gastando muito mais do que arrecada. Gastar sem ter dinheiro, fazendo a dívida crescer.

A proposta está inserida em um plano mais amplo de ajuste fiscal, que inclui também a Reforma da Previdência e a renegociação da dívida dos Estados. É uma medida urgente para evitar que Brasil tenha de volta a hiperinflação ou um cenário em que seja obrigado a dar o calote.

A PEC é passo fundamental para que a força da economia brasileira volte a engrenar a pleno vapor. Sua aprovação vai passar uma mensagem de confiança. Uma mensagem de que o Brasil está firme no caminho de promover uma reforma fiscal para valer.

E tudo para que a inflação e os juros caiam, os investimentos retornem e o Brasil volte a gerar empregos. É uma medida que deveria ter sido tomada anos atrás, preventivamente.

Exerça a sua cidadania e mostre a sua força! Assine a petição!

Agora que você já entendeu que as consequências negativas da não aprovação da PEC 241 irão afetar diretamente o seu bolso e as suas possibilidades de geração de renda (empregos), convidamos você para exercer a sua cidadania.

Estamos promovendo uma petição pública online, que pede a aprovação rápida da PEC, respeitando o texto original, sem qualquer modificação.

Faça o Brasil diminuir os gastos públicos. Você pode!

Nossa meta é coletar 1.000.000 de assinaturas para deixar claro aos parlamentares o forte amparo dos cidadãos ao Novo Regime Fiscal. A população brasileira será a grande beneficiada.

Se não tomarmos esta medida essencial, além do calote e da hiperinflação, os avanços sociais serão prejudicados por pura falta de dinheiro. Isso porque uma onda hiperinflacionária destrói tudo o que encontra pela frente, como um tsunami. Não vai sobrar nada para manter as políticas sociais, nem mesmo o Bolsa-Família.

Portanto, não importa para qual time torce, se veste camisa verde-amarela ou vermelha ou se prefere gato ou cachorro. É um problema do país. E todos teremos de estar juntos para solucioná-lo.

Clique aqui para assinar esta petição. Aproveite e também compartilhe com seus amigos. O futuro da nação agradece!

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.