Brasileiros vivendo mais e com mais dinheiroApesar de não haver consenso, parece claro que todos querem viver muito. Mas, diante das mudanças ocorridas na sociedade, parece-me que mais importante do que viver muito é viver bem, com qualidade de vida e saúde. A pesquisa anual do IBGE sobre mortalidade e expectativa de vida mostra que os brasileiros tiveram aumentada sua expectativa de vida. Em uma década, ela passou de 69 para 72 anos.

Trata-se de um claro sinal de melhora em muitos aspectos, com avanços consideráveis nas áreas sociais, econômicas e médicas – principalmente na última década. Se por um lado a noticia é animadora, por outro nos leva a uma reflexão indispensável: do ponto de vista financeiro, como os brasileiros estão se preparando para viver mais? Ou não estão?

Sem pensar muito, respondo que infelizmente não, não estão. A grande e esmagadora maioria não parece nem ao menos disposta a entrar nessa discussão. Um número grande de cidadãos parece contente com a expectativa de “subsistir” à base de uma Previdência que, hoje em dia, já é deficitária e insuficiente para garantir a vida com qualidade. Poucos tem disciplina para, desde já, dedicar parte de seus investimentos[bb] para o longo prazo.

Já falamos anteriormente de pesquisas que apontam que apenas 1% dos aposentados vivem de forma plena, sem ter que continuar trabalhando ou depender da caridade de amigos ou parentes.

Planejamento: a arma de sempre
Eu penso em conquistar a aposentadoria todos os dias, economizando e, principalmente, planejando o meu futuro e aonde quero chegar. Ai encontro outro engano comum: considerar a aposentadoria como uma época de baixa produtividade, onde o dia consiste em permanecer no sofá assistindo TV[bb]. Se esse for seu ideal de aposentadoria, melhor rever seus conceitos.

Vivendo mais, o aposentado pode e deve compensar o período de muito trabalho com viagens, dedicação a projetos pessoais, atividades sociais, a cultivar um hobby, doar mais tempo aos netos e pessoas queridas da família, a colaborar com a sociedade etc. O aposentado financeiramente independente faz só o que gosta, mas está longe de estar parado.

Qualidade de vida e poder de escolha
E para que as atividades acima sejam concretizadas, (guardar) dinheiro é fundamental. É claro, se você for uma pessoa de muita sorte, pode passar a vida toda arriscando a aposentadoria e não ver muitas diferenças. Mas a probabilidade de isso acontecer é pequena, bem pequena. Sorte é importante, mas prefiro usá-la de maneira diferente, através de meu esforço próprio e não na base da loteria. Prefiro “correr atrás dela” a esperar que ela venha em um “bilhete” premiado.

Seja mais agressivo em torno de seus pensamentos sobre o futuro. Ele chega. Por mais que tenhamos mais tempo para viver, não podemos deixar para amanhã ou depois as atitudes que precisamos tomar agora. Faça, atualize seu orçamento financeiro e cumpra-o. Chega da promessa antiga de que a partir de segunda-feira você iniciará seu controle. É hora de agir!

Quando você vai querer se aposentar?
No meu caso, a partir dos 55 anos quero trabalhar apenas por prazer! Ufa, felizmente posso falar que já trabalho por prazer. Mas, a partir dos 55 anos quero fazer exclusivamente o que minha vida de aposentado permitir. Isso porque hoje o trabalho[bb] ainda consome grande parte do meu tempo; quando me aposentar, a diversão virá em primeiro lugar, coisa que apenas a independência financeira poderá me propiciar.

Não tenha medo do futuro
Viver intensamente os próximos anos é a melhor garantia de que estarei bem quando me aposentar. Nas próximas décadas, a expectativa de vida aumentará ainda mais – ela ainda é baixa se comparada a muitos países desenvolvidos ou em desenvolvimento com características semelhantes.

Estarei tranqüilo e não viverei na expectativa e luta por aumentos irrisórios (e que não virão) na Previdência Oficial. Tive a chance de valorizar e implementar a educação financeira em minha vida, e tudo se modificou. A nova geração, público predominante deste blog, tem a chance de transformar também sua vida. Absorva, coloque em prática e compartilhe esse conhecimento. E tenha uma vida longa e rica. Sucesso!

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários