Home Empresas Braskem tem que acelerar trabalhos de fechamento de minas em Maceió, diz ministro

Braskem tem que acelerar trabalhos de fechamento de minas em Maceió, diz ministro

As ações da Braskem recuavam mais de 8% nesta sexta-feira, maior queda do Ibovespa

por Reuters
0 comentário

A Braskem (BRKM5) precisa apressar os trabalhos de preenchimento de minas de extração de sal sob a superfície de Maceió como forma de se evitar uma repetição do afundamento ocorrido nesta semana que tem causado alarme na cidade, afirmou o ministro dos Transportes, Renan Filho, nesta sexta-feira.

A atividade de extração de sal sob a capital alagoana vinha sendo realizada desde os anos de 1970, mas foi interrompida em 2019 após bairros da cidade passarem a registrar rachaduras em ruas e em edifícios diante da movimentação de enormes cavidades criadas com a mineração.

Desde então, cerca de 50 mil pessoas foram retiradas de cinco bairros da cidade por precaução em meio ao registro constante de sismos e movimentações do solo.

“Isso tem demorado muito”, disse Renan Filho em entrevista à CNN Brasil nesta sexta-feira, se referindo aos trabalhos da Braskem para o fechamento e estabilização das minas em Maceió.

“A empresa tem que acelerar este cronograma para que não vejamos essas movimentações… Isso aterroriza”, acrescentou o ministro, que é alagoano e foi governador do Estado de 2015 a 2022.

O ministro afirmou que tem mantido contato com autoridades locais e defendeu uma maior participação do governo federal nos trabalhos de solução da crise.

Desde a quarta-feira, quando um alerta de colapso iminente da mina 18 da Braskem, no bairro de Mutange, foi dado pela Defesa Civil de Alagoas, o solo na região já cedeu mais de 1 metro, afirmou o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (PL), à mídia local.

(Imagem: Pixabay/ Ben_Kerckx)
(Imagem: Pixabay/ Ben_Kerckx)

A prefeitura da cidade informou à Reuters na manhã desta sexta-feira que desde a véspera a situação da região, que fica também próxima da lagoa Mundaú, segue a mesma, com o solo cedendo cerca de 5 centímetros por hora.

Maceió tem sob sua superfície 35 minas de sal-gema, mineral usado na produção química da Braskem. A companhia reservou 14,4 bilhões de reais desde o início da crise para compensação de moradores e entes públicos, além dos trabalhos para estabilização das minas.

As ações da Braskem recuavam mais de 8% nesta sexta-feira, maior queda do Ibovespa.

Procurada nesta sexta-feira sobre os comentários do ministro, a Braskem não pôde comentar o assunto de imediato. Um dia antes do alerta da Defesa Civil de Alagoas, a empresa afirmou que esperava concluir no início de 2024 as ações do plano de realocação e compensação de moradores de Maceió e encerrar até 2025 o fechamento das minas.

“O ritmo desse cronograma tem que ficar claro, se não pode acelerar, eles têm que dizer por que não pode”, disse Renan Filho na entrevista, comparando o desastre a outros de grandes proporções ocorridos no mundo, como o da explosão da usina nuclear de Chernobyl, em 1986, que também obrigou um exôdo de milhares de pessoas.

A crise na mina 18, que, segundo o ministro, seria uma das próximas a ser preenchida para estabilização, ocorre em um momento em que o nível de alavancagem da Braskem disparou pressionado por um quadro de excesso de oferta de petroquímicos no mercado global e demanda lenta, e afetado ainda pelos desembolsos relacionados a Maceió.

(Imagem: Reprodução/Secom Maceio)
(Imagem: Reprodução/Secom Maceio)

A intensificação da movimentação do solo na região também acontece em um momento em que a Novonor, ex-Odebrecht, recebeu propostas de interessados na compra de sua participação na Braskem. O grupo petrolífero de Abu Dhabi Adnoc anunciou em novembro uma oferta de 10,5 bilhões de reais pela fatia.

A Braskem foi intimada na quinta-feira sobre decisão da Justiça sobre ação de autoridades federais e de Alagoas relacionada à movimentação da mina 18. O valor atribuído à ação pelos autores é de 1 bilhão de reais.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.