Home Comprar ou Vender BRF: Fitch eleva rating para BB+ por desalavancagem “notável”

BRF: Fitch eleva rating para BB+ por desalavancagem “notável”

Além disso, a Fitch estima que o Ebitda da BRF aumentará significativamente para entre R$ 7 bilhões e R$ 7,5 bilhões em 2024

por Gustavo Kahil
0 comentário

A Fitch Ratings anunciou nesta quinta-feira (2) uma elevação nos ratings de crédito da BRF (BRFS3), subindo de BB para BB+, em moeda estrangeira, com uma perspectiva estável. Esta mudança reflete a confiança da agência na capacidade da empresa de continuar a melhorar seus indicadores de crédito ao longo de 2024.

Johnny da Silva, diretor da Fitch Ratings, explicou que “a melhora na tendência de desalavancagem da BRF é notável, com a alavancagem líquida prevista para cair para menos de 2 vezes em 2024, frente às 3,1 vezes no final de 2023.” Este otimismo é sustentado pela recuperação do Ebitda e pelo fluxo de caixa livre positivo projetado.

Além disso, a Fitch estima que o Ebitda da BRF aumentará significativamente para entre R$ 7 bilhões e R$ 7,5 bilhões em 2024. “A forte recuperação do Ebitda é impulsionada por uma combinação de bom desempenho tanto nas divisões brasileiras quanto internacionais e uma gestão eficiente dos custos com alimentação animal,” acrescenta Silva.

Sob a liderança da Marfrig (MRFG3), que agora detém 50% da BRF, a empresa também tem mostrado um comprometimento estratégico significativo, com a Fitch observando que “não há cláusula de inadimplência cruzada e garantias de dívida entre as duas empresas, o que reflete uma governança sólida e independente da BRF dentro do grupo.”

BRF
(Imagem: Reprodução/ Facebook da BRF)

Posicionamento das marcas da BRF

A posição de mercado da BRF é fortalecida por suas marcas bem-estabelecidas, como Sadia, Perdigão e Banvit.

“Estas marcas, aliadas a uma extensa rede de distribuição, permitem à BRF manter uma forte participação de mercado, apesar da concorrência acirrada,” destaca Silva. A diversificação geográfica também é um ponto forte, com metade das vendas destinadas ao mercado externo, o que mitiga riscos como restrições a exportações.

Em relação ao mercado de proteínas, a Fitch mantém uma perspectiva positiva, particularmente para o frango, que é mais acessível em comparação com outras carnes.

“Espera-se que o consumo de carne de frango no Brasil se mantenha estável, com um crescimento robusto das exportações em torno de 3,2% em relação ao ano anterior,” informa Silva.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.