Home Empresas Canadá tenta resolver preocupações com leis de notícias, mas Facebook não está convencido

Canadá tenta resolver preocupações com leis de notícias, mas Facebook não está convencido

A Lei de Notícias Online do Canadá, parte de uma tendência global para fazer com que as gigantes da internet paguem por notícias

por Reuters
0 comentário
Tanto o Google quanto o Facebook disseram que a lei é impraticável para seus negócios (Imagem: Reprodução/Freepik/@jannoon028)

O Canadá divulgou nesta sexta-feira um esboço de regulamentação para uma lei que obrigaria as gigantes da internet a pagar aos veículos de comunicação, dizendo estar abordando as preocupações das empresas de tecnologia, mas o Facebook (FB) disse que manterá seus planos de bloquear o compartilhamento de notícias em suas plataformas no país.

O Canadá disse que o esboço das regras, destinado a implementar a Lei de Notícias Online recentemente aprovada, resolveria as preocupações do Google, da Alphabet, e da Meta, controladora do Facebook, de que poderiam enfrentar uma responsabilidade ilimitada.

“O processo regulatório não está equipado para abordar a premissa fundamentalmente falha da Lei de Notícias Online… as regulamentações propostas hoje não afetarão nossa decisão comercial de encerrar a disponibilidade de notícias no Canadá”, disse Rachel Curran, chefe de políticas públicas da Meta Canadá, em comunicado.

A Lei de Notícias Online do Canadá, parte de uma tendência global para fazer com que as gigantes da internet paguem por notícias, tornou-se lei em junho e deverá entrar em vigor em dezembro, após a finalização das regras.

A legislação surgiu após reclamações do setor de mídia do Canadá, que quer uma regulamentação mais rígida das empresas de tecnologia para impedi-las de expulsar as empresas de notícias do mercado de publicidade online.

Tanto o Google quanto o Facebook disseram que a lei é impraticável para seus negócios, e a Meta encerrou o compartilhamento de notícias em suas plataformas no Canadá no mês passado.

De acordo com o projeto de regulamentação, as empresas teriam de negociar voluntariamente acordos com veículos de notícias e pagar uma parte das suas receitas globais, com base num cálculo definido.

Espera-se que as propostas preliminares arrecadem 172 milhões de dólares canadenses (126,6 milhões de dólares) por ano do Google e cerca de 60 milhões de dólares canadenses por ano do Facebook, disse um funcionário do governo.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.