Captação da poupança quintuplica no 1º trimestreO pior rendimento da poupança em quase 50 anos não foi suficiente para frear investimentos de poupadores nesta modalidade. A busca dos investidores pela poupança quintuplicou no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. A diferença entre depósitos e saques (captação líquida) foi de R$ 10,6 bilhões nos três primeiros meses de 2013, enquanto em 2012 o valor foi de R$ 2,1 bilhões.

No início de março, publicamos um artigo sobre a captação recorde da poupança. Na época, os depósitos em caderneta de poupança superavam as retiradas em R$ 2,32 bilhões, a maior captação de recursos, para um mês de fevereiro, desde o início da série histórica disponibilizada pelo Banco Central, em 1995.

A razão para o investidor preferir a poupança pode ser reflexo do péssimo desempenho das principais aplicações financeiras no primeiro trimestre desse ano. Segundo publicação do Valor, o ouro e o dólar marcaram as maiores altas do período, com 3,50% e 2,17%, respectivamente.

Considerando a inflação estimada para os três primeiros meses do ano (1,97%), o investidor não conseguiu ganhos reais em nenhuma das aplicações. Na média, todas ficaram negativas no trimestre. Assim, os investidores parecem ensaiar um retorno para aplicações pós-fixadas.

Em questão de renda variável (ações), os investidores mostram um interesse maior pelos fundos com uma gestão ativa do dinheiro aplicado, em vez de opções mais populares que perseguem o índice Ibovespa.

As aplicações mais buscadas pelos investidores – 1º trimestre / 2013

Aplicações

Captação no primeiro trimestre de 2012

Captação no primeiro trimestre de 2013

Variação em 12 meses

Poupança

2.129,47

10.581,26

396,8%

Fundos Renda Fixa

15.262

27.887,90

82,7%

Fundos cambiais

16,8

20,54

22,3%

Fundos Multimercados

12.217

3.862,81

-68,4%

Fundos de ações

-1.028,24

5.852,29

Fundos DI

24.525

-3.299,91

Fonte: Banco Central e Anbima. (*) Em R$ milhões. Captação líquida: depósitos menos retiradas

Por que a poupança?

A atração da poupança tem chamado a atenção da mídia especializada e de investidores mais atentos. Apesar do rendimento menor, a captação líquida da poupança passou a cifra histórica de R$ 10 bilhões no primeiro trimestre de 2013. Se comparado com o mesmo período do ano passado, temos um valor cinco vezes maior nesse ano.

Segundo especialistas, são dois os motivos básicos para esse tipo de comportamento entre os poupadores: o desconhecimento de alternativas melhores, como explicam pesquisas recentes, e o fato dos fundos de investimentos mais conservadores apresentarem altas taxas de administração e pesada carga de impostos.

Para o planejador financeiro Alvaro Dias, há uma concentração preocupante do dinheiro em aplicações mais indicadas para o curto prazo, em vez de uma visão de longo prazo. “Pela minha experiência, a maior parte não tem uma estratégia clara de investimentos. As pessoas ainda aplicam de acordo com as notícias do momento. E muita gente acaba não tendo um planejamento financeiro, e não pensa esse planejamento ao longo do tempo”, diz.

Como se preparar para esse cenário?

Em época de juros baixos, o investidor algumas vezes precisa refazer seu planejamento financeiro e alinhar seus objetivos com o que o mercado tem para oferecer. É pensando nisso que selecionamos alguns artigos, que abordam o tema, publicados pela equipe Dinheirama nas últimas semanas.

Investimentos: a perigosa cultura do curto prazo – Leia sobre como estratégias de investimento com segurança, disciplina e risco ajudarão você a atingir a independência financeira.

5 dicas para investir melhor seu dinheiro – Tornar-se um investidor inteligente requer fugir de furadas e escolher com cuidado o melhor investimento para seu dinheiro.

Inflação e a irresponsabilidade do consumo excessivo via crédito – O aumento dos preços pode impactar seu planejamento e orçamento. Logo, consumir com atenção é mais do que necessário.

Os 5 principais erros dos investidores iniciantes – Como a natureza humana pode ser um fator decisivo entre o sucesso e o fracasso? Conrado Navarro aponta os cinco principais erros dos investidores iniciantes.

10 livros sobre investimento e economia para ler em 2013 – Nada como a leitura de um bom livro para abrir a mente a novas ideias. Veja nossas recomendações para você colocar a leitura em dia com livros sobre investimentos e economia.

Fonte: UOL. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários