Nas nossas vidas, em algumas ocasiões, precisamos lidar com a realização de compras complexas. Acredito que é possível chamar de complexas as aquisições que envolvem um percentual significativo do nosso patrimônio.

É claro que esse percentual varia de pessoa para pessoa, conforme o perfil, nível de conhecimento e prioridades. Mas, para simplificar e exemplificar, vamos pensar nas compras de carros e imóveis, que representam alguns dos maiores gastos que a maioria das pessoas têm em suas vidas.

Considerando a realidade brasileira de preços altíssimos, é ainda mais relevante buscar escolhas conscientes nessas compras significativas. Para tanto, algumas atitudes são (mais do que) essenciais:

1. Ter Humildade

Essa é, sem dúvida, a característica mais importante, até porque influencia as demais. Somente aqueles que enxergam e reconhecem suas limitações têm condições de tomar as providências necessárias para superá-las. A respeito do tema, gosto muito desta frase: “Ter consciência da própria ignorância é o início da sabedoria.” (Marion Zimmer Bradley).

Por isso, antes de realizar uma compra complexa, é importante avaliar qual é o seu grau de conhecimento sobre o setor e sobre o produto que procura. Pensando nos carros, caso esse conhecimento não seja suficiente para uma decisão segura e firme, baseada numa visão com a perspectiva adequada, busque alternativas efetivas.

2. Pesquisar e adquirir conhecimento, ou contar com um profissional

A partir do momento em que fica nítida a necessidade de buscar informações, na maioria dos casos, é possível optar por dois caminhos:

2.1. Pesquisa

As pessoas que contam com bastante tempo e seguem a tendência americana do “do it by yourself” (faça você mesmo) normalmente preferem estudar sozinhas em busca das melhores soluções.

Nesse caso, muitas podem ser as fontes. Quando elas são “gratuitas”, é necessário ter cautela porque muitas vezes elas são insuficientes, fragmentadas ou parciais. É claro que também existe conhecimento de qualidade disponível gratuitamente, mas pode ser necessário muito tempo até encontrá-lo por completo.

Uma boa opção é a aquisição de materiais que, por um preço acessível, reúnem um bom conjunto de informações reconhecidamente de qualidade. No caso de revistas e jornais, é importante ter certa cautela e avaliar a idoneidade dos veículos, considerando eventuais interesses publicitários.

Livros e cursos, principalmente quando são de fontes independentes, costumam ser boas alternativas, mas também é importante analisar a reputação, histórico e credibilidade da fonte.

2.2. Contratação de um Profissional

Em muitas hipóteses, uma ajuda profissional vale a pena pela economia de dinheiro, tempo e energia que seriam necessários para uma compra consciente.

Quando somos leigos ou temos um conhecimento limitado sobre determinada área, a presença de um profissional sério e independente ao nosso lado pode fazer uma imensa diferença para evitar as influências do marketing e dos vendedores. Além disso, o especialista também tem mais foco no setor e conhece as tendências e novidades relevantes que podem trazer uma série de impactos, inclusive financeiros.

Evidentemente, também é necessário escolher com cuidado a pessoa e os serviços contratados. Fatores como referências, credibilidade e reconhecimento são bastante importantes.

Para ilustrar, vou relatar um caso pessoal: quando estive envolvido na compra de um imóvel, há certo tempo, optei por contar com a assessoria de um amigo especializado nessa área, na qual tenho pouquíssimo conhecimento. Essa contratação foi essencial e determinante para ter a confiança necessária para saber se o negócio valia a pena. Para quem opta por pesquisar, também existem ótimos livros sobre esse assunto.

3. Planejar e analisar

A realização de compras complexas, como as dos carros, precisa contar com bastante planejamento, baseado na análise das informações obtidas anteriormente. É fundamental identificar as prioridades e necessidades pessoais e familiares para buscar as melhores opções de veículos no mercado.

Somente com um bom nível de conhecimento será possível avaliar, por exemplo, se o carro apresenta um projeto de qualidade (em termos de plataforma, motor, durabilidade etc) e seguro (considerando resultados em teste de colisão, equipamentos etc).

Além disso, o carro pretendido precisará estar de acordo com a sua capacidade financeira, tanto para comprar como para mantê-lo. Lembre-se de avaliar toda a Estrutura de Preços dos Carros no Brasil. Sobre planejamento, também gosto muito desta frase: “A maioria das pessoas não planeja fracassar, fracassa por não planejar.” (John L. Beckley).

4. Agir com Consciência e Controle Emocional

Depois da fase de preparação, chega o momento de tomar uma decisão firme e consciente. Na hora de visitar as lojas e concessionárias e lidar com vendedores, considerando que você já estará bem informado, ficará muito mais fácil a avaliação dos carros pretendidos.

Sabendo dos reais motivos da compra, você tenderá a negociar de forma mais eficiente, não se deixando levar por estratégias persuasivas que objetivam afetar o seu equilíbrio emocional. Para tanto, tenha foco no que realmente importa para você e seu bolso.

E como já disse o Flavio Augusto da Silva: “Ou você aprende a ter as suas emoções sob o seu controle ou elas, cedo ou tarde, vão lhe escravizar.”

5. Aprender com os Acertos e Erros

Com a maturidade, observamos que, por melhores que sejam nossos esforços, sempre estaremos sujeitos a acertos e erros. O nosso conhecimento é falível. Mas isso deve ser visto com um motivo a mais para comemorarmos nossa eterna possibilidade de aprender mais.

Com mais experiência e conhecimentos, nossas compras tendem a ser cada vez melhores, desde que respeitadas as atitudes anteriores. E lembre-se desta frase de Leonardo da Vinci: “Aprender é a única de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende.”

Conclusão

Para realizar uma boa compra que envolve maior complexidade, como a de carros e imóveis, é necessário esforço acompanhado das atitudes mencionadas.

Sem dúvida, considerando os preços praticados no Brasil, vale a pena investir tempo e energia numa boa fase de preparação. Com isso, os resultados tendem a ser mais do que compensadores.

No meu trabalho como consultor automotivo pessoal na Carro e Dinheiro, eu noto na prática como as pessoas que seguem essas atitudes acabam sendo bem sucedidas em suas decisões. Nas conversas com clientes, é comum ouvir algo como: “Nossa, Mattera, como tem coisas que eu, muito leigo, nem imaginava que eram tão importantes…”

Depois que escrevi o livro digital “Como Escolher o seu Carro Ideal” (clique para saber mais), também tenho recebido relatos de leitores no mesmo sentido, como o deste vindo do Rio de Janeiro: “Estou usando todos os conhecimentos do livro. O mais engraçado é que as pessoas que eu achava que sabiam muito de carros sabem menos que eu agora. No sentido de saber o que vale a pena na hora de comprar um carro.”

Finalmente, se ainda resta alguma dúvida de que vale a pena esforçar-se em busca de informações para uma compra inteligente, não se contentando com meras listinhas superficiais de carros que surgem na internet, reflita sobre o pensamento de T. Harv Eker: “Se você só tiver disposto a realizar o que é fácil, a vida será difícil. Mas se concordar em fazer o que é difícil a vida será fácil”.

Não corra o risco de pagar (ainda mais) caro por um carro que não vale o que custa.

Obrigado pela atenção, um grande abraço e até a próxima!

PS: Para facilitar o controle dos gastos com o seu carro, eu elaborei uma planilha completa e de fácil preenchimento. Ela permitirá cuidar melhor do seu orçamento e você pode baixá-la agora, gratuitamente, no seguinte link: →  http://bit.ly/PlanilhaCarro

Foto “Businesswoman”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários