Você provavelmente já viu aquelas fotos com a comparação envolvendo a aparência de celebridades antes e depois da fama. Também existem muitas imagens mostrando a “diferença” que uma boa maquiagem faz no visual das mulheres. Independentemente desses contrastes, é necessário lembrar que, na essência, elas permanecem as mesmas pessoas.

No mundo dos carros, especialmente num país como o Brasil, também é extremamente importante ter a consciência de que muitos carros abusam da “maquiagem” para parecer que são esportivos ou até mesmo aventureiros.

Na realidade, a maioria não passa de versões comuns que ostentam alguns meros itens de aparência. Dessa forma, são tão “esportivos” quanto um senhor estrangeiro, fora de forma e sedentário, que vai ao calçadão da praia (com sunga e meias até perto do joelho) para correr.

Carros “esportivados” no Brasil

Para que um carro possa ser considerado esportivo de verdade, tal como ocorre nos países desenvolvidos, deve conter uma série de atributos técnicos diferenciados para permitir uma condução mais voltada ao prazer de dirigir.

Nesse sentido, deve oferecer itens como motor mais potente, suspensão mais rígida, pneus com perfil e largura diferentes, câmbio com relações mais curtas, bancos com ergonomia apropriada, freios com outro dimensionamento, entre outros.

Como é evidente, não é isso que costuma ocorrer com as versões supostamente esportivas que são colocadas à venda no nosso mercado. Em vez de todos os aspectos acima comentados, a fabricantes oferecem veículos com simples mudanças estéticas, que normalmente estão relacionadas com novas rodas, adesivos, apliques de plástico, nova grade, máscaras negras nos faróis e outros itens de baixíssima relevância.

Como se isso não bastasse, por conta da influência do marketing e do posicionamento, essas versões costumam ter um preço de compra significativamente mais elevado que as opções convencionais, em relação às quais pouco diferem. E, claro, ostentam nomes com forte apelo emocional, como Sport, Sporting, Pepper, Spicy, Effect, Competition etc.

Por mais incrível que pareça, até caminhonetes molengas e pesadas, com elevada altura do solo, recebem o atributo de “sport” no Brasil.

Para ilustrar isso tudo ainda de forma mais clara, vale citar que o Canal Acelerados (Youtube) promove voltas rápidas com diversos carros pilotados por Rubens Barrichello. Comprovando tudo o que foi comentado, um carro com nome acrescido de Sporting é o que ocupa a última colocação no ranking atual.

Os supostos esportivos e o seu bolso

Como já foi dito, as versões “esportivadas” custam mais caro na hora da compra. Em relação aos custos durante o período de propriedade, também tendem a ser maiores, principalmente por conta dos gastos com o seguro. Apesar de apresentarem mudanças meramente estéticas, esses carros atraem um público com perfil de risco maior, o que se reflete no preço do prêmio.

Além disso, algumas peças de acabamento específicas podem ser caras e difíceis de serem encontradas. Se os pneus tiverem um perfil mais baixo, para contar com rodas maiores, também trarão mais custos, além de estarem mais expostos a danos por conta das imperfeições da pavimentação. Além disso, pode haver oferta restrita de marcas de pneus com determinadas medidas, o que também afeta o preço.

Por fim, no momento da venda os impactos financeiros tendem a se acentuar em função da maior depreciação e de uma provável maior dificuldade de revenda.

Conclusão

Para quem valoriza o seu dinheiro, o processo de escolha e compra de um carro está cada vez mais complexo e demanda um bom planejamento. Todos os custos estão subindo de forma acelerada (bem mais rápida do que a velocidade atingida pelos supostos esportivos nacionais).

Antes de escolher qual carro comprar, avalie todos os aspectos essenciais (técnicos e relacionados com a qualidade e segurança) para que você não pague muito mais caro por carros que não valem o que custam.

Pensando justamente nas pessoas que valorizam o custo-benefício, eu elaborei o livro digital “Como Escolher o seu Carro Ideal” (clique agora para conhecer), que traz um roteiro absolutamente completo para uma decisão de compra consciente.

Muitos leitores têm relatado que conseguiram comprar bons carros em condições interessantes, considerando todo o desafiador cenário que temos no Brasil. Convido você a conhecer este trabalho que é fruto de anos de experiência e pesquisa, inclusive usando o mesmo método que aplico na minha consultoria automotiva pessoal.

E lembre-se: se você efetivamente quiser comprar um carro esportivo, que seja um de verdade. O consumo consciente depende de cada um de nós. Obrigado pela atenção, forte abraço e até a próxima!

PS: Para facilitar o controle dos gastos com o seu carro, eu elaborei uma planilha completa e de fácil preenchimento. Ela permitirá cuidar melhor do seu orçamento e você pode baixá-la agora, gratuitamente, no seguinte link: →  http://bit.ly/PlanilhaCarro

Foto “Sports car and girl”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários