A maior parte das estratégias de venda de carros envolve a atração de clientes às concessionárias e lojas. No entanto, para realizar uma boa compra, pensando no seu bolso, é altamente recomendável que você se prepare antecipadamente, bem como tenha alguns cuidados quando estiver no estabelecimento.

Para gerar o chamado “fluxo de loja”, há várias inciativas das fabricantes e dos comerciantes de carros, principalmente com o objetivo de colocar os clientes em um ambiente propício e com vendedores treinados para persuadir o consumidor a comprar.

Nesse sentido, há promoções, feirões, brindes, promessas de juros baixos e o oferecimento de versões com preço que apenas aparentemente são atraentes, como veremos abaixo.

Evidentemente, é preciso ter consciência de que os interesses do lado vendedor são diversos em relação aos consumidores. Existem estoques para serem comercializados e um conjunto de metas para cumprir para gerar o lucro necessário ao desenvolvimento da atividade empresarial.

Aliás, não há nada de errado nisso, considerando o sistema em que vivemos, os investimentos e toda a estrutura de custos envolvidos, bem como o fato de que ninguém é obrigado a adquirir um carro.

Por conta disso, neste artigo, o foco será em atitudes interessantes a serem adotadas por você, que dá valor ao seu dinheiro, para realizar melhores negociações e aquisições, dentro da realidade existente no mercado.

Atitudes antes da compra

Como foi comentado no meu artigo anterior: Carros: 5 atitudes essenciais para uma compra inteligente, é recomendável pesquisar, planejar e analisar os aspectos relevantes para a compra consciente de um novo carro.

Considerando a ampla oferta de informações, nos ambientes on-line e off-line, bem como os serviços profissionais e produtos que auxiliam os consumidores, o melhor caminho é avaliar antecipadamente e com calma quais são as melhores opções de carros para o seu perfil.

A principal sugestão neste ponto é procurar selecionar as três melhores opções teóricas de carros candidatos à compra, antes de visitar as lojas.

De acordo com o método apresentado no livro “Como Escolher o seu Carro Ideal” (clique para detalhes), de minha autoria, existem 5 passos indispensáveis para a avaliação completa de tudo que importa na hora de decidir qual carro comprar.

Inicialmente, o fundamental é atentar para as suas necessidades e pesquisar aspectos relacionados com a qualidade e segurança do carro, com o objetivo de escolher carros que sejam bons e que estejam compatíveis com a sua capacidade financeira.

Somente após uma análise criteriosa desses pontos, considero interessante também levar em conta o lado emocional, conciliando o racional com o seus desejos e gostos.

É importante ainda avaliar as condições gerais e específicas do mercado. Por exemplo, vale observar como andam as vendas da marca, como tem sido o ranking de venda dos modelos pretendidos, se existem concorrentes atuais e futuros mais interessantes, se o carro desejado sofrerá mudanças ou sairá de linha e etc.

Cuidados na loja ou concessionária

Em muitos momentos das nossas vidas, acabamos caindo naquela armadilha relacionada ao “já que…”. Explicando melhor: pense numa reforma de casa, que é algo sempre desafiador para as pessoas e seus bolsos. Suponha que alguém inicie uma repintura no quarto. Mas, “já que” vai ficar bem mais bonito, é melhor trocar a porta e a janela. Aliás, “já que” começaram tantos trabalhos, é melhor também trocar o piso e os móveis, e assim por diante.

Por conta dessa realidade, é necessário bastante cautela para evitar possíveis gastos adicionais desnecessários na hora de comprar um carro. Usarei outro exemplo para ilustrar.

Vamos imaginar um sedan hipotético que tenha o preço anunciado como “A partir de R$ 49.990”. Atraídos pela boa imagem do carro e o preço aparentemente tentador “abaixo de R$ 50 mil”, muitas pessoas decidem ir à concessionária interessadas na compra.

Chegando lá, elas ficam sabendo que, para aquela versão de entrada, há uma fila de espera com mais de três meses. No entanto, a versão intermediária está disponível para test-drive e entrega imediata, contando com câmbio automático e detalhes de design (“O que facilitará a revenda”, nas palavras do vendedor). O preço, no entanto, salta para R$ 57.990.

“Já que” o consumidor está na loja e inclusive pode também estar cansado depois de ter visitado outras concessionárias sem sucesso, ele decide testar e gosta do carro.

Fazendo simulações de financiamento, inclusive adicionando alguns acessórios por mais R$ 3 mil, ela percebe que a diferença na parcela “não será tão grande”. Com essa questionável “contabilidade mental”, acaba ficando com o carro e gastando muito mais do que imaginava inicialmente.

Além disso, há uma série de outras técnicas de venda que podem seduzir o consumidor na loja, principalmente porque ele está exposto ao uso de todos os seus sentidos quando entra em um carro. O tal “cheirinho de carro novo” é uma delas.

Outro ponto que merece atenção é a teórica boa avaliação do usado que será incluído no negócio, acompanhada de um aumento (ou não concessão de desconto) no preço do novo carro pretendido.

Enfim, sempre é bom ter bastante cuidado para que o marketing não faça sua cabeça, como discutimos neste outro artigo.

Conclusão

Nas lojas e concessionárias, é sempre importante ficar atento porque todas as estratégias de venda são voltadas para persuadir, principalmente utilizando fatores emocionais.

Conhecendo suas prioridades, os aspectos mais importantes envolvendo o carro e as condições do mercado, certamente você terá condições de, mantendo o controle emocional, realizar negociações bem melhores, não se deixando levar por eventuais argumentos meramente de venda.

Para que você tenha exato conhecimento sobre como definir o seu carro, eu me dediquei por muitos meses para escrever o mencionado livro digital “Como Escolher o seu Carro Ideal” (clique para saber mais), que apresenta um conteúdo inovador, independente e exclusivo para que os consumidores possam comprar os melhores carros possíveis, de acordo com seus perfis e condições financeiras.

Finalmente, sobre a importância de se preparar para sua negociação, lembre-se desta frase de Leonardo da Vinci: “É mais fácil resistir no início do que no final.”

Obrigado pela atenção, um grande abraço e até a próxima!

PS: Para facilitar o controle dos gastos com o seu carro, eu elaborei uma planilha completa e de fácil preenchimento. Ela permitirá cuidar melhor do seu orçamento e você pode baixá-la agora, gratuitamente, no seguinte link: →  http://bit.ly/PlanilhaCarro

Foto “Car keys”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários