Há quase três anos os leitores do Dinheirama têm acompanhado os meus artigos sobre o tema “carros e finanças”. Durante esse período, devido à situação econômica do país e às peculiaridades do nosso mercado automotivo, a importância de um bom planejamento financeiro, envolvendo os custos dos veículos, têm crescido continuamente.

Existe um assunto, no entanto, que merece um foco especial. Trata-se do seguro do seu carro, que tem se tornado cada vez mais importante por uma série de fatores. Para ilustrar como é fundamental ter atenção para esse aspecto, gostaria de citar o seguinte trecho de uma mensagem que recebi na época que estava escrevendo o meu livro digital, o “Como Escolher o seu Carro Ideal”:

“Tenho (ou melhor, tinha) um carro zero, ainda não estava no seguro (erro, vacilo, bobeira, enfim… culpa minha por não ter colocado no seguro). O carro foi virado e sofreu várias “capotadas”. Só tinha sido paga a primeira parcela (de 60), aí percebe-se o tamanho do prejuízo. Meu Deus!”

Realmente esse (extremamente) triste caso foi bastante marcante para mim, embora eu já tenha acompanhado uma série de casos em que a falta de seguro também trouxe seríssimos prejuízos a outras pessoas.

Para evitar situações como essas, é crucial entender a importância de se ter um seguro para o seu carro, considerando todos os riscos existentes. Aliás, é bom lembrar que essa necessidade é ignorada por boa parte dos brasileiros, já que, de acordo com dados da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), 70% de todos os automóveis em circulação no Brasil não têm seguro.

A Importância do seguro do seu carro pensando no seu patrimônio

Como você já sabe, os carros no Brasil são caríssimos e representam um dos maiores gastos que temos em nossas vidas. O preço de compra deles, aliás, tem crescido acentuadamente nos últimos tempos, como comentei no artigo Carros: os Preços estão cada vez mais Absurdos! O que vem pela frente?

Nesse contexto, a falta de seguro do seu carro pode acarretar consideráveis prejuízos, principalmente nos carros de roubo, furto, incêndio e acidentes que implicam perda total.

Em relação aos casos envolvendo os crimes, é necessário lembrar que os delitos e a violência têm aumentado gravemente no Brasil. Para se ter uma ideia, somente em 2014 houve um crescimento de cerca de 10% no roubo e furtos de veículos, conforme levantamento realizado Confederação Nacional das Seguradoras. Em outra pesquisa recente, realizada pela empresa Ituran, o aumento foi de 13% em 2014 na cidade de São Paulo.

No que diz respeito aos custos com reparos decorrentes de acidentes, vale frisar que os custos com peças e mão de obra também têm sofrido grande elevação. Esse cenário tende inclusive a intensificar os casos de perda total, considerando que, em muitas hipóteses, financeiramente não compensa a realização do conserto.

Acrescente-se que, diante da tendência crescente de falta de peças à pronta entrega, em muitos casos o carro fica parado por um bom tempo. Nessas ocasiões, o direito a um carro reserva pode ser bastante relevante pensando na comodidade e nos gastos.

Por outro lado, certamente haverá pessoas comentando que não vale a pena pagar o seguro anualmente. Para justificar essa atitude, costumam citar casos em que, com a economia gerada ao longo do tempo, seria possível juntar dinheiro suficiente para adquirir outro veículo.

Esse pensamento pode ser válido em raras circunstâncias, mas é necessário destacar alguns pontos:

  • A pessoa precisa ter certeza de que seu patrimônio pode suportar tranquilamente uma eventual perda do carro durante esse período;
  • É necessário ter disciplina financeira para separar os gastos correspondentes ao seguro para criar um fundo específico;
  • Deve-se atentar para os aspectos analisados no próximo item, referente aos terceiros.

A Importância do seguro do seu carro pensando em terceiros

Como mencionado na parte final do tópico acima, embora seja recomendável ter um seguro, há casos de pessoas com perfis e peculiaridades que podem, em tese, abrir mão da proteção para os seus patrimônios. Nessas situações, o risco é relativamente calculado.

Agora quando pensamos nos prejuízos que podem ser causados a terceiros pelo seu carro, a situação torna-se diferente e exige cautela redobrada. Afinal, não é possível estimar os eventuais danos (materiais, físicos e morais) que podem ser causados aos patrimônios de terceiros.

Sempre é importante ter em mente que existe o dever de indenizar pelos prejuízos causados. Para exemplificar, vale lembrar que temos cada vez mais carros de marcas premium em circulação e, inclusive, pequenas colisões podem gerar custos de conserto altíssimos.

Portanto, mesmo nos casos de opção pela não contração de um seguro para o seu carro, eu considero praticamente indispensável contar, ao menos, com a proteção contra danos causados a terceiros.

Pesquise bastante antes de contratar um seguro

A partido do momento em que ocorre a opção por ter um seguro, é altamente recomendável pesquisar muito antes de assinar a sua apólice. Isso se deve ao fato de que os orçamentos podem apresentar variações gigantescas, considerando as diferentes formas de cálculo de cada seguradora, que levam em conta uma série de fatores pessoais e relacionados com as condições regionais e de uso.

Por isso, vale a pena procurar corretores e instituições que comercializam os seguros (especialmente de companhias de primeira linha) para avaliar qual será a melhor alternativa para o seu perfil.

Atualmente, também existe a possibilidade de contar com os serviços proporcionados por corretoras que atuam de forma online, que podem realizar cotações e comparações de forma rápida e eficiente, bastando poucos cliques. Por exemplo, a empresa Bidu presta esse tipo de serviço.

Conclusão

Os leitores do Dinheirama sabem da importância de cuidar bem das finanças em um cenário econômico turbulento como o atual. Por conta disso, é fundamental analisar com a devida atenção todos os impactos financeiros gerados pelos carros.

A contratação de um seguro é algo opcional, mas diante da realidade e dos riscos crescentes a que estamos expostos, é interessante pesquisar e procurar a contração de um seguro que contemple uma boa proteção ao seu patrimônio e ao de terceiros.

No método que apresento no meu livro digital, o “Como Escolher o seu Carro Ideal” (clique agora para conhecer), a importância de avaliar com cuidado o lado financeiro mereceu um capítulo específico. Além disso, eu realizei uma entrevista-bônus, em vídeo, com o educador financeiro Conrado Navarro, sócio-fundador do Dinheirama.com, justamente para aprofundar pontos específicos necessários para boas decisões de consumo.

Finalmente, lembre-se dessa lição de Benjamin Franklin e procure planejar melhor a compra e manutenção do seu carro: “Ao falhar na preparação, você está se preparando para fracassar.”

Muito obrigado pela atenção, um grande abraço e até a próxima!

 

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários