Inteligência financeira é tudo!Renata comenta: “Navarro, tenho tido muitos problemas com o cartão de crédito. Já li alguns artigos aqui sobre eles, mas gostaria de sugerir que você resuma, em um artigo, os cuidados e benefícios do tal dinheiro de plástico. Por vezes deixei de pagar a fatura toda e me compliquei e agora estou aprendendo a lidar com este tipo crédito. Que tal se resumisse as faces do cartão de crédito aqui para seus leitores? Obrigada.”

Renata, é muito comum notar cada vez mais brasileiros apelando ao crédito do cartão de crédito, dada sua facilidade e falta de burocracia. O cartão de crédito é um meio de pagamento que oferece inúmeros benefícios, dentre estes a facilidade na aquisição de produtos e(ou) serviços, flexibilidade de pagamento e acesso a dinheiro mediante saques emergenciais. Mas, como você mesmo disse, isso pode se transformar em algo perigoso.

Talvez o dinheiro de plástico seja um dos métodos mais populares de crédito nos dias de hoje, o que, confesso, me assusta um pouco. Embora pareça fácil utilizá-lo, muitas vezes acabamos por abusar de suas vantagens e acabamos cheios de dívidas e pagando uma das taxas de juros mais altas do mercado. Vamos aprender o que é bom e evitar suas armadilhas?

Aproveitando bem seu cartão
As dificuldades das pessoas com o cartão não vêm necessariamente da falta de dinheiro, mas da falta de planejamento. Separei algumas dicas super simples, mas nem sempre óbvias:

  • Pague a fatura do seu cartão em dia. A taxa de juros usada na rolagem de dívidas do cartão é das mais altas praticadas hoje em dia no mercado. Fuja dela;
  • Conheça e respeite a data de vencimento. Procure defini-la de forma a garantir que haja dinheiro suficiente para o pagamento da fatura naquela data. Lembre-se também de dar atenção ao prazo de fechamento, período entre o fechamento da fatura e seu pagamento, quando as compras só aparecerão no extrato do mês seguinte. Se não estiver satisfeito com o prazo, ligue e renegocie-o junto à operadora;
  • O cartão de crédito não é dinheiro grátis. Pode parecer besteira, mas a visão infantil do crédito ainda existe em algumas famílias. Usou, pagou, lembre-se sempre disso;
  • O cartão de crédito não é um substituto ao dinheiro vivo. Procure pagar suas contas e usar cédulas no seu dia-a-dia, deixando o cartão de crédito apenas para parcelamentos maiores e compras cujo o prazo até a próxima fatura seja vantajoso;
  • Mantenha contato próximo com o emissor do cartão e sua bandeira. Não deixe para queixar-se apenas em casos mais críticos. Reclame de um eventual atraso da fatura, de um valor cobrado indevidamente, de um acordo não cumprido. Faça valer seus direitos e mostre que você é um cliente preocupado e participativo.

Se usar seu cartão de crédito com responsabilidade, você estará fortalecendo o seu futuro financeiro. O crédito é uma ferramenta importante, mas que deve ser usada com inteligência. Evite algumas armadilhas:

  • Seu cartão de crédito não é um segundo salário. Ponto. Assim, use-o como uma ferramenta, não como uma solução para todos os seus problemas;
  • Aprenda a matemática básica das finanças pessoais. Gaste menos do que você ganha. Com o cartão, preste atenção aos dias em que sai com a família e com aquelas ocasiões onde está sem dinheiro (cédulas) na carteira. Corra para casa e esconda-se lá;
  • Lembre-se dos juros ao efetuar pagamentos atrasados. Quanto mais demorar a pagar, maior será sua dívida. Simples assim. Além disso, sempre acabam incidindo taxas adicionais e maiores complicações na obtenção de novo crédito no futuro. Evite transtornos pagando tudo em dia;
  • Não brinque com o limite. Na dúvida, peça por limites de crédito mais baixos. Evite esticar demais as possibilidades de gasto, pois as chances de dívidas e juros maiores se transformarem em pesadelo são igualmente proporcionais aos “abusos” que você pode cometer.
  • Não tenha vergonha. Se por acaso houver algum problema no pagamento da fatura, não hesite em telefonar para fazer um acordo. Quanto mais tempo se passar sem que você tome alguma providência, pior será a situação. Atitude é tudo!
  • Encare com seriedade seu orçamento doméstico. Use o cartão de crédito apenas em ocasiões onde ele é realmente interessante, lembrando de jamais rolar dívidas e pagar apenas a parcela mínima.

Se, mesmo depois dessas dicas e verdades sobre o cartão, você ainda acredita que o dinheiro de plástico é essencial para o seu cotidiano, experimente deixá-lo em casa por alguns dias. Agora experimente a sensação por alguns meses. Você vai chegar à uma incrível constatação: a vida continua.

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários