Home Finanças Pessoais Cartão de Crédito: como fazer pela internet?

Cartão de Crédito: como fazer pela internet?

por Ricardo Pereira
0 comentário

O cartão de crédito é certamente uma das formas de pagamento que mais atraem a atenção das pessoas. Por isso, vamos conhecer agora maneiras de você conquistar o seu.

Antes de mais nada, vale lembrar que como toda ferramenta, a utilização do cartão requer o mínimo de conhecimento e também um pouco de bom senso.

Desse modo, quando o cartão de crédito é bem utilizado, além de ser um facilitador do orçamento também organiza o orçamento e controle financeiro.

O que é cartão de crédito?

Então, volto a lembrar que o cartão de crédito é um meio de pagamento e não um grupo de gastos.

É um cartão de plástico (ou digital) que pode conter ou não um chip e apresenta na frente o nome do portador, número do cartão e data de validade (pelo menos). E, no verso, um campo para assinatura do cliente, o número de segurança (CVV) e a tarja magnética (geralmente preta).

A saber, o cartão de crédito surgiu na década de 1920, nos Estados Unidos. Inicialmente, apenas os clientes mais fiéis recebiam os cartões de crédito.

Ou seja, aqueles clientes que o dono do estabelecimento acreditava serem confiáveis por pagarem suas compras em dia.

No Brasil, o empresário tcheco Hanus Tauber (precursor dos cartões no Brasil), em 1954, comprou nos Estados Unidos uma franquia da Diners, propondo sociedade no cartão com o empresário Horácio Klabin. 

Em 1956, o Diners chegou ao Brasil, sendo a princípio um cartão de compra e não um cartão de crédito.

Em 1984, a Credicard comprou a Diners Club do Brasil, mas foi na década de 1990 que ocorreu o lançamento do cartão de crédito internacional e em 1994, com a chegada do Plano Real, ele só fez aumentar o crescimento do produto.

Cartão de crédito consignado

O cartão consignado é, de fato, muito semelhante a um cartão de crédito comum. No entanto, diferente das opções de cartões convencionais, o consignado tem um público específico: aposentados, pensionistas do INSS e servidores públicos.

Os grandes diferenciais do cartão de crédito consignado são: a taxa de juros reduzida (2,7% ao mês) e o desconto do valor mínimo da fatura descontado automaticamente da folha de pagamento ou do benefício de aposentados, pensionistas e servidores públicos.

Cartão de crédito - Dinheirama
Crédito: Mikhail Nilov/Pexels

Como o cartão de crédito funciona?

Sem dúvida o brasileiro utiliza muito o cartão de crédito no dia a dia. A facilidade de utilização e pagamento através da utilização da senha torna o pagamento rápido e seguro.

Conforme o próprio nome já diz, o cartão de crédito oferece ao usuário do cartão um limite de crédito, normalmente definido por uma instituição financeira que leva em conta risco e capacidade de pagamento de cada pessoa.

Via de regra, os cartões de crédito apresentam as seguintes informações:

  1. Nome do dono do cartão;
  2. Número do cartão;
  3. Data de validade (com mês e ano);
  4. Espaço para assinatura;
  5. Itens de segurança (hologramas e outros sinais específicos);
  6. Tarja magnética e/ou chip ;
  7. Código de segurança (sequência de três ou quatro números, normalmente impressa no verso do cartão); 
  8. Identificação do emissor (instituição financeira ou empresa que ofereceu o cartão ao cliente) ;
  9. Identificação da bandeira do cartão;

Transações

No caso de transação aprovada, o equipamento do estabelecimento emite duas vias de comprovante. 

A primeira fica com o estabelecimento e a outra com o portador. Em geral, nos casos de transação sem senha, o portador precisa assinar a via do estabelecimento. 

As transações com cartões que possuem chip funcionam da mesma forma, mas com mais segurança contra fraude porque dificultam o processo de clonagem de cartão. 

A maioria dos emissores brasileiros, ao implantarem os chips nos cartões, também implantaram a necessidade do portador digitar a senha.

Por essa razão, algumas pessoas relacionam o chip com a senha, mas, teoricamente, as funcionalidades são separadas.

A opção de parcelamento sem juros (ou “parcelamento loja”) significa dividir o valor da transação em parcelas. 

Nesse tipo de transação, o estabelecimento recebe o valor da venda de forma parcelada. 

A opção de parcelamento com juros significa que o titular do cartão pagará, além do valor combinado, uma taxa de juros definida pelo emissor do cartão. 

Quando utilizada a função de parcelamento da transação, o estabelecimento recebe o valor da venda de uma vez e o emissor recebe os juros a serem pagos pelo titular.

Cartão de crédito: como fazer pela internet

Atualmente existem diversas opções para quem busca um cartão de crédito, principalmente a partir que as fintechs (bancos digitais) trouxeram facilidades ao setor.

Hoje, empresas como Nubank, Neon, Inter, por exemplo, oferecem para seus clientes a chance de abrir uma conta digital e ter acesso ao cartão de crédito.

De fato, os procedimentos costumam ser simples e de rápida conclusão. No entanto, é importante levar em consideração que sempre existe por parte das instituições análise de risco para liberação do cartão e seu limite.

A Grão, parceira do Dinheirama, oferece aos clientes a possibilidade de ter conta digital e acesso ao cartão de débito. Aproveite o momento e abra sua conta na Grão.

Cartões de crédito sem anuidade

Um dos pontos principais em relação ao cartão de crédito, com toda a certeza, é a anuidade.

A anuidade, conforme o nome indica, é uma taxa que o cliente paga a cada 12 meses. Mas, na maioria das vezes, o valor do pagamento é dividido mensalmente.

Cartão de crédito - Dinheirama
Crédito: Mikhail Nilov/Pexels

Por que pagar anuidade do cartão

Os valores da anuidade do cartão podem variar ou até mesmo não existir, conforme a instituição financeira e da modalidade contratada. Por isso, vale a pena fazer uma pesquisa antes de adquirir um novo cartão.

A anuidade do cartão é uma “tarifa de manutenção”, ou seja, serve para custear o serviço.

Educadores financeiros recomendam que os portadores de cartão de crédito entrem em contato com as instituições financeiras para negociar os valores da anuidade.

A concorrência no segmento tem oferecido aos clientes uma gama enorme de cartões, muitos sem anuidade. Assim, é importante pesquisar bastante e entender qual a característica de cada cartão.

Como obter um cartão de crédito

Já que deixamos claro que o cartão de crédito não significa que o crédito seja um dinheiro adicional que você vai utilizar de qualquer forma ou critério.

No Brasil, os juros do crédito são extremamente altos e, por isso, é fundamental ter um bom planejamento na hora de utilizar qualquer uma das formas de pagamento.

É importante lembrar que o planejamento financeiro facilita a concessão do crédito já que é mais fácil para quem tem o “nome limpo” conquistar um bom score, que irá facilitar a concessão do cartão e também de outras modalidades de crédito.

Por que não consigo cartão?

Conforme já mencionamos no decorrer deste artigo, crédito não é dinheiro grátis. A concessão de crédito obedece alguns critérios de risco.

Fundamental para quem busca um cartão é ter um histórico de pagamentos em dia e não ter seu nome listado nos órgãos de proteção como SPC e Serasa.

Por que meu cartão foi recusado

A recusa do cartão de crédito normalmente acontece quando o valor do crédito disponível foi excedido. É importante sempre acompanhar os valores disponíveis e fazer o planejamento financeiro antes de decidir fazer qualquer compra.

Como usar o cartão de crédito

Como os gastos feitos com o cartão são pagos posteriormente, só na data de vencimento da fatura, em algumas situações é possível fazer uma compra e só pagar por ela até 40 dias depois. Isso depende do dia do fechamento e do vencimento da fatura. 

Normalmente, os gastos feitos entre cinco e dez dias antes da data do vencimento ficam para a fatura do mês seguinte. 

Imagine a seguinte situação:

Se a data de vencimento for dia 20 e a de fechamento da fatura for dia 10, uma compra feita dia 9 será cobrada no dia 20 do mesmo mês, enquanto uma feita dois dias depois, no dia 11, só será cobrada no dia 20 do próximo mês. 

Caso você tenha alguma dúvida para saber qual é a data de fechamento da fatura, é aconselhável falar na Central de atendimento do seu cartão.

Cartão de crédito - Dinheirama
Crédito: Kindel Media/Pexels

5 dicas de boas práticas com o cartão

1. Não empreste seu cartão para ninguém

As instituições financeiras levam em conta o perfil de consumo e pagamento para definir os juros cobrados de cada pessoa.

No momento em que empresta o cartão de crédito, você coloca em risco todo seu histórico financeiro.

Emprestar o cartão é alimentar a possibilidade de não receber no momento combinado e também colocar em risco o relacionamento com pessoas próximas.

Então, seja firme e deixe claro que cartão de crédito não deve ser jamais emprestado.

2. Respeite as datas de vencimento

Por incrível que pareça, muitas pessoas ainda deixam de pagar o cartão de crédito na data correta de vencimento por puro esquecimento e/ou desorganização. Ressalto, então, que a disciplina é indispensável para quem lida com o cartão de crédito.

Ao deixar o seu cartão vencer, além dos juros altos cobrados, você terá que arcar com taxas e despesas que comprometerão ainda mais o seu orçamento. Conheça as datas de vencimento e deixe-as marcadas em algum lugar visível. Conheça também as melhores datas para realização de compras.

3. Atenção ao parcelamento de compras

É muito comum as pessoas utilizarem o cartão para o parcelamento de compras. Mais uma vez, vale a lembrança de que as compras feitas (mesmo as parceladas) devem ser inseridas nos controles específicos relacionados a cada tipo de gasto.

Quando o parcelamento é feito, é indispensável manter a organização e o controle para não perder de vista os pagamentos estipulados. Respeite os limites de seu orçamento. Quem faz diversos parcelamentos e não faz o acompanhamento dos gastos muitas vezes pensa apenas no valor da parcela e esquece dos outros valores já comprometidos com o pagamento. Atenção!

4. Encontre outras linhas de crédito mais baratas

Entrar no crédito rotativo do cartão de crédito por um período longo é um grande erro. Os juros são extremamente altos e a facilidade de sua utilização se torna um grande problema. Existem no mercado produtos mais apropriados para quem vai precisar de crédito, com juros muito menores.

Mas, cuidado, já que toda linha de crédito deve ser utilizada com muito critério e planejamento de gastos. Quem entrou no rotativo do cartão e não consegue quitar a dívida deve consultar o banco e buscar opções como crédito consignado ou mesmo um empréstimo pessoal (juros menores) e quitar o cartão de crédito o mais breve possível.

5. Defina limites pessoais para cada grupo de gasto

Cada pessoa possui um limite de compras para o cartão liberado pela instituição financeira e trabalhar com esse limite é, normalmente, um erro. Trabalhe utilizando os seus limites pessoais para realizar compras dentro de seu orçamento real.

Se você for utilizar o cartão de crédito para pagar a conta do supermercado, é importante saber dentro de seu orçamento qual será o valor que poderá ser gasto. Lembre-se que o cartão é uma ferramenta para pagamento e não a despesa em si.

Cartão de crédito é despesa fixa ou variável

É muito comum as pessoas terem dúvidas quanto ao tipo de despesa que o cartão de crédito se enquadra. A verdade é que em nenhuma, pois o cartão não é uma despesa em si e sim uma forma de pagamento.

O valor pago com o cartão pode sim variar, lembrando que existe um limite disponível de crédito, mas o que pode variar são as despesas que podem ser diversas.

Exemplo: Quando fazemos um pagamento com cartão de crédito no restaurante, o valor não deve ser considerado como “cartão de crédito” e sim como “gastos com alimentação”.

Cartão de crédito para negativado

Embora a maioria dos cartões de crédito sejam emitidos após uma rigorosa avaliação da instituição com relação ao solicitante, é possível encontrar cartões que dispensam consulta ao SPC e Serasa.

Algumas instituições disponibilizam a função do crédito para quem tem dinheiro em conta corrente, e condiciona o crédito ao valor lá existente.

É sempre fundamental pesquisar muito bem as condições antes de aceitar qualquer produto ou serviço financeiro.

Regras do rotativo do cartão

Quando você paga somente uma parte de sua fatura (pagamento inferior ao valor total, mas superior ou igual ao pagamento mínimo exigido), o saldo devedor é deixado para o mês seguinte. 

Ele se torna, dessa forma, um empréstimo pessoal de curto prazo, chamado de crédito rotativo.

Com as novas regras do cartão de crédito (de abril de 2017), só é possível usar o crédito rotativo uma vez.

Quando o cliente não consegue pagar o valor total da fatura seguinte, a empresa pode oferecer uma outra linha de crédito.

Isso porque o Conselho Monetário Nacional (CMN) exige dos bancos a obrigatoriedade de transferir essa dívida para o crédito parcelado, que é uma opção de juros menores.

A média da taxa do rotativo é divulgada todo mês pelo Banco Central. 

Por que não usar o cartão de crédito

O cartão de crédito como toda ferramenta quando não utilizada da forma correta pode causar transtornos graves.

Os juros para quem utiliza a modalidade rotativa do cartão em muitas instituições ultrapassam os 300% ao ano. Uma dívida pode dobrar de valor em poucos meses.

Então para quem tem dificuldades em manter o controle financeiro ou vive uma compulsão por compras, talvez a melhor alternativa seja não utilizar o cartão de crédito.

Conclusão

Se você quer utilizar mais e melhor o cartão de crédito, minha sugestão final é dedicar um pedacinho do seu tempo para entrar no aplicativo do seu banco e pesquisar.

Olhe o quanto você paga de juros, olhe com atenção a fatura, olhe o seu cartão de crédito e veja por um momento os detalhes que estão lá.

É muito comum observarmos que as pessoas sempre buscam razões para fugir da responsabilidade quando cometem alguns erros, e isso acontece muito com os cartões de crédito.

O cartão de crédito nunca irá realizar uma compra sozinha, a não ser que exista algum tipo de fraude, nesse caso é importante ficar atento à fatura e as compras. No mais, quem vai lá e decide ou não digitar a senha e comprar é o dono do cartão.

Então, lembre-se de manter um planejamento de comprar e tente ao máximo valorizar as compras com pagamento à vista e negociando quando possível um bom desconto.

Até a próxima!!!

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.