Home Finanças Pessoais Carteira de investimentos: qual a importância e como montar?

Carteira de investimentos: qual a importância e como montar?

por Amarildo Frediani
0 comentário

É provável que em algum momento da vida, você já tenha ouvido falar sobre carteira de investimentos. Então se perguntou: porque esse tema é considerado extremamente importante para um bom desempenho nos investimentos?

Para lhe mostrar a importância, vou começar explicando o que é uma carteira de investimentos.

Imagine que você recebeu uma herança ou uma bonificação no trabalho e resolveu investir este valor. Após uma pesquisa para escolher o melhor investimento, você decide aplicar todo o valor num Fundo DI oferecido pelo seu banco.

Passado algum tempo, você recebe uma nova bonificação pelo seu excelente desempenho e resultados alcançados no trabalho. Com isso a sua escolha é também aplicar este valor para construir um sólido patrimônio.

Então você avalia as opções e aplica em CDB. Após essas duas aplicações, você decide investir mensalmente 10% da sua renda.

Faz uma análise das opções disponíveis, estuda sobre finanças pessoais e descobre que existe uma modalidade de investimentos com excelente rentabilidade chamada Tesouro Direto. Agora você abre conta numa corretora e passa a investir mensalmente no Tesouro Direto.

Ebook gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

Com todas essas aplicações realizadas, a sua carteira de investimentos acabou de ser constituída. Perceba que você formou uma carteira de investimento 100% em renda fixa, porém distribuída em três aplicações: Fundo DI, CDB e Tesouro Direto.

Organizando sua carteira de investimentos

A carteira de investimentos nada mais é do que um conjunto de ativos que tem como objetivo principal a diversificação do patrimônio para diminuição do risco.

Caso você invista 100% do seu patrimônio num único ativo e este venha a ter um desempenho ruim (ou sofra uma grande queda), todo o seu patrimônio estará comprometido.

Porém, ao montar uma carteira diversificada, você passa a ter um equilíbrio e não compromete a totalidade dos seus ativos.

Além da diminuição do risco, a carteira de investimentos pode ser montada para atender objetivos financeiros distintos. Você pode dividir sua carteira em três partes, por exemplo:

  • Fundo de emergência,
  • aposentadoria (independência financeira) e,
  • investimentos para oportunidades.

Dentro de cada uma delas você tem a opção de mesclar os ativos (renda fixa, multimercados, renda variável, entre outros) de acordo com o seu perfil de investidor.

Leitura recomendada: Você sabe qual é o seu perfil de investidor? Como descobrir isso?

Uma carteira bem diversificada irá lhe proporcionar equilíbrio e um monitoramento mais apurado do risco destes ativos.

Se a renda variável não tem um bom desempenho durante um determinado período, por outro lado, a renda fixa pode ter uma performance acima do esperado e equilibrar a rentabilidade da carteira.

Conclusão

Portanto, você deve avaliar qual o seu perfil de investidor, quais os seus objetivos, o quanto você está disposto a assumir de risco e montar a sua carteira de investimentos de acordo com os seus objetivos.

Não existe uma carteira ideal. O que é bom pra mim, pode não necessariamente ser bom para você. Tudo dependerá do objetivo de cada um.  Boa sorte e sucesso na montagem da sua carteira de investimentos! Obrigado e até a próxima!

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.