Dentro da atual estrutura de negócios, é impossível desassociar a Internet das iniciativas comerciais de sucesso. E isso acontece tanto para pequenos empreendedores, interessados apenas em ter um negócio simples, quanto para as grandes empresas que se tornam cada vez mais exemplos de como os novos perfis de negócios estão sendo feitos.

Dentro desses novos perfis de negócios, existe um conceito muito útil, capaz de fazer toda a diferença dentro do empreendedorismo moderno, incluindo aí toda a Internet. Esse conceito chama-se cauda longa, uma ideia que faz muito sentido nos dias de hoje e que tem tudo para ser a forma mais inteligente de ganhar dinheiro durante os próximos anos.

Leitura recomendada: A cauda longa: a tendência dos mercados

Uma era onde os nichos se tornam mais importantes

Basicamente, dentro do conceito da cauda longa o mais importante é conseguir lidar com os nichos. Se fosse para resumir o que a cauda longa quer dizer, seria isso: a capacidade de oferecer aos nichos a mesma qualidade que muitas empresas tentam oferecer às massas.

Com o advento da Internet, deixamos de precisar obedecer às regras impostas pelos limites físicos, ou seja, acabamos tendo novas formas de lidar com nossos estoques. Antigamente, uma empresa precisava ter uma quantidade limitada de estoque, focando sempre naquilo que era comercialmente melhor.

Ao entrar em uma vídeo-locadora, por exemplo, você sempre encontrava uma grande quantidade de lançamentos, mas filmes cults ou com pouca procura eram mais difíceis de achar. Já hoje em dia, acessando o Netflix você tem acesso a uma grande quantidade de títulos, catalogados e demonstrados de maneira muito diferente.

O investimento em quantidade e variedade acaba atraindo novos nichos, dando novas formas para os negócios. Em vez de ter 3 títulos que saem com frequência, é possível ter 15 títulos que saem pouco e ainda assim conseguir uma rentabilidade maior do que o modelo de negócios anterior. A resiliência dos pequenos nichos produz o efeito cauda longa.

Leitura recomendada: 4 livros essenciais para quem quer empreender com sucesso 

A cauda longa gera fidelidade

Uma grande diferença dos negócios que utilizam a cauda longa em sua estratégia é a capacidade de construir e trabalhar a fidelidade dos clientes. Quando se trabalha com nichos, a tendência é sempre trabalhar com pessoas fiéis às suas preferências.

Assim, quando uma empresa oferece um tipo de serviço que entrega algo que a pessoa procura, mas que era muito difícil de conseguir, ela provavelmente procurará esse lugar para novas compras e o indicará dentro de seu incho.

Dessa forma, serviços como Netflix, Spotify e Amazon atraem clientes que se tornam fiéis, fazendo muitas compras que compensam a ausência de um público médio, dando a oportunidade dessas empresas de variarem os produtos disponíveis e atenderem a um público muito variado.

É bem verdade que em muitos casos a rentabilidade e a escalabilidade dos negócios focados em nichos são colocados em xeque, mas ainda assim é interessante notar como a tendência de oferecer produtos específicos ganhou força com a Internet.

Muitas destas empresas também se preocupam também em oferecer produtos voltados para o público médio, mas, na maioria das vezes, ao aplicar os conceitos da cauda longa, essas empresas estão priorizando os clientes que valorizam empresas que fazem produtos sobre demanda para eles.

Leitura recomendada: É possível aproveitar programas de fidelidade para economizar? 

Acho bem interessante a discussão em torno da cauda longa porque se o Dinheirama existe e prospera, é porque existe um público que se interessa por educação financeira, um tema ainda longe do interesse geral da nação e seus cidadãos. Sim, somos uma empresa de nicho, e amamos estar em contato com você dessa forma. Isso talvez não fosse possível algum tempo atrás. Já pensou nisso?

Agora pense a respeito de outras empresas, pessoas, temas e assuntos que você também acompanha e que representam produtos e consumo que antes não seriam possíveis. A cauda longa está muito mais presente em sua vida do que você imagina, e isso deve continuar se acentuando. Concorda? Deixe suas impressões sobre isso nos comentários. Até a próxima!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários