Inteligência financeira é tudo!Como fazer para se livrar de suas dívidas e problemas de dinheiro? Infelizmente, esta é uma pergunta muito comum que recebo diariamente no Dinheirama. Não há nenhuma receita pronta, enlatada, para o sucesso nas finanças[bb], assim como não há nenhuma garantia de que as dicas encontradas nos livros, ou em sites como este, farão alguma diferença em sua vida. A verdadeira força reside no grande potencial de realização presente em cada um de nós e na forma como encaramos nosso relacionamento com o dinheiro e suas variáveis. Está ai outra coisa que não canso de falar.

Este mês recebi um relato surpreendente de um leitor. Ao ler seu e-mail, pude perceber mais uma vez a importância da auto-estima e do interesse genuíno em prosperar. Suas palavras fortes, motivantes e inspiradoras fizeram-me refletir por alguns instantes: será que tudo o que somos não é simplesmente um reflexo daquilo que fazemos e de nossas atitudes simples do dia-a-dia? A retórica parece simplista demais diante deste importante debate, mas reflete bem meu espanto diante de tantas situações inusitadas do cotidiano contemporâneo. Somos o que queremos ser, mas será que estamos prontos para perceber isso quando o assunto é dinheiro?

Este artigo traz lições verdadeiras e sinceras, trazidas por um leitor que concordou ter seu texto publicado. Optei por manter o nome do autor resguardado e manter intactos os trechos que me foram enviados, fazendo apenas breves considerações entre eles.

“Olá Navarro. Gostaria de contar um pouco da minha história de endividado e aproveitá-la como gancho para sugerir dicas para as pessoas que estão com a corda no pescoço e não sabem como sair dessa. Há 3 anos montei uma video-locadora em sociedade com um amigo. Na época, não tinha dinheiro e então refinanciei meu carro para levantar capital e fiz um empréstimo também com meu irmão. Apesar disso, o negócio começou muito bem, fizemos várias promoções e conseguimos aumentar muito o faturamento. Conseguíamos pagar as parcelas dos empréstimos todo mês e reinvestiamos o lucro, pois ambos tinhamos outro emprego.

Um ano depois a pirataria não deu mais trégua (todos sabemos como está hoje) e o faturamento da locadora caiu pela metade de um mês para o outro. Depois de 6 meses, não resistimos. Não conseguimos sequer vender a locadora, tendo que baixar as portas e tentar vender o nosso acervo de DVDs para pagar o prejuízo. Outra grande decepção: o excesso de vídeo locadoras fechando despejou milhares de DVDs no mercado, fazendo com que eles não valessem mais nada. Esse foi o fim da minha pequena vida de empresário e o primeiro passo para minha vida de endividado”

Repare como o leitor decidiu abordar o nascimento de seu negócio e o raciocínio financeiro empregado no trabalho. Ambos os sócios optaram pela alavancagem, já que não tinham dinheiro, mas estavam cientes da necessidade de usar o dinheiro financiado para alavancar as vendas, quitar as dívidas e reinvestir no negócio[bb]. No entanto, uma externalidade impactou diretamente o negócio e inviabilizou a prosperidade da dupla. Você simplesmente desistiria?

“Um mês depois da empresa falir e ter deixado uma divida de 15 mil reais, descobri que minha namorada estava grávida. Lá estava eu com uma dívida enorme, cursando faculdade, carro 90% financiado e minha namorada grávida. Sentado em frente ao micro em casa fiquei pensando no que poderia fazer para sair daquela situação. Recorri à Internet (que normalmente tem muitas repostas para nossos problemas) e decidi pesquisar ‘faliu atingir sucesso’. Surgiu uma resposta: ‘Walt Disney faliu várias vezes e sofreu uma crise nervosa antes de atingir o sucesso’. Esse era o exemplo de força que eu precisava. Assim, passei a tarde toda tentando me motivar com histórias felizes e me convencer de que não estava no fundo do poço.

Neste mesmo dia percebi quanto o poço era fundo. Mas foi nessa mesma tarde também que eu conheci o Dinheirama. Mais, foi nessa tarde que eu comprei um livro chamado “Os principios do Sucesso”, escrito por Jack Canfield. Aprendi que todo ensinamento está perdido, assim como o tempo que você gastou para aprendê-lo, se você não colocá-lo em prática. Mas ele também está perdido, e pode ser ainda mais prejudicial, se você não praticá-lo de maneira saudável”

A atitude fez toda a diferença diante da tragédia financeira de nosso amigo leitor. A história é mais comum do que imaginam, mas as ações diante do problema é que demonstram a verdadeira essência do empreendedor de sucesso. A diferença não está no que você faz quando atinge o sucesso, mas em sua reação diante de um fracasso. Reparem no incrível aprendizado decorrente desta experiência, relatado pelo próprio leitor:

  • Decidi que eu era o responsável pela minha vida e essa foi a decisão mais importante que pude extrair da situação. Só assim deixei de me sentir vitima das minhas “burradas” financeiras;
  • Decidi ligar para o meu irmão e renegociar minha dívida com ele. Já que os juros que acordamos eram pequenos, negociei com ele o maior o prazo possível;
  • Decidi que ia usar o meu tempo livre para prestar serviços na área em que atuo e fazer qualquer coisa (que não fosse ilícita) para aumentar minha renda. Isso vem dando muito certo;
  • Decidi que não venderia meu carro, pois ele me leva para o trabalho e para a faculdade quando estou atrasado, permitindo que eu maximize o meu tempo de forma a lucrar com minha renda extra. No entanto, não vou trocá-lo por um novo tão cedo e não gasto mais do que as manutenções periódicas;
  • Decidi que iria adiantar o pagamento das parcelas do carro para pegar os descontos do financiamento e quitá-lo o mais rápido possível, já que ele apresenta a maior taxa de juros entre as minhas dividas;
  • Minha ex-namorada, agora esposa, é a mulher de minha vida e a chegada de nossa filha é uma benção. Tenho que oferecer um mínimo de conforto para nossa família, mesmo que isso me custe um pouco mais de dívidas. Isso implicou em alugar um apartamento, financiar alguns móveis em 10 vezes e comprar alguns eletrodomésticos à vista;
  • Decidi também que nunca mais me endividar à toa e comprar mais à vista (só parcelei os móveis do AP devido à urgência do caso). Isso vem dando certo.
  • Deixei de acessar o bankline para ver quanto tenho de limite e passei a acessá-lo para ver o quanto eu posso investir e qual a situação atual dos fundos de investimentos, apesar de ainda não ter nenhum centavo para investir. Isso me ajuda a entender o quanto as minhas dividas estão custando, o quanto eu ganharia se aquele dinheiro estivesse aplicado e me ajuda a entender o mercado para me tornar um bom investidor no futuro;
  • Decidi que não ia desistir de me tornar um empresário. Afinal, sou brasileiro e não desisto nunca. Nos últimos meses aprendi muito sobre finanças e me sinto mais preparado e muito mais cauteloso;

UAU! A mudança de comportamento apresentada é fantástica e muito especial. Quantas vezes você já não pensou em seguir algumas dessas dicas, mas acabou “sem tempo” ou “sem energia” por conta da preguiça e(ou) acomodação? Os resultados da auto-motivação e auto-estima[bb] são o ponto de partida para a solução de seus problemas financeiros. Contas devem ser pagas com dinheiro, mas também com valores e princípios. Confira o que nosso colega conseguiu depois de tanto esforço:

  • Consegui, em média, dobrar minha renda nos últimos 4 meses, trabalhando como consultor nas horas vagas, finais de semana etc;
  • Já quitei boa parte da divida com meu irmão. Atualmente devo R$ 6 mil e devo quitar essa divida até o final do ano;
  • Estou com o financiamento do carro adiantado nove meses e também pretendo quitá-lo até o final de 2008;
  • Estou casado, minha filhinha vai nascer daqui uma semana e temos um lar muito agradável e adequado para sua chegada, mesmo embora o apartamento seja alugado e ainda faltem sete prestações dos móveis.

“Hoje faz seis meses que afundei o pé na jaca e tomei essas decisões. Acredito que tudo que me aconteceu foi muito positivo. Fui até o fundo do poço, mas estou saindo e me sinto muito mais forte. Quero agradecer a todos que contribuem de qualquer forma com o Dinheirama, quero parabenizá-lo (mais uma vez) Navarro e quero registrar meu muito obrigado ao Jack Canfield, autor do livro “Os Principios do Sucesso”, que carrego comigo o tempo todo”

Que tal pessoal? Será que passar a vida no vermelho, devendo para todo lado e reclamando da vida é mesmo uma sina ou a atitude e a perseverança podem mesmo fazer alguma diferença? Deixo a conclusão do artigo para cada um de vocês, certo de que a mensagem tocará seus corações, como aconteceu comigo. Quando não temos compromisso com erro, mas apenas com nossa felicidade, tudo é possível. Só assim vencer passa a ser uma simples questão de opção. Obrigado, ganhei o dia.

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários