Home Agronegócio China desacelera exportações de fertilizantes, aumentando preocupação do setor na Índia

China desacelera exportações de fertilizantes, aumentando preocupação do setor na Índia

Os futuros da ureia na China caíram cerca de 4% desde os anúncios das empresas chinesas

por Reuters
0 comentário

 Cerca de meio milhão de toneladas de ureia estão retidas em portos chineses depois que a China restringiu as exportações do principal fertilizante após um aumento nos preços, disse um analista e funcionário de uma empresa indiana.

Como maior produtora mundial de ureia, a China é responsável por cerca de um terço do fornecimento global do fertilizante à base de nitrogênio, que é fundamental para o cultivo de safras.

Dois produtores estatais chineses de ureia priorizarão o fornecimento doméstico, segundo avisos das empresas deste mês, enquanto as inspeções portuárias de algumas cargas do produto químico foram suspensas, disse Gavin Ju, principal analista de fertilizantes do Grupo CRU.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China (NDRC) não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Cerca de meio milhão de toneladas de ureia compradas pela Indian Potash Limited (IPL) estão atualmente retidas no porto chinês de Tianjin, aguardando inspeções e liberação, disse Ju.

Um funcionário da indústria indiana de fertilizantes disse à Reuters que houve um atraso incomum no processo de carregamento devido a inspeções.

Um funcionário da administração geral das alfândegas da China disse que não poderia comentar imediatamente a situação.

A indiana Rashtriya Chemicals and Fertilizers Limited (RCF) também pode ter dificuldades para garantir grandes compras de mais de um milhão de toneladas em uma licitação lançada recentemente, disse Ju.

Nenhuma das empresas indianas respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.

Os futuros de ureia na Bolsa de Zhengzhou da China atingiram 2.600 iuanes (353,84) dólares por tonelada em 1º de setembro, o nível mais alto desde março, após um aumento na demanda da Índia, desencadeando esforços para desacelerar os embarques.

A CNAMPGC Holding Ltd, um dos principais exportadores de fertilizantes da China, disse que diminuirá proativamente as exportações e “fará todos os esforços” para garantir o fornecimento interno e a estabilidade dos preços, de acordo com um aviso datado de 2 de setembro no seu site.

A estatal China National Offshore Oil Company (CNOOC) também instou suas subsidiárias a priorizarem o fornecimento de ureia ao mercado interno antes da temporada de semeadura de outono, de acordo com um aviso de 4 de setembro visto pela Reuters.

A CNOOC não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Os futuros da ureia na China caíram cerca de 4% desde os anúncios das empresas chinesas.

As restrições chinesas aumentarão os preços globais e os gastos da Índia com fertilizantes, disseram funcionários ​​da empresa indiana, que não quiseram ser identificados devido à política da empresa.

A Índia importa cerca de 30% dos cerca de 35 milhões de toneladas necessárias todos os anos para o seu vasto setor agrícola, e a China foi o seu segundo maior fornecedor no ano passado.

Suprimentos de Omã, Arábia Saudita, Egito e Rússia poderiam preencher a lacuna, disse um funcionário da indústria indiana.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.