Home Mercados China seduz retorno dos estrangeiros aos mercados: entenda o Stock Connect

China seduz retorno dos estrangeiros aos mercados: entenda o Stock Connect

Analistas do UBS preveem que os investidores estrangeiros retornarão gradualmente ao mercado chinês por meio do Stock Connect

por Reuters
0 comentário

As ações da China acompanharam seus pares globais e fecharam em alta nesta quarta-feira, uma vez que o sentimento do mercado foi impulsionado pela implementação do Stock Connect, por balanços de empresas dos Estados Unidos e pelo alívio sobre corte de juros depois que os dados mostraram que a atividade empresarial dos EUA esfriou em abril.

As ações asiáticas acompanharam a alta de Wall Street, já que uma alta das ações da Tesla (TSLA; TSLA34) e balanços positivos de algumas empresas norte-americanas melhoraram o sentimento de risco.

Operadores também se sentiram confortáveis com os dados que indicaram que a atividade empresarial dos EUA esfriou em abril devido à demanda mais fraca, atingindo o nível mais baixo em quatro meses, enquanto as taxas de inflação diminuíram ligeiramente, sugerindo um possível alívio para o Federal Reserve.

APRENDA COMO MULTIPLICAR E PROTEGER SEU CAPITAL INVESTIDO POR MEIO DAS CRIPTOMOEDAS E ACELERE A SUA JORNADA RUMO À LIBERDADE FINANCEIRA

Stock Connect

Também ajudando o sentimento, analistas do UBS preveem que os investidores estrangeiros retornarão gradualmente ao mercado chinês por meio do Stock Connect, à medida que o sentimento do mercado e o ambiente macroeconômico melhorarem.

A China facilitou a listagem em Hong Kong das principais empresas chinesas e expandirá o esquema de investimento transfronteiriço Stock Connect, informou a Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China na última sexta-feira.

O link de investimento entre a China continental e Hong Kong será ampliado para incluir fundos de investimento imobiliário e ações denominadas em iuan listadas em Hong Kong. Além disso, a barreira será reduzida para fundos negociados em bolsa no âmbito do Stock Connect.

O acordo foi realizado entre a Bolsa de Hong Kong (HKEX), a Bolsa de Valores de Xangai (SSE) e a Bolsa de Valores de Shenzhen (SZSE) para expandir o escopo de fundos negociados em bolsa (ETFs) elegíveis no link facilitado.

“As três bolsas trabalharão em estreita colaboração nos preparativos comerciais e técnicos para a expansão, que deverá entrar em vigor aproximadamente três meses a partir da data deste anúncio”, disse a Bolsa de Hong Kong.

Segundo a empresa, esta expansão enriquecerá as opções de investimento e permitirá aos investidores do Stock Connect alocar ativos nos mercados de Hong Kong e da China Continental de uma forma eficiente e econômica.

Mercados

No fechamento, o índice de Xangai subiu 0,76%, enquanto o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou com alta de 0,44%. O índice Hang Seng, de Hong Kong, avançou 2,21%.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 2,42%, a 38.460 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 2,21%, a 17.201 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,76%, a 3.044 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,44%, a 3.521 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 2,01%, a 2.675 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 2,72%, a 20.131 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,62%, a 3.293 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,01%, a 7.683 pontos.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.